Castle of Alvor

Portimão, Faro - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O “Castelo de Alvor”, também referido como “Castelo de Albur” ou “Forte de Alvor”, localiza-se na vila e freguesia de Alvor, concelho de Portimão, distrito de Faro, em Portugal.

História

Antecedentes

Datará do século VII a.C. o estabelecimento de Fenícios e posteriormente Gregos e Cartagineses numa primeira feitoria fortificada, erguida sobre um castro lusitano.

Em 436 regista-se a conquista da fortificação, sob as ordens de Aníbal, o Antigo, dando-lhe o nome de “Portus Annibalis”, que mais tarde seria dado à cidade de “Barcínia”.

As escavações efetuadas pela arqueóloga Teresa Gamito comprovam que a primitiva ocupação humana da área é muito antiga, aqui tendo se localizado “Ipses”, um importante centro comercial pré-romano fortificado, que manteve a sua atividade durante a ocupação romana da península e após.

Em 716 forças muçulmanas conquistam a povoação, dando-lhe o nome de “Albur”. Durante a sua dominação a povoação conservou a importância política e comercial que tinha adquirido devido à excelência de sua enseada. O seu sistema defensivo adensou-se, sendo a defesa proporcionada pelo chamado “castelo mouro” reforçada por redutos complementares, entre este e o mar.

O castelo medieval

No contexto da campanha da conquista de Silves, Sancho I de Portugal (1185-1211) tentou a tomada de Alvor desde 1187. Mais tarde, com o reforço de uma armada de Cruzados oriundos da Dinamarca e da Frísia, assaltaram e conquistaram o castelo de Alvor (1189), então arrasado, antecipando o cerco e tomada do Castelo de Silves, na dependência de quem Alvor se inscrevia. A posição de Silves foi mantida pelos cristãos até 1191, quando voltou a cair sob as forças muçulmanas.

Em 1250 foi reconquistada definitivamente pelas forças de Afonso III de Portugal (1248-1279).

Dinis I de Portugal (1279-1325) ordenou a reedificação do castelo (1300).

A povoação manteve-se como uma das principais do Algarve, vindo a receber carta de foral (29 de fevereiro de 1495) passada por João II de Portugal (1481-1495), que aqui veio a falecer, em outubro desse mesmo ano.

Sob o reinado de Manuel I de Portugal (1495-1521) administrativamente Alvor foi desanexada de Silves em 28 de dezembro de 1498. Recebeu o Foral Novo em 13 de dezembro de 1505.

O Forte de Alvor

À época da Dinastia Filipina (1580-1640), na passagem do século XVI para o XVII, no contexto dos conflitos entre a Espanha e as potências do Norte, as fortificações marítimas algarvias foram modernizadas e reforçadas. O engenheiro militar napolitano Alexandre Massai referiu a defesa de Alvor como um “fortezinho pequeno, quadrado” (“Descripção do Reino do Algarve (...)”, 1621), ineficaz, portanto, diante da capacidade da artilharia da época. Esse motivo contribuiu para o abandono da estrutura, em favor de novas fortificações, concentradoras de forças em pontos-chave do litoral algarvio.

Quando do terramoto de 1 de novembro de 1755 os remanescentes do antigo castelo foram destruídos, vindo a ser progressivamente envolvidos pelo crescimento da povoação.

Do século XX aos nossos dias

As “Ruínas do antigo Castelo / Forte de Alvor” encontram-se classificadas como Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto n.º 29/84, publicado no Diário da República, I Série, n.º 145, de 25 de junho.

Subsistem dois panos de muralha, com construções adossadas. A praça do Castelo foi requalificada e nela inaugurado um parque infantil (25 de abril de 1979) em comemoração à reconquista cristã da povoação.

Em 2009 tiveram lugar obras de requalificação do parque Infantil.

Características

Exemplar de arquitetura militar, gótica, de enquadramento urbano.

O castelo muçulmano apresentava planta quadrangular, com as suas muralhas erguidas com blocos de pedra irregulares dispostos horizontalmente, elevando-se a mais de cinco metros de altura em diversos trechos. A existência de um primitivo adarve é deduzida pela existência de uma escada adossada ao setor sul da muralha, embora o estado atual do monumento não permita afirmar se os muros eram ameados.

Voltada a norte, a porta principal de acesso, em cotovelo, é o último elemento original remanescente, acreditando-se que tenha sido primitivamente defendida por uma torre albarrã. A leste, observam-se os restos de uma torre que, conforme a sua altura, teria permitido a observação do movimento de embarcações na enseada.

Acredita-se que o atual Castelo de Alvor corresponda apenas à primitiva alcáçova muçulmana, que deveria albergar uma guarnição. A vila também deve ter sido originalmente cercada por uma cintura de muralhas, que não chegou até aos nossos dias.

Bibliografia

LOPES, João Baptista da Silva. "Corografia ou memoria economica, estadistica, e topografica do reino do Algarve". Lisboa, 1841.



 



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography

Contribution

Updated at 14/08/2017 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Ion Cibotari (1).


  • Castle of Alvor

  • Castelo de Albur, Forte de Alvor

  • Castle

  • 1300 (AC)



  • Denis of Portugal

  • Portugal


  • Missing

  • National Protection
    As “Ruínas do antigo Castelo / Forte de Alvor” encontram-se classificadas como Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto n.º 29/84, publicado no Diário da República, I Série, n.º 145, de 25 de junho.





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Faro
    City: Portimão



  • Lat: 37 -8' 15''N | Lon: 8 35' 37''W



  • Parque infantil da Praça do Castelo: aberto de 3ª a Sábado, das 09:00h às 13:00h e das 15:00h às 17:00h.








Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Castle of Alvor