Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção

Fortaleza, Ceará - Brasil

Pesquisa de Imagens da fortificação

Data 1 Data 2

Mídias (8)

Imagens (8)

A Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção localizada na enseada do Mucuripe, à margem esquerda da foz do rio Pajeú, cidade de Fortaleza, no litoral do Estado do Ceará.

Desmoronado o Forte de Nossa Senhora da Assunção (1812), o governador da Província do Ceará, Manoel Inácio de Sampaio Pina, deu início no local a uma nova estrutura para a defesa daquela Capital. A pedra fundamental foi lançada a 12/out/1812, em homenagem ao aniversário do "sereníssimo Senhor Príncipe da Beira, o senhor D. Pedro de Alcântara" (GARRIDO, 1940:44; BARRETTO, 1958:98).

A planta, de autoria do Tenente-coronel Engenheiro Antônio José da Silva Paulet, que dirigiu a sua construção, apresenta forma de um quadrado com 90 metros de lado, com baluartes nos vértices, sob a invocação de Nossa Senhora da Assunção (NE), São José (SE), Dom João (NO) e Príncipe da Beira (SO). Artilhada inicialmente com cinco peças, foi custeada com fundos públicos (20:362$390 réis) e doações particulares (16:113$267 réis), afora doações de materiais e serviços (de voluntários e de escravos) (GARRIDO, 1940:44; BARRETTO; 1958:98-99). GARRIDO reporta que, em 1816, encontrava-se artilhada com 27 peças (Op. cit., p. 44).

Uma lápide comemorativa, colocada na muralha externa norte quando da inauguração da fortaleza, reza (em latim): "Ano de 1817. As naus escarneciam de mim quando eu era um monte informe: agora que sou uma grande fortaleza, de longe tomam-se de respeito. Aqui, reinando D. João VI, Sampaio me fundou bela, o engenho de Paulet resplandece. Os donativos dos cidadãos me tornaram forte pelas muralhas, e dos dispêndios reais me fazem forte pelas armas." (BARRETTO, 1958:99). O mesmo autor indica que, à época (1958), essa lápide se encontrava no Museu do Estado do Ceará (Op. cit., p. 99).

No contexto da Revolução Pernambucana de 1817, numa das celas desta fortificação esteve detida Bárbara de Alencar, líder revolucionária em Crato, no Ceará, considerada localmente como a primeira prisioneira política da História brasileira (in: Passeio pela História do Ceará. Rio de Janeiro: O Globo, 30/ago/2001. p. 20).

Em 1821, o Governador Francisco Alberto Rubim solicitava 200$000 réis para a sua conclusão, o que ocorre no ano seguinte (17/ago/1822) (GARRIDO, 1940:44). BARRETTO (1958) informa que a sua artilharia foi aumentada para trinta e uma peças de diferentes calibres a partir de 1829 (Op. cit., p. 100).

O Mapa anexo ao Relatório do Ministério da Guerra de 1847 aponta-lhe a ruína, dando-a como artilhada com vinte peças (SOUZA, 1885:73). GARRIDO (1940) informa que recebeu reparos em 1856. No ano seguinte, classificada como fortificação de 2ª Classe (11/fev/1857), encontrava-se artilhada com 32 peças: 26 de alma lisa (quatro de calibre 25 libras, duas de 18, nove de 12, cinco de 6, e seis de 3), e 6 de bronze La Hitte, raiadas, calibre 12. Foi avaliada em 125:000$000 réis (03/mar/1858). Sofreu reparos no contexto da Questão Christie (1862-65), em 1875, em 1883 (5:000$000 réis), e em 1886 (novamente considerada como de 2ª classe). Em 1895 apresentava duas baterias dispostas em andares e uma bateria a cavaleiro (Op. cit., p. 44-45; BARRETTO, 1958:100).

Também conhecida como Forte da Tartaruga, encontrava-se bem conservada (1906), e desarmada (1910). À época da 1ª Guerra Mundial (1914-18) foi guarnecida, entre 1917 e 1918, pela 1ª Bateria Independente do 3º Distrito de Artilharia de Costa, sob o comando do Capitão Bernardino Chaves (GARRIDO, 1940:45). BARRETTO (1958) complementa que o quartel contíguo à fortaleza, que abrigava a guarnição, foi ocupado pela 46ª Bateria Independente, mais tarde 46ª Bateria de Costa. À época (1958), sediava o Quartel-general da 10ª Região Militar (Op. cit., p. 100-101).

