Relatório do Ministro da Guerra, Francisco de Paula Argollo, em maio de 1903

“Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Marechal Francisco de Paula Argollo, Ministro de Estado da Guerra, em maio de 1903.”

No que diz respeito às fortificações, o relatório menciona, na página 37, o recebimento de 3297 volumes de encomendas feitas pelo Ministério da Guerra, vindos da Europa e destinados às fortificações da barra do Rio de Janeiro, incluindo aparelhos para instalação de luz elétrica na Fortaleza de Santa Cruz da Barra (RJ).

A página 43 traz informações sobre estudos preliminares realizados para a elaboração de um plano de defesa para a fortificação de Óbidos (MS). Na página seguinte, menciona-se a construção de uma ponte para possibilitar o acesso ao Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo (BA), antes feito por uma ponte já deteriorada. Este forte recebeu ainda outras reformas. Também são mencionadas as obras realizadas nas seguintes fortificações do Rio de Janeiro: Forte de Dom Pedro II do Imbuhy, Fortaleza de Santa Cruz, Fortaleza de São João e Forte da Laje.

Mais a frente, na página 49, o relatório cita as obras de defesa do porto de Santos, mencionando a fortificação da Ponta de Itaipu. Na página seguinte, o relatório registra a necessidade de reparos também nas fortificações de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá (PR), Santa Cruz de Anhatomirim, Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa (SC). Ainda nessa página, menciona a Colônia Militar do Alto Uruguai.

A página 51 menciona pareceres sobre a proposta de armar o Forte de São Marcelo (BA) com canhões Ehrhardt e a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim com um canhão Armstrong de grosso calibre e outros dois canhões Whitworth (existentes em Santa Catarina). Ainda nessa página, e seguintes, se menciona a proposta de instalação de dois canhões Armstrong de 3,75 polegadas, de tiro rápido, na Fortaleza de São João da Barra (RJ), o fornecimento de palamenta e outros artigos para o forte da barra do Pará (talvez a Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém), o parecer referente aos canhões e munição do Forte de Imbuhy e o fornecimento de cofres para transporte de munição e tapas expansivas para a Fortaleza de Santa Cruz (RJ).

Sobre as colônias militares, entre as páginas 29 e 34, o relatório se refere ao regulamento para as colônias militares, aprovado pelo decreto n. 4.662 de 12 de novembro de 1902 (página 89 do arquivo PDF), o qual estipula a distribuição de terras para o projeto de colônias militares, justifica o propósito de sua implantação e especifica as normas gerais de funcionamento das mesmas. São mencionadas as colônias militares do Alto Uruguay (RS), do Iguaçu (PR), de Chopim (PR), e de Chapecó (SC). Na página 38 aborda-se a construção de linhas telegráficas, e menciona-se aquela que ligaria a cidade de Guarapuava à Colônia Militar do Iguaçu (PR), traçando uma descrição sobre a geografia do terreno e os trabalhos já iniciados.

  • Documento Impreso
  • Francisco de Paula Argollo
  • Imprensa Nacional
  • 1903
  • Rio de Janeiro
  • Portugues
  • Relatório do Ministério da Guerra, Rio de Janeiro, 1903, 270 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1903_00002.pdf. Acesso em: 16/05/2019.
  • Download

Contribuciones

Actualizado en 22/05/2019 por el tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Imprima el contenido


Registre su correo electrónico para recibir noticias sobre este proyecto


Fortalezas.org > Bibliografia > Relatório do Ministro da Guerra, Francisco de Paula Argollo, em maio de 1903