A experiência de patrimonialização das fortalezas de Anhatomirim, Ratones e Ponta Grossa pela Universidade Federal de Santa Catarina (1979 – 1992)

Artigo que fala a respeito do projeto de pesquisa que tem como finalidade, segundo os autores, "analisar o processo de patrimonialização das fortalezas de Anhatomirim, Ratones e Ponta Grossa pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, nos anos de 1979 a 1992. O processo de adoção e restauração destes monumentos - tombados como patrimônio histórico nacional desde 1937 - se deu pela parceria entre a UFSC e o IPHAN; investigaremos este processo buscando estabelecer uma relação entre as ações destas duas instituições e as mudanças no campo do patrimônio no Brasil, para, a partir daí, fazer crítica ao uso destes monumentos pela UFSC, enquanto gestora destes bens. Por uso, entendemos não apenas a manutenção física destes espaços, mas também as apropriações simbólicas, quanto ao tipo de conhecimento histórico, memória, identidade, etc. que permite ao público visitante: estudantes de diferentes níveis de escolarização, população local, turistas. Como fundamentação teórico-metodológica tomamos a categoria experiência de E. P. Thompson na interface com a categoria memória de Walter Benjamin".

  • Artigo - Anais
  • Pedro Mülbersted Pereira
  • Elison Antonio Paim
  • Universidade Federal de Uberlândia
  • 2014
  • Uberlândia
  • Português
  • Anais do I Simpósio Internacional E. P. Thompson: História & Perspectivas. ISSN 2358-8438
  • Download

Contribuições

Atualizado em 12/06/2017 pelo tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Pedro).



Imprimir o conteúdo


Cadastre o seu e-mail para receber novidades sobre este projeto


Fortalezas.org > Bibliografia > A experiência de patrimonialização das fortalezas de Anhatomirim, Ratones e Ponta Grossa pela Universidade Federal de Santa Catarina (1979 – 1992)