Hoje o sítio histórico é sede do Comando Militar do Nordeste, 10ª Região Militar do Exército Brasileiro.



 Personagens relacionados


 Imprimir Personagens relacionados

Bibliografias relacionadas 

Fortificações Portuguesas no Brasil - De Pernambuco ao Maranhão
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Artigo
2002
 
Fortificações do Brasil: Resumo Histórico
Anníbal Barretto

Livro
1958
 
Fortificações do Brasil
Carlos Miguez Garrido

Livro
1940
 
Fortificações no Brasil
Augusto Fausto de Souza

Artigo
1885
 
Fortificações Portuguesas no Brasil
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Livro
2004
 
Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Paulo Roberto Rodrigues Teixeira

Artigo
2004
 
O Exército na História do Brasil

Livro
1998
 
Fortalezas Multimídia
Roberto Tonera

Cd-Rom
2001
 
Actas virtuais do 6° Seminário Regional de Cidades Fortificadas e 1° Encontro Técnico de Gestores de Fortificações
Universidade Federal de Santa Catarina

Anais
2010
 
Fortes e Fortalezas. A participação da FUNCEB na restauração e divulgação do Patrimônio Nacional
Paulo Roberto Rodrigues Teixeira

Artigo
2010
 
A Arquitetura Militar Portuguesa no período de Expansão Ultramarina e suas origens medievais
Edison Bisso Cruxen

Artigo - Anais
2011
 
As fortificações do Ceará (1930)
Carlos Studart Filho

Artigo
1930
 
Os Fortes do Brasil
Ricardo Siqueira Prado
Ricardo Chaves Prado

Artigo - Revista
1998
 
Muralhas de pedra, canhões de bronze, homens de ferro: fortificações do Brasil de 1504 a 2006 - Tomo III
Adler Homero Fonseca de Castro

Livro
2015
 
Instalação de "Depósitos de Disciplina" nas fortalezas

Documento Impresso
1880
 
Dimensión Antropológica

Revista
2016
 
Las fortificaciones en Brasil
Roberto Tonera

Artigo - Revista
2016
 
Sítio histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Exército Brasileiro

Folder
2017
 
Fortalezas Históricas do Brasil
Jacob Klintowitz
Romulo Fialdini

Livro
1983
 
Relatório do Ministro da Guerra, Sebastião do Rego Barros, em 1838
Sebastião do Rego Barros

Documento Impresso
1838
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em 1871
José Maria da Silva Paranhos

Documento Impresso
1871
 
Relatório do Ministro de Guerra, José Maria da Silva Paranhos, em 1871
José Maria da Silva Paranhos

Documento Impresso
1871
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1875
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1875
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1847
João Paulo dos Santos Barreto

Documento Impresso
1847
 
Relatório do Ministro da Guerra, Manoel Felizardo de Souza e Mello, em 1848

Documento Impresso
1848
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1846
João Paulo dos Santos Barreto

Documento Impresso
1846
 
Relatório do Ministro da Guerra, Filippe Franco de Sá, em 1884
Filippe Franco de Sá

Documento Impresso
1884
 
Relatório do Ministro da Guerra, Antônio Eleutério de Camargo, em 1885
Antonio Eleutério de Camargo

Documento Impresso
1885
 
Relatório do Ministro da Guerra, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, em 1887
Joaquim Delfino Ribeiro da Luz

Documento Impresso
1887
 
Relatório do Ministro da Guerra, Thomaz José Coelho de Almeida, em 1888
Thomaz José Coelho de Almeida

Documento Impresso
1888
 
Relatório do Ministro da Guerra, Thomaz José Coelho de Almeida, em 1889
Thomaz José Coelho de Almeida

Documento Impresso
1889
 
Projeto elaborado no Estado Maior do Exército, em abril de 1900
Feliciano Mendes de Moraes
Alberto Cardoso de Aguiar
Custódio de Senna Braga

Documento Impresso
1900
 
Inovação Institucional e Patrimônio Cultural de Origem Militar no Brasil
Flávia Ferreira de Mattos

Tese
2018
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Nepomuceno de Medeiros Mallet, em maio de 1902
João Nepomuceno de Medeiros Mallet

