Fortim dos Palheiros

Figueira da Foz, Coimbra - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (4)

Images (4)

O “Fortim dos Palheiros”, também referido como “Fortim de Palheiros”, Fortim da Enseada” e “Fortim do Centro”, localiza-se na freguesia Buarcos e São Julião, concelho de Figueira da Foz, distrito de Coimbra, em Portugal.

História

Afirma-se que remontará a uma estrutura erguida no reinado de João III de Portugal (1521-1557) para, em conjunto com a fortificação de Buarcos e o Forte de Santa Catarina varrerem, com fogo cruzado, a enseada a norte da foz do rio Mondego. Outros autores remontam-na a Manuel I de Portugal (1495-1521), embora nenhuma das correntes possua apoio documental ou arqueológico.

No mesmo sentido, no contexto da Guerra da Restauração da Independência (1640-1668) terá sido recuperado.

No contexto da Guerra Civil Portuguesa (1828-1834) foi edificado ou reedificado, tendo sido abandonado ao final do conflito, caindo em ruínas.

No governo de Manuel II de Portugal (1908-1910) foi colocado em hasta pública (1909), tendo sido arrematado por 500.100 reis por Joaquim Felisberto da Cunha Sotto-Mayor, um grande empresário ligado à pesca e indústria do bacalhau, estabelecido na Figueira da Foz.

Os restos do antigo fortim encontram-se classificados como Imóvel de Interesse Público, inicial e incorretamente com a designação de "Forte dos Redondos" pelo Decreto n.º 45.327, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 251, de 25 de outubro de 1963, retificado como “Fortim dos Palheiros” pelo Decreto n.º 47.508, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 20, de 24 de janeiro de 1967.

Em 1974 os seus proprietários realizaram trabalhos de consolidação das ruínas, sob a orientação da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN).

Da sua estrutura restam apenas alguns panos murários em ruínas, cercadas por casas e prédios. Em 2011 a Câmara Municipal da Figueira da Foz colocou no local um marco identificativo, hoje completamente oxidado.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado, de enquadramento rural, no topo de um pequeno outeiro, na cota de 25 metros acima do nível do mar.

Constituiu-se em uma simples bateria de planta semicircular, com parapeitos rasgados primitivamente por 10 canhoneiras das quais subsistem apenas 8, com a função de cruzar fogos com a fortificação de Buarcos a norte, na defesa da enseada de Buarcos, e o Forte de Santa Catarina, a sul. A sua ação era conjugada com o apoio da infantaria e da cavalaria impedindo eventuais desembarques. Dispunha de uma Casa da Guarda, hoje desaparecida.

Related bibliography 


 Print the Related bibliography

Contribution

Updated at 24/12/2015 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (4).


  • Fortim dos Palheiros

  • Fortim de Palheiros, Fortim da Enseada, Fortim do Centro

  • Fortin





  • Portugal


  • Ruins Badly Conserved

  • National Protection
    Os restos do antigo fortim encontram-se classificados como Imóvel de Interesse Público, inicial e incorretamente com a designação de "Forte dos Redondos" pelo Decreto n.º 45.327, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 251, de 25 de outubro de 1963, retificado como “Fortim dos Palheiros” pelo Decreto n.º 47.508, publicado no Diário do Governo, I Série, n.º 20, de 24 de janeiro de 1967.





  • Ruins

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Coimbra
    City: Figueira da Foz



  • Lat: 40 -10' 32''N | Lon: 8 52' 5''W


  • Parque do Palácio Sotto Maior

  • Aberto ao público 24 horas por dia, o ano todo.




  • 1974: Os seus proprietários realizaram trabalhos de consolidação das ruínas, sob a orientação da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN).




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fortim dos Palheiros