Forte do Paço

Arruda dos Vinhos, Lisboa - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (2)

Images (2)

O "Forte do Paço” (“Obra Militar n.º 12”) localiza-se junto ao Casal do Castelo, na freguesia de Arranhó, concelho de Arruda dos Vinhos, distrito de Lisboa, em Portugal.

Situa-se no alto de uma escarpa rochosa por cima da estrada de Arruda, sobranceiro à povoação do Paço. Coincide com o sítio arqueológico do Castelo.

História

O sítio arqueológico do Castelo

Descoberto em 1987 por Joaquim Gonçalves, habitante de Sobral de Monte Agraço, o sítio constitui-se em um dos mais importantes testemunhos de castros da região da Bacia Hidrográfica do Tejo, a par do sítio arqueológico da Pedra de Ouro (Alenquer) e do Castro do Zambujal (Torres Vedras).

O sítio foi alvo de campanhas de escavações arqueológicas de 1988 a 1993, pelos Arqueólogos da Assembleia Distrital de Lisboa, João Ludgero Gonçalves e Guilherme Cardoso, sendo trazidos à luz diversos artefactos datados do Calcolítico, uma torre semicircular da Idade do Cobre, construída com grandes pedras e que fará parte de um complexo de muralhas de um povoado fortificado, e alguns artefactos datados do período da Romanização, estes em menor quantidade.

O forte oitocentista

Foi erguido de 1809 a 1810, no contexto da Guerra Peninsular (1808-1814), inserido no 2.º Distrito da 1.ª Linha do sistema defensivo das Linhas de Torres Vedras. Tinha a função de proteção da estrada de Arruda para Sobral de Monte Agraço para o que cooperava com o Moinho do Céu (Obra Militar n.º 11), localizado à sua direita, e com o forte da Caneira (Obra Militar n.º 13), à sua esquerda.

Findo o conflito, o conjunto caiu em abandono até aos nossos dias, quando o património das Linhas de Torres voltou a ser revalorizado.

Foi declarado em Vias de Classificação, incluído no processo da “1.ª e 2.ª Linhas de Defesa a Norte de Lisboa durante a Guerra Peninsular, também conhecidas como Linhas de Torres, nos concelhos de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa” (128 obras militares), pelo anúncio n.º 12/2013, publicado no Diário da República, 2.ª Série, n.º 9, de 14 de janeiro.

O conjunto das fortificações das Linhas de Torres Vedras foi declarado património nacional pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) no dia 1 de março de 2018, sendo classificado como Monumento Nacional em 21 de março de 2019.

Características

Exemplar de arquitetura militar oitocentista, de enquadramento rural, isolado, na cota de 283 metros acima do nível do mar.

Apresenta planta poligonal irregular com 11 lados, em cujo terrapleno se erguia o paiol. Possuía uma plataforma artilhada com 3 peças do calibre 9 jogando à barbeta. Estava guarnecido por 120 homens.

  • Forte do Paço

  • Obra Militar n.º 12

  • Fort

  • 1809 (AC)

  • 1810 (AC)


  • Maria I of Portugal

  • Portugal


  • Featureless and Well Conserved

  • National Protection
    O conjunto das fortificações das Linhas de Torres Vedras foi declarado património nacional pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) no dia 1 de março de 2018, sendo classificado como Monumento Nacional em 21 de março de 2019.



  • +351 263 977 035

  • servicoeducativo@cm-arruda.pt

  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Lisboa
    City: Arruda dos Vinhos



  • Lat: 38 -60' 21''N | Lon: 9 7' 5''W




  • 1809-1810: 3 peças do calibre 9



  • Fortificação das Linhas de Torres Vedras



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Forte do Paço