Documento Impresso
1902
 
Relatório do Ministro da Guerra, Carlos Affonso de Assis Figueiredo, em 1883
Carlos Affonso de Assis Figueiredo

Documento Impresso
1883
 
Relatório do Ministro da Guerra, Francisco de Paula Argollo, em 1906
Francisco de Paula Argollo

Documento Impresso
1906
 
Relatório do Ministro da Guerra, Hermes Rodrigues da Fonseca, em junho de 1908
Hermes Rodrigues da Fonseca

Documento Impresso
1908
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Bernardino Bormann, em maio de 1910
José Bernardino Bormann

Documento Impresso
1910
 
Relatório do Ministro da Guerra, Vespasiano Gonçalves de Albuquerque e Silva, em maio de 1913
Vespasiano Gonçalves de Albuquerque e Silva

Documento Impresso
1913
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1915
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1915
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1916
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1916
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1918
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1918
 
Relatório do Ministro da Guerra, Fernando Setembrino de Carvalho, em setembro de 1923
Fernando Setembrino de Carvalho

Documento Impresso
1923
 
Relatório do Ministro da Guerra, Fernando Setembrino de Carvalho, em novembro de 1924
Fernando Setembrino de Carvalho

Documento Impresso
1924
 
Relatório do Ministro da Guerra, Fernando Setembrino de Carvalho, em novembro de 1925
Fernando Setembrino de Carvalho

Documento Impresso
1925
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1886
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1886
 
Muralhas da memória: fortificações, patrimônio e turismo cultural
Adler Homero Fonseca de Castro

Artigo - Digital
2013
 
As armas em nome de Sua Altíssima Majestade: organização e cotidiano das tropas de primeira linha na capitania do Ceará (século XVIII)
José Eudes Arrais Barroso Gomes

Capítulo
2009
 
 

 Imprimir Bibliografias relacionadas



Links relacionados 

Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Website do Comando da 10ª Região Militar do Exército Brasileiro que aborda o histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, em Fortaleza, Ceará, Brasil.

http://www.10rm.eb.mil.br/arq/A_10rm/historico_index.php
Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Página da Enciclopédia Wikipédia versando sobre a Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, que localiza-se à margem esquerda da foz do rio Pajeú, cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará, no Brasil. Abriga a sede da 10ª Região Militar.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortaleza_de_Nossa_Senhora_da_Assun%C3%A7...
Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção
Website Visit Fortaleza, versando sobre a Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, que se localiza na cidade de Fortaleza, Estado do Ceará.

http://www.visitfortaleza.com/brasil/turismo/fortaleza-nossa-senhora-a...
Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção
Website Viagem de Férias, versando sobre a Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, que se localiza na enseada do Mucuripe, à margem esquerda da foz do rio Pajeú, cidade de Fortaleza, no litoral do Estado do Ceará.

http://www.viagemdeferias.com/fortaleza/turismo/fortaleza-nossa-senhor...
Forte Schoonemborch
Website Cearacultura, apresenta pequeno histórico a respeito do Forte Schoonemborch, disponibilizando planta da construção.

http://www.cearacultura.com.br/turismo/hist_fortaleza.htm
Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Website do hotel Maredomus, apresentando informações acerca da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, que se localiza na enseada do Mucuripe, à margem esquerda da foz do rio Pajeú, cidade de Fortaleza, no litoral do Estado do Ceará.

http://www.maredomushotel.com.br/guiaceara/19/pontosturisticos/36/fort...
Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Website Brasil Viagem, apresentando informações acerca da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, que se localiza na enseada do Mucuripe, à margem esquerda da foz do rio Pajeú, cidade de Fortaleza, no litoral do Estado do Ceará.

http://www.brasilviagem.com/pontur/?CodAtr=2570
A Fortaleza Brasil
Website da Academia de História Militar terrestre do Brasil, apresentando histórico acerca das seguintes fortificações localizadas no Brasil: Forte de São João da Bertioga, Fortaleza de Santa Cruz, Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, Forte dos Reis Magos, Forte das Cinco Pontas, Fortaleza de São José da Ponta Grossa, Fortaleza Jesus, Maria e José do Rio Pardo, Real Forte Príncipe da Beira, Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo, Forte Novo de Coimbra, Forte da Ponta da Igrejinha de Nossa Senhora de Copacana.

http://www.ahimtb.org.br/fortbrasil.htm
Fortificações no Brasil
Website Brasil Viagem, com textos versando sobre as seguintes fortificações localizadas no Brasil: Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro; Fortaleza de Santa Cruz, no Rio de Janeiro; Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, no Ceará; Forte do Castelo, no Pará; Forte dos Reis Magos, no Rio Grande do Norte.

http://www.brasilviagem.com/materia/?CodMateria=52&CodPagina=184

 Imprimir Links relacionados

Contribuições

Atualizado em 11/08/2017 pelo tutor Roberto Tonera.

