Fort of Nossa Senhora da Rocha

Lagoa (Algarve), Faro - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O “Forte de Nossa Senhora da Rocha”, também referido como “Castelo de Porches”, localiza-se no promontório de Nossa Senhora da Rocha, na vila de Porches, concelho de Lagoa, no distrito de Faro, em Portugal. No interior do forte ergue-se uma capela, da mesma invocação, construída em data desconhecida.

História

A toponímia "Porches" remonta a um povoado romano fortificado, nas imediações da atual vila. Com localização privilegiada, num promontório em posição dominante sobre a costa, entre as antigas "Ossónoba" (Faro) e "Lacóbriga" (Lagos), dominava a praia e um pequeno porto, único acesso a esse trecho do litoral. Embora carecendo de pesquisas arqueológicas, os estudiosos acreditam que, à época da invasão muçulmana da península Ibérica, o local também terá tido utilização militar.

Data hipoteticamente do século VIII a construção da capela, de construção visigótica ou moçárabe, reutilizando materiais de origem provavelmente romana, na sequência, segundo a lenda, do aparecimento, no local, de uma imagem da Virgem.

O castelo foi doado por Afonso III de Portugal (1248-1279) a seu chanceler, D. Estevão, por documento passado na povoação de Santa Maria de Faro, em fevereiro de 1250.

Dinis I de Portugal (1279-1325) terá mandado erguer (ou reedificar) a fortificação para proteção da capela.

João III de Portugal (1521-1557) mandou erguer o forte para defender a praia e o ancoradouro dos ataques de piratas da Barbária. Datará desse período a confecção da imagem da Senhora com o Menino. Em finais do século XVI, época em que Tomé Gonçalves é mencionado como seu governador, é referida a existência de um forte no local.

A fortificação foi severamente danificada pelo terremoto de 1 de novembro de 1755.

No início do século XIX, essa estrutura já se encontrava grandemente danificada (1821), com extensos troços de seu perímetro original destruídos pela erosão marítima que, solapando a base da falésia, conduziam à sua progressiva derrocada. Sofreu trabalhos de restauração nesse período.

O “Forte e Capela de Nossa Senhora da Rocha” encontram-se classificados como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 45.327, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 251, de 25 de outubro de 1963.

O conjunto foi parcialmente intervencionado pela Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN), na década de 1960, em termos de consolidação e restauro:

- 1963 - reconstrução de muralhas, construção de rebocos em paramentos do forte e capela; demolição e construção de coberturas; reparação do lambril de azulejos; reconstrução de pavimentos;

- 1964 - substituição de portas e caixilhos;

- 1965 - reconstrução de rebocos e pavimentos, reparação do lambril de azulejos;

- 1968 - restauração da cortina de muralhas e limpeza do fosso de entrada; reparação da cúpula da capela.

Sofreu estragos em virtude do terramoto de 28 de fevereiro de 1969. Novas campanhas de intervenção tiveram lugar posteriormente:

- 1976 - consolidação geral da muralha, colocação de azulejos artísticos na entrada da capela, reparação da cúpula e telhados;

- 1977 - caiação geral da ermida;

- 1986 - reparação de fendas na muralha, reconstrução de rebocos salitrosos da capela e anexos.

O imóvel foi afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico pelo Decreto-lei n.º 106F/92, publicado no Diário da República, I Série-A, n.º 126, de 1 de junho.

Características

Exemplar de arquitetura militar e religiosa, visigótica, moderna, de enquadramento marítimo, isolado.

A fortificação apresenta traçado poligonal, abrigando em seu interior a ermida. A cortina de muralhas é rasgada por uma porta, antecedida por fosso, originalmente ultrapassado por ponte levadiça.

A capela é composta por amplo nártex retangular, aberto ao exterior por tripla arcada sobre colunas de inspiração paleocristã e capitéis visigóticos, e capela-mor hexagonal com sacristia adossada a sul. A norte, corpo anexo. Volumes articulados, massas dispostas na horizontal com cobertura em telhado de duas águas no corpo anexo e no nártex com aba prolongada pela sacristia, e em coruchéu piramidal na capela-mor com beirado telhado.

A planimetria e a decoração dos capitéis no nártex apontam para que o culto cristão no local remonte ao período muçulmano.



 Related character


 Print the Related character

Contribution

Updated at 24/01/2015 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Fort of Nossa Senhora da Rocha

  • Castelo de Porches

  • Fort





  • Portugal


  • Featureless and Well Conserved

  • National Protection
    O “Forte e Capela de Nossa Senhora da Rocha” encontram-se classificados como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 45.327, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 251, de 25 de outubro de 1963.





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Faro
    City: Lagoa (Algarve)



  • Lat: 37 -6' 15''N | Lon: 8 23' 12''W










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fort of Nossa Senhora da Rocha