Fort of Nossa Senhora da Conceição da Carrapateira

Aljezur, Faro - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O "Forte de Nossa Senhora da Conceição da Carrapateira", comumente referido como “Forte da Carrapateira” ou “Fortaleza da Carrapateira”, localizava-se no lugar da Carrapateira, freguesia da Bordeira, concelho de Aljezur, distrito de Faro, em Portugal. O local integra o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

História

Os constantes ataques de corsários e piratas da Barbária, que semeavam o pânico e a insegurança entre a população algarvia levaram a que a população da Carrapateira pedisse auxílio ao soberano, que determinou a construção de um forte, sendo governador e Capitão-General do Reino do Algarve D. Nuno da Cunha de Ataíde, 1.º conde de Pontevel. As obras estariam concluídas em 1673, como testemunha a pedra de armas numa das paredes da Igreja de Nossa Senhora da Conceição. O forte tinha como função a defesa da povoação, da praia da Bordeira e da foz da ribeira da Carrapateira e sua ponte.

Sob o reinado de João V de Portugal (1706-1750), sendo Governador do Reino do Algarve D. Luís Peregrino de Ataíde, 10.º conde de Atouguia, o forte foi mandado reparar (1742). À época encontrava-se artilhado por 6 peças e guarnecido por 11 soldados.

Poucos anos mais tarde, em 1751 restavam-lhe apenas 2 peças de artilharia e uma guarnição de 3 homens. Quando da visita de inspeção efetuada pelo Governador e Capitão-General do Reino do Algarve, D. Rodrigo António de Noronha e Meneses, em 1754, a fortificação encontrava-se em bom estado de conservação, e a sua artilharia era de 3 peças de ferro de calibre 6, mas incapazes. Quando do terramoto de 1 de novembro de 1755 registaram-se apenas pequenos danos na parte norte da Igreja de Nossa Senhora da Conceição.

Em 1762 estava artilhado com 2 peças de ferro de diferentes calibres, e tinha como guarnição 1 soldado efetivo e 2 destacados da Praça-forte de Lagos.

Quando da inspeção à fortificação pelo ajudante de engenheiro Francisco Lobo em 1765, a reparação dos danos existentes foi avaliada em 100$000. A sua artilharia era então composta por 2 peças de ferro, uma de calibre 4 e outra de 6, montadas, prontas a servir.

Em carta de Sebastião José de Carvalho e Melo ao então Governador e Capitão-General do Reino do Algarve, D. Tomás da Silveira de Albuquerque Mexia, de 1767, ordena-se a reparação dos estragos existentes no Forte da Carrapateira, não constando, no entanto, que quaisquer trabalhos tivessem sido efetuados.

Na planta desenhada pelo Tenente-Coronel José de Sande Vasconcelos encontra-se a informação de apenas estarem arruinados os quartéis da guarnição (1788).

O Tenente-General Karl von Oyenhausen-Gravenburg, conde de Oyenhausen-Groewenbourg, informa encontrar-se o forte quase todo demolido e toda a artilharia, 3 peças de ferro de calibre 6 e uma de 2, incapazes de servir, existindo como guarnição 2 soldados do Regimento de Lagos e 1 artilheiro sob o comando de 1 cabo (1 de abril de 1792).

Pouco depois, em 1796, dispunha apenas de 4 peças de ferro, todas incapazes.

Em 1821, data em que fazia parte da praça de guerra de Sagres, já havia perdido a sua função estratégica, devido à formação de dunas que impediam a linha de fogo na direção do oceano. Em 1822 foi desativado, vindo a cair em abandono de modo a que, em 1831 encontrava-se bastante degradado, com os edifícios em mau estado.

O conjunto da “Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Antigo Forte da Carrapateira” não se encontra classificado ou protegido.

Características

Exemplar de arquitetura militar e religiosa, na cota de 26 metros acima do nível do mar, foi construído em torno da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, primitiva Igreja Matriz da Carrapateira, uma vez que esta se erguia em posição dominante sobre a povoação que se desenvolvia e leste a sul, tendo a oeste uma zona plana de onde se avistava o mar. 

Apresentava planta na forma de um polígono estrelado com quatro pontas, com os muros em pedra de xisto da região.

Internamente dispunha de três baterias voltada ao mar e à ribeira, quarteis para a tropa e corpo da guarda.

Bibliografia

CALLIXTO, Carlos Pereira, "As fortificações dependentes da Praça de Sagres: o Forte da Carrapateira", in Revista da Marinha, nº 130, Outubro de 1983.



 



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography

Contribution

Updated at 22/12/2013 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Fort of Nossa Senhora da Conceição da Carrapateira

  • Forte da Carrapateira, Fortaleza da Carrapareira

  • Fort


  • 1673 (AC)



  • Portugal


  • Featureless and Badly Conserved

  • Monument with no legal protection







  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Faro
    City: Aljezur



  • Lat: 37 -12' 56''N | Lon: 8 53' 43''W




  • 1742: 6 peças.
    1751: 2 peças.
    1754: 3 peças de ferro de calibre 6, incapazes.
    1762: 2 peças de ferro de diferentes calibres.
    1765: 2 peças de ferro, uma de calibre 4 e outra de 6, montadas, prontas a servir.
    1792: 3 peças de ferro de calibre 6 e uma de 2, incapazes.
    1796: 4 peças de ferro, todas incapazes.

  • Alvenaria de xisto.





Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fort of Nossa Senhora da Conceição da Carrapateira