Com a contribuição de conteúdo de: Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contribuições com mídias: Projeto Fortalezas Multimidia (Elisangela) (5), Projeto Fortalezas Multimidia (Mayra) (3).


  • Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção


  • Fortaleza

  • 1812 (DC)

  • 1822 (DC)

  • Antonio José da Silva Paulet

  • Manoel Inácio de Sampaio Pina

  • Portugal


  • Restaurada e Bem Conservada


  • Exército Brasileiro

  • Comando Militar do Nordeste, 10ª Região Militar do Exército Brasileiro.

  • (85) 3255-1673 / 3255-1675

  • sitiohistorico@10rm.eb.mil.br

  • Unidade Militar Ativa
    No sítio histórico, ocupado pela Sede do Comando Militar do Nordeste, 10ª Região Militar do Exército Brasileiro, se encontra um complexo cultural diversificado, composto pelas muralhas da antiga fortificação e diversos espaços culturais.

  • ,00 m2

  • Continente : América do Sul
    País : Brasil
    Estado/Província: Ceará
    Cidade: Fortaleza

    Av. Alberto Nepomuceno, s/n - Centro, Fortaleza - CE, 60025-130, Brasil.


  • Lat: 3 43' 23''S | Lon: 38 31' 31''W



  • Sítio histórico aberto à visitação pública e gratuita, aberto de segunda a sexta-feira (das 09:00 h às 12:00 h e das 13:00 h às 16:00 h) e aos sábados, domingos e feriados (das 09:00 h às 12:00 h).

    O sítio conta com visita com guias especializados. O agendamento prévio (pelo e-mail: sitiohistorico@10rm.eb.mil.br) só é necessário em caso de visitação coletiva.

    Outras informações e contato devem ser realizados com a Seção de Comunicação Social da 10ª RM pelo telefone (85) 3255-1673 e 3255-1675.


  • Artilhada inicialmente com cinco peças, foi custeada com fundos públicos (20:362$390 réis) e doações particulares (16:113$267 réis), afora doações de materiais e serviços (de voluntários e de escravos) (GARRIDO, 1940:44; BARRETTO; 1958:98-99). GARRIDO reporta que, em 1816, encontrava-se artilhada com 27 peças (Op. cit., p. 44).
    BARRETTO (1958) informa que a sua artilharia foi aumentada para trinta e uma peças de diferentes calibres a partir de 1829 (Op. cit., p. 100).
    O Mapa anexo ao Relatório do Ministério da Guerra de 1847 aponta-lhe a ruína, dando-a como artilhada com vinte peças (SOUZA, 1885:73). No ano seguinte, classificada como fortificação de 2ª Classe (11/fev/1857), encontrava-se artilhada com 32 peças: 26 de alma lisa (quatro de calibre 25 libras, duas de 18, nove de 12, cinco de 6, e seis de 3), e 6 de bronze La Hitte, raiadas, calibre 12. Foi avaliada em 125:000$000 réis (03/mar/1858).

  • A planta, de autoria do Tenente-coronel Engenheiro Antônio José da Silva Paulet, que dirigiu a sua construção, apresenta forma de um quadrado com 90 metros de lado, com baluartes nos vértices, sob a invocação de Nossa Senhora da Assunção (NE), São José (SE), Dom João (NO) e Príncipe da Beira (SO).

  • GARRIDO (1940) informa que recebeu reparos em 1856.
    Sofreu reparos no contexto da Questão Christie (1862-65), em 1875, em 1883 (5:000$000 réis), e em 1886 (novamente considerada como de 2ª classe).

  • Nossa Senhora da Assunção é a denominação dada à Virgem Maria em alusão a sua assunção (elevação) ao céu. Orago de batismo desta fortificação, ela é também a padroeira da cidade de Fortaleza.



Imprimir o conteúdo


Cadastre o seu e-mail para receber novidades sobre este projeto


Fortalezas.org > Fortificação > Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção