Relatório do Ministro da Guerra, Fernando Setembrino de Carvalho, em setembro de 1923

"Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo general de divisão Fernando Setembrino de Carvalho, Ministro de Estado da Guerra, em setembro de 1923."

Sobre as fortificações, o relatório menciona, nas páginas 37 e 38, obras na Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição (RJ). Mais a frente, a página 50 fala de obras nas fortificações de defesa da cidade de Santos e no Forte de Jurubatuba (SP). Na página 69, são citadas as fortificações de Santa Cruz e São João da Barra, Copacabana, ponta da Vigia, Ponta do Leme de Angra dos Reis, Tamandaré da Laje, São Luís, Dom Pedro II do Imbuhy e Marechal Hermes (RJ), que faziam parte do agora extinto 1º Distrito de Artilharia de Costa.

A página 70 menciona o estado dos aquartelamentos no Forte de Copacabana, na Fortaleza de São João da Barra e no Forte Tamandaré da Laje (RJ). Além destas fortificações, são citadas obras no Forte Dom Pedro II do Imbuhy e no quartel da 7ª bateria independente em Macaé, além de relatar o funcionamento das enfermarias nas fortalezas de Santa Cruz e São João da Barra (RJ).

Na página 81, o documento menciona os fortes Marechal Luz (8ª Bateria Isolada) e Marechal Moura (3ª Bateria Isolada). Obras no Forte Marechal Luz são mencionadas na página 85, assim como da carência do Hospital Militar de Florianópolis. Obras de limpeza foram executadas no antigo Depósito de Material Bélico (SC). O documento informa, nas páginas 85 e 86, que em Florianópolis o Forte de Santana do Estreito, as fortalezas de Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa, e os terrenos onde existiram os fortes de São João do Estreito, Rio Vermelho e Três Pontas [Pontes], haviam sido desarmados e desclassificados em abandono. Além disso, o terreno onde existiu o Forte de São Luís da Praia de Fora foi cedido ao governo do Estado de Santa Catarina. Esta página ainda menciona as antigas colônias militares de Chapecó (SC), Chopim e Iguaçu (PR), que teriam recebido a construção de casas.

A página 86 menciona serviços feitos nos quartéis dos fortes de São Joaquim de Jequitaia, de Nossa Senhora do Monte do Carmo [Barbalho], e no Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo (BA).

Ainda na página 86, são listados como próprios nacionais as fortificações de São Pedro, Nossa Senhora do Monte do Carmo, Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo, São Paulo da Gamboa, Santa Maria, São Diogo, do Morro de São Paulo, redutos de São Luís e do Rio Vermelho, paiol de pólvora do Matatú, hospital militar, antigo arsenal de guerra e Ilha do Meio (BA).

O Forte de São João Batista do Brum (PE) é mencionado, na página 88, pois seu depósito havia recolhido armamento e munição importados. Na mesma página e na página seguinte, são listadas as fortificações em estado de abandono: Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção (CE), Forte dos Reis Magos (RN), Forte de Santa Catarina do Cabedelo (PB), fortes de Santa Cruz de Itamaracá [Orange], de Nossa Senhora dos Prazeres da Praia do Pau Amarelo, de São Francisco de Olinda, de São Francisco da Barra, de Madame Bruyne [Buraco], de São Francisco Xavier da Praia de Gaibú, de São João Batista do Brum, de Nossa Senhora de Nazaré, de Santo Inácio de Tamandaré, de Nossa Senhora dos Remédios de Fernando de Noronha e de Santo Antônio de Fernando de Noronha (PE).

A página 91 menciona o Forte do Limoeiro de Corumbá (MS), que estava aquartelando o 17º batalhão de caçadores de Corumbá, assim como o Forte Novo de Coimbra (MS), que aparece aquartelando o 5º grupo de artilharia de costa de Coimbra. Ainda sobre o Forte Novo de Coimbra, a página 92 menciona orçamentos e projetos para novas construções.

Em anexo, na página 119 do arquivo PDF, há uma menção à Fortaleza de Santa Cruz da Barra (RJ). A página 120, por sua vez, menciona o Forte de São Luís (RJ). Mais a frente, na página 157 do arquivo PDF, são citadas as fortalezas de São João e Santa Cruz da Barra, além dos fortes de Dom Pedro II do Imbuhy e Tamandaré da Laje (RJ). A Fortaleza de Santa Cruz da Barra volta a ser citada na página164 do arquivo PDF.

Mais a frente, na página 176 do arquivo PDF, as baterias da Ponta do Leme, Paranaguá, São Marcelo e Forte de São João Batista do Brum aparecem extintas; a mesma página menciona ainda que as fortificações da Ponta do Leme e de Paranaguá receberam um contingente para guarda permanente.

  • Printed Document
  • Fernando Setembrino de Carvalho
  • Imprensa Militar
  • 1923
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Relatório do Ministério da Guerra, Rio de Janeiro, 1923, 341 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1922_00001.pdf. Acesso em: 09/07/2019.
  • Download

Related fortifications

Contribution

Updated at 10/07/2019 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Ministro da Guerra, Fernando Setembrino de Carvalho, em setembro de 1923