Bateria do Cais

Lajes das Flores, Autonomous Region of Azores - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

A “Bateria do Cais” localizava-se na vila, freguesia e concelho de Lajes das Flores, costa sudeste da ilha das Flores, na Região Autónoma dos Açores, em Portugal.

Constituiu-se em uma fortificação destinada à defesa do ancoradouro da vila contra os ataques de piratas e corsários, outrora frequentes nesta região do oceano Atlântico.

História

O padre António Cordeiro, no início do século XVIII, remonta a fortificação de Lajes das Flores ao período da Dinastia Filipina (1580-1640), após o saque de corsários ingleses em 1587, no contexto da Guerra Anglo-Espanhola (1585-1604):

"Daqui para o Norte, está a nobre, & fecunda Villa das Lajes, & já em nada sujeita à Villa de Santa Cruz: consta de muito mais de trezentos fogos, & de duas grandes Companhias, & dous Capitães de ordenança, & hum Capitão mor da Villa, & seu termo; e consta de hua grande rua, & muytas travessas; & tem diante de si para o mar alguns bayxos perigosos aos que quiseram acometer a Villa, & fica já mais de duas legoas do sobredito lugar de São Pedro. A Matriz desta Villa he da invocação de Nossa Senhora do Rosário, com Vigario, & algumas familias nobres, como em seu lugar diremos. (…) Já houve comtudo ocasição (em 25 de julho de 1587, há quasi cento & trinta annos) que cinco navios Inglezes enganadamente entrarão na Villa das Lajes, & a saquearão, fugindo os moradores para os matos; mas atèagora lhes não succedeo outra, pela vigia que sempre ao diante tiverão: & nem se sabe de fogo, terramoto, peste ou guerra que houvesse nesta Ilha atègora." (CORDEIRO, 2007:483-485)

E sobre a defesa da ilha, à época: “(…) não há em esta Ilha [da Flores] Fortaleza alguma de soldadesca paga, e peças de artilharia, mas só espada, e adaga, lança, e alguns arcabuzes, ao estilo de Portugal antigo; e as mais armas, com que ainda a brutos não nunca falta de todo a natureza; e assim tem os mais impenetráveis muros nas suas rochas ao mar; a artelharia mais horrenda nos penedos, que pelas altas rochas lanção abayxo, que nem há galeões, que os aturem, nem outro reparo delles, mais que somente o fugirlhes, que he o que os da Ilha querem.” (CORDEIRO, 2007:486)

Uma nova tentativa de assalto, por duas embarcações de corsários ingleses da América do Norte, registou-se no ano de 1770. (SANTA RITA, 1869:39)

O padre José António Camões, na primeira década do século XIX, também referiu as defesas de Lajes das Flores:

"(…) tem aquella Villa o porto a susueste; tem para fora uma baia com ancoradouro de areia. (…) Seo Orago é Nossa Senhora do Rozario, (…) Tem 2 companhias de ordenança. A 1.ª formada na Villa, Monte e Morros, com 1 capitão, 1 alferes, 2 tenentes, que foram de fortes, dois sargentos e 170 soldados, a 2.ª formada na Fazenda, Lajedo e Mosteiro, com 1 capitão, 1 alferes, 1 tenente, 3 sargentos e 147 soldados, a saber, 77 na Fazenda, 36 no Lajedo e Costa, e 34 no Mosteiro e Caldeira. Tem um castello no porto da Villa com casa e guarda e 9 peças, e mais 2 fortes, um delles em um cerrado sobre uma rocha, sem casa, e 1 peça." (CAMÕES, José António (Pe.). "Roteiro Exacto da Costa da Ilha". apud TRIGUEIRO, 2006)

Não se encontra indicada na relação “Fortes existentes nas Flores e Corvo em 21 de julho de 1817”.

Encontra-se registada em alçado e planta de autoria do Sargento-mor do Real Corpo de Engenheiros José Rodrigo de Almeida (1822) com o título "Bataria para onde chamão o Caes, N.º 4". (ALMEIDA, 1822)

A "Relação" do marechal de campo Júlio José Fernandes Basto, 1.º barão de Basto, comandante da 10.ª Divisão Militar (Açores), em 1862 refere-o como "Forte das Pouças" (Forte [do Porto ou do Cais] das Poças) e informa: "Tem uma caza arruinada", complementando: "Só existem os parapeitos d'uma bateria". (Op. cit., p. 271)

A estrutura não chegou até aos nossos dias.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado.

De acordo com a iconografia de ALMEIDA (1822) apresentava planta no formato de meia-lua. Em seu muro pelo lado do mar rasgavam-se três canhoneiras. Contava então com uma edícula de serviço.

Related bibliography 


 Print the Related bibliography



Related links 

Fortificação - Ilha das Flores
Página do Instituto Histórico da Ilha Terceira (IHIT) com a bibliografia publicada no Boletim daquela instituição sobre as fortificações da ilha das Flores.

http://www.ihit.pt/new/fortes/flores.php

 Print the Related links



Related entries 


 Print the Related entries

Contribution

Updated at 27/02/2019 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Bateria do Cais

  • Forte das Pouças

  • Battery





  • Portugal


  • Missing

  • Monument with no legal protection





  • Disappeared

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Autonomous Region of Azores
    City: Lajes das Flores



  • Lat: 0 -0' 0'' | Lon: 0 -0' 0''










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Bateria do Cais