Old Castle of Alcoutim

Alcoutim, Faro - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O "Castelo Velho de Alcoutim", também referido como "Castro de Santa Bárbara", localiza-se na freguesia de União das Freguesias de Alcoutim e Pereiro, no concelho de Alcoutim, distrito de Faro, em Portugal.

No alto do cerro de Santa Bárbara, em posição dominante sobre o rio Guadiana, a cerca de um quilómetro a norte da vila de Alcoutim, constituiu-se em um dos mais importantes exemplares de arquitetura militar muçulmana no Algarve.

História

As pesquisas arqueológicas documentam adequadamente a sua edificação, a partir da formação do Emirado de Córdoba (929-1031), embora a opção muçulmana pela fortificação do local ainda não seja plenamente compreendida pelos estudiosos. É certo, entretanto, que essa defesa foi determinada pela navegação no rio Guadiana e pela importância da atividade mineradora na região à época.

No século X, com o estabelecimento do Califado Omíada de Córdova, registou-se a restruturação urbana no recinto do castelo, com a reparação das muralhas e o acrescento de um torreão junto da porta principal.

Abandonada durante o século XI em circunstâncias desconhecidas, a estrutura gradativamente caiu em ruínas. Após Reconquista cristã da região, os soberanos de Portugal privilegiaram o sítio da atual vila, para cuja defesa erigiram o Castelo de Alcoutim (castelo novo).

De 1986 a 1993 foi objeto de diversas campanhas de pesquisa arqueológica sob a responsabilidade da Prof.ª Helena Maria Gomes Catarino, com recursos oriundos do IPA com apoio logístico da Câmara Municipal de Alcoutim. O projeto, denominado Povoamento e fortificações islâmicas do Algarve Oriental: o Castelo Velho de Alcoutim e o seu território mineiro buscou estudar o chamado Castelo Velho e seu território, privilegiando aspectos culturais do processo de islamização e a sua relação com as atividades económicas regionais, em particular a mineração.

Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 67/97, publicado no Diário da República, I Série-B, n.º 301, de 31 de dezembro.

Na primeira década do século XXI tiveram lugar obras de requalificação apoiadas pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Portugal-Espanha, integradas no Projeto Guaditer.

A partir de 2011 tive lugar a construção de proteção das muralhas através de guarda-corpos em aço inox integrados na arquitetura das muralhas, permitindo aos visitantes desfrutar da paisagem envolvente. Procedeu-se ainda a construção de um passadiço no Núcleo de Arqueologia, permitindo a visualização do espaço arqueológico.

Características

Exemplar de arquitetura militar, de estilo moçárabe, de enquadramento rural.

O conjunto compõe-se de dois recintos fortificados, ambos de planta retangular, em pedra de xisto irregular solta, argamassada com terra, característica da arquitetura Omíada:

• o interior, em cota mais elevada, corresponde à alcáçova. Apresenta planta retangular irregular com cerca de 32 metros de comprimento por 22 metros de largura (c. 704 m²), com os muros com cerca de 2 metros de espessura, reforçados por diversas torres de planta quadrangular e retangular, nenhuma delas posicionada nos ângulos. Os muros apresentam, na face externa, buracos destinados ao escoamento de águas pluviais ou esgotos. No seu interior encontram-se restos de paredes de vários edifícios: os da 1.ª fase, afastados das muralhas, e os da 2.ª fase, adossados à muralha e cortando completamente os anteriores. Do período califal existem ainda vestígios de um edifício retangular central, cujas paredes se encostam a muros anteriores. O tipo de aparelho aponta para uma tipologia tipicamente omíada, com certas influências sírio-palestinianas e bizantinas. A muralha norte é rasgada por uma estreita porta e o troço voltado sobre o rio Guadiana terá sido reforçado durante o século XI, mesma época em que terá sido construído o torreão (5,30 metros de comprimento por 3,80 metros de largura) destinado a reforçar a defesa da porta principal, rasgada a leste. Aqui se encontra também a cisterna, com cerca de 5,60 metros de comprimento por 2,50 metros de largura, e paredes com espessura de 0,90-0,70 metros.

• o exterior, delimitado pela cerca que defende o povoado, na encosta. Identificada pela análise dos taludes e pela observação dos tramos visíveis à superfície do solo, apresenta planta retangular e os seus muros são reforçados por torres adossadas. Na cerca abre-se uma porta em cotovelo, que se comunicava com o setor residencial extramuros que se estendia até à margem do Guadiana.



 Related character

Duarte de Armas
Portugal
 

 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography



Related links 

Castelo Velho de Alcoutim
Artigo de Apoio na Infopédia, da Porto Editora, sobre a fortificação.

https://www.infopedia.pt/$castelo-velho-de-alcoutim

 Print the Related links

Contribution

Updated at 23/10/2015 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Old Castle of Alcoutim

  • Castro de Santa Bárbara

  • Castle





  • Portugal


  • Conserved Ruins

  • National Protection
    Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto n.º 67/97, publicado no Diário da República, I Série-B, n.º 301, de 31 de dezembro.





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Faro
    City: Alcoutim



  • Lat: 37 -29' 10''N | Lon: 7 28' 21''W






  • 2011: construção de proteção das muralhas através de guarda-corpos em aço inox integrados na arquitetura das muralhas, permitindo aos visitantes desfrutar da paisagem envolvente. Procedeu-se ainda a construção de um passadiço no Núcleo de Arqueologia, permitindo a visualização do espaço arqueológico.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Old Castle of Alcoutim