Brodick Castle

Arran, Scotland - United Kingdom

O “Castelo de Brodick” (em inglés “Brodick Castle”) localiza-se próximo ao porto de Brodick, na ilha de Arran, no Firth of Clyde, na Escócia.

História

A primitiva fortificação do local remonta pelo menos ao século V, momento em que invasores Escotos chegaram de Antrim para expandir o reino Dalriada.

No século X a influência norueguesa na região aumentou, e Arran passou a fazer parte das chamadas “Súðreyjar” ou "ilhas meridionais" (atuais Hébridas Exteriores), administradas a partir de Dublín ou das Órcadas, e nominalmente sob o controlo do rei da Noruega. São testemunho desta influência alguns topónimos na ilha, inclusive o próprio Brodick, que oriundo de “Breiðvík” (“baía larga”). O seu local revestiu-se de importância durante a Idade Média, graças à sua posição estratégica no Firth of Clyde.

Em meados do século XIII Arran formava parte do Reino de Mann e das Ilhas, governado por dois vice-reis noruego-escotos, delegados, a seu turno, de Haakon IV da Noruega (1217-1263). À época, Alexandre III da Escócia (1249-1286), que herdara de seu pai o desejo de dominar as ilhas para ampliar o seu reino, realizou numerosas tentativas, infrutíferas, para consegui-lo. Em 1262 o “jarl” (conde) de Ross saqueou a ilha de Skye com a aprovação do soberano escocês. Haakon decidiu retaliar esta afronta e, deste modo, em julho de 1263 partiu para a Escócia no comando de uma grande frota. Após unir forças com as frotas dos seus vice-reis e mostrar o seu poder ao largo das Hébridas, as forças de Haakon ancoraram na baía de Lamlash, em Arran, onde parlamentaram com enviados do soberano escocês. A delegação escocesa não atingiu o seu objetivo de apaziguar o soberano norueguês, ferindo-se a Batalha de Largs, a pouca distância de Arran no Firth of Clyde. Os escoceses saíram vitoriosos da batalha, e as forças norueguesas retiraram de volta a Arran, e depois às Órcadas, onde Haakon veio a falecer. O Tratado de Perth (1266), cedeu o domínio das ilhas à Escócia.

Os falecimentos prematuros tanto de Alexandre III como de sua herdeira, Margarida I da Escócia (1286-1290), eventualmente conduziram às Guerras de independência da Escócia (séculos XIII e XIV). Em 1291, Eduardo I da Inglaterra (1272-1307) foi chamado para eleger o sucessor do trono da Escócia. O eleito foi John Balliol (1292-1296), que teve que aceitar Eduardo I como seu soberano. John desafiou Eduardo I em 1295, ao deixar de responder ao pedido de auxílio deste último para a guerra contra a França. Desse modo, Eduardo I invadiu a Escócia, forçando John a abdicar. Neste contexto, o castelo de Brodick aquartelou algumas companhias do exército inglês.

Após o período em que Robert, o Bruce passou escondido, depois de sua derrota na Batalha de Methven (1306), o castelo de Brodick foi o primeiro que conquistou na sua luta para reconquistar o país.

Em 1406, o castelo