Relatório do Presidente da Província de Santa Catarina, Delfino Pinheiro de Ulhôa Cintra Junior, em 1872

"Relatório com que o Exm. Sr. Dr. Delfino Pinheiro de Ulhôa Cintra Júnior passou a administração da Província de Santa Catarina ao Ex. Sr. Dr. Manoel do Nascimento da Fonseca Galvão, 2º Vice-Presidente da mesma, em 13 de novembro de 1872."

No que diz respeito às fortificações de Santa Catarina, o relatório menciona, na página 9, que as fortalezas da província achavam-se em estado deplorável, e que somente as fortalezas de Anhatomirim e da Barra do Sul (Araçatuba) tinham comando, sendo as suas guarnições pequenas e compostas de praças inválidas.

Informa ainda que o tenente-coronel Franklin Antônio da Costa Ferreira estava encarregado pelo Ministério da Guerra de realizar o levantamento da planta e orçamentos necessários para os consertos indispensáveis nas fortalezas de Ratones e Anhatomirim, destacando que essa última merecia toda a atenção, senão como fortaleza de defesa, como de registro, para garantia dos interesses fiscais.

O relatório também informa que foram reajustados os vencimentos dos remeiros do escaler que atende à Fortaleza de Anhatomirim.

Informações sobre a direção da Enfermaria Militar e sobre as obras em curso no Hospital Militar (da Boa Vista) constam às páginas 9 e 10 do relatório.

Entre as páginas 19 e 20, o relatório apresenta o número e a patente dos militares e outros funcionários existentes na Colônia Militar de Santa Teresa.

  • Printed Document
  • Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Junior
  • Tipografia de J. J. Lopes.
  • 1872
  • Florianópolis
  • Portuguese
  • Relatório de Presidente de Província. Desterro, 13 de novembro de 1872, 29 p., disponível em: http://www-apps.crl.edu/brazil/provincial/santa_catarina. Acesso em 4/7/2016.
  • Download

Contribution

Updated at 14/07/2016 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Lauro).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Presidente da Província de Santa Catarina, Delfino Pinheiro de Ulhôa Cintra Junior, em 1872