Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém

Belém, Pará - Brazil

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

A Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém localizava-se sobre uma pequena ilha rochosa, dominando a barra do canal de navegação que dá acesso ao porto de Belém, no Estado do Pará.

GARRIDO (1940) refere que esta estrutura foi erguida em 1686, por Paulo Cesar de Menezes, sobre os destroços de outra, que remontava a 1615, erguida por Francisco Caldeira Castelo Branco (op. cit., p. 33).

Em 1685, o Capitão da Guarnição do Pará Antônio Lameira Franco, requereu ao Governador e Capitão-General do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Gomes Freire de Andrada, autorização para construir uma fortificação às suas próprias expensas, com a condição de dela manter o seu comando vitalício. Obteve despacho favorável à sua petição, e no ano seguinte (1686) se iniciavam as obras, conduzidas pelo Engenheiro Joseph Velho Azevedo. A estrutura apresentava planta circular, com duas ordens de baterias superpostas, uma para tiro à flor d'água, e outra em plataforma dominante. Dela existem duas plantas datadas do final do século XVII (Planta da Fortaleza da Barra do Pará, c. 1695. Planta da Fortaleza da barra do Pará, por José Coelho de Azevedo, c. 1696. Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa) (IRIA, 1966:40-41). A partir de 1770 foi construída uma sapata em torno da fortaleza, para proteger-lhe os alicerces das muralhas da ação erosiva das águas do rio (BARRETTO, 1958:46).

No contexto da Cabanagem (1835-40), o Tenente-Coronel Félix Antônio Clemente Malcher, que se encontrava preso nas celas desta fortaleza, delas foi libertado, sendo aclamado presidente da Província.

BAENA (1839) dedica os seguintes comentários a esta praça:

"Pela parte do mar não é a cidade [de Belém] defendida, porque só tem a chamada fortaleza da Barra, que circundam as ondas do Guajará, edificada desde 1686, sobre a extermidade do banco mergulhante de pedra, que se estende do Val de Cães para baixo, cuja extremidade cobre-se pelas águas ascendentes no fluxo do mar, e está próxima ao canal, em que resvalam os navios que apontam ao porto, e dista da cidade 3.725 braças craveiras. Não é portanto, por suas condições de posição e de construção, uma fortaleza marítima, que reúna em si todos os meios precisos para repelir eficazmente qualquer ataque naval." (BAENA, Antônio Ladislau Monteiro. Ensaio Chorographico do Pará. 1839. apud SOUZA, 1885:67) e que 

"(...) tanto pela qualidade dos materiais como pelo seu curto âmbito e sistema de fortificação parece antes destinada para os cortejos da etiqueta do que para a defesa do porto." (BAENA, Antônio Ladislau Monteiro. Ensaio Chorographico do Pará. 1839. apud SOUZA, 1885:35) 

Embora ACCIOLI tenha atribuído a esta fortificação 35 peças de artilharia (ACCIOLI, Inácio. Corografia Paraense), o Mapa anexo ao Relatório do Ministério da Guerra de 1847 atribui-lhe apenas doze (SOUZA, 1885:67). GARRIDO (1940) complementa que o Ministro da Guerra, em 1853, solicitou que lhe fossem feitas melhorias, tendo-lhe sido efetuados reparos em 1874. Em 1907, sendo o Marechal Hermes da Fonseca titular do Ministério da Guerra, foram-lhe projetadas melhorias, que entretanto não saíram do papel. À época do autor (1940), encontrava-se em condições precárias de conservação (op. cit., p. 34). 

Utilizada como depósito de inflamáveis durante a década de 1940, a queda de um raio a 9 de maio de 1947 causou uma explosão que lhe destruiu as instalações. BARRETTO (1958) dá como causa para o acidente um curto-circuito na instalação elétrica. (Op. cit., p. 46).



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 

Fortificações do Brasil: Resumo Histórico
Anníbal Barretto

Book
1958
 
O Exército na História do Brasil

Book
1998
 
Fortalezas Multimídia
Roberto Tonera

Cd-Rom
2001
 
As fortificações da Amazônia no período colonial
Arthur Cézar Ferreira Reis

Article
1984
 
Das condições defensivas da Capitania do Pará ao findar o século XVIII
Arthur Cézar Ferreira Reis

Article - Magazine
1943
 
Ilhas e fortes da Baía do Guajará em Belém do Pará, Brasil.
Roseane da Conceição Costa Norat
Marcondes Lima da Costa

Article - Magazine
2016
 
Ilhas e fortes da Baía do Guajará: a Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém do Pará, Brasil
Roseane da Conceição Costa Norat
Marcondes Lima da Costa

Article - Magazine
2016
 
Materiais construtivos e sua biodeterioração em fortificações da Amazônia
Roseane da Conceição Costa Norat

Thesis
2017
 
Relatório do Ministro da Guerra, Sebastião do Rego Barros, em 1838
Sebastião do Rego Barros

Printed Document
1838
 
Fortificações portuguesas no Brasil: dos descobrimentos à época pombalina

Book
1999
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em 1871
José Maria da Silva Paranhos

Printed Document
1871
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1847
João Paulo dos Santos Barreto

Printed Document
1847
 
Relatório do Ministro da Guerra, Manoel Felizardo de Souza e Mello, em 1848

Printed Document
1848
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1846
João Paulo dos Santos Barreto

Printed Document
1846
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1874
João José de Oliveira Junqueira

Printed Document
1874
 
Relatório do Ministro da Guerra, Filippe Franco de Sá, em 1884
Filippe Franco de Sá

Printed Document
1884
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1886
João José de Oliveira Junqueira

Printed Document
1886
 
Relatório do Ministro da Guerra, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, em 1887
Joaquim Delfino Ribeiro da Luz

Printed Document
1887
 
Relatório do Ministro da Guerra, Thomaz José Coelho de Almeida, em 1888
Thomaz José Coelho de Almeida

Printed Document
1888
 
Relatório do Ministro da Guerra, Thomaz José Coelho de Almeida, em 1889
Thomaz José Coelho de Almeida

Printed Document
1889
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Nepomuceno de Medeiros Mallet, em 1900
João Nepomuceno de Medeiros Mallet

Printed Document
1900
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Nepomuceno de Medeiros Mallet, em maio de 1902
João Nepomuceno de Medeiros Mallet

Printed Document
1902
 
Relatório do Ministro da Guerra, Francisco de Paula Argollo, em maio de 1903
Francisco de Paula Argollo

Printed Document
1903
 
Relatório do Ministro da Guerra, Hermes Rodrigues da Fonseca, em maio de 1907
Hermes Rodrigues da Fonseca

Printed Document
1907
 
Relatório do Ministro da Guerra, Hermes Rodrigues da Fonseca, em junho de 1908
Hermes Rodrigues da Fonseca

Printed Document
1908
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1916
José Caetano de Faria

Printed Document
1916
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Pandiá Calógeras, em outubro de 1922
João Pandiá Calógeras

Printed Document
1922
 

 Print the Related bibliography



Related links 

Forte de Nossa Senhora das Mercês da barra de Belém
Página da enciclopédia Wikipédia versando sobre o Forte de Nossa Senhora das Mercês da barra de Belém, que se localizava em uma pequena ilha rochosa, dominando a barra do canal de navegação que dá acesso ao porto de Belém, no Estado do Pará, no Brasil.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Nossa_Senhora_das_Merc%C3%AAs_da...

 Print the Related links

Contribution

Updated at 30/12/2015 by the tutor Roberto Tonera.

With the contribution of contents by: Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém


  • Fortress

  • 1686 (AC)


  • Joseph Velho Azevedo


  • Portugal


  • Missing






  • Disappeared

  • ,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Pará
    City: Belém

    Localizada sobre uma pequena ilha rochosa, dominando a barra do canal de navegação que dá acesso ao porto de Belém, na cidade de Belém, no Estado do Pará.


  • Lat: 1 14' 49''S | Lon: 48 29' 57''W




  • Embora ACCIOLI tenha atribuído a esta fortificação 35 peças de artilharia (ACCIOLI, Inácio. Corografia Paraense), o Mapa anexo ao Relatório do Ministério da Guerra de 1847 atribui-lhe apenas doze (SOUZA, 1885:67).

  • A estrutura inicial apresentava planta circular, com duas ordens de baterias superpostas, uma para tiro à flor d'água, e outra em plataforma dominante.

  • A partir de 1770 foi construída uma sapata em torno da fortaleza, para proteger-lhe os alicerces das muralhas da ação erosiva das águas do rio (BARRETTO, 1958:46).
    Sofreu reparos em 1874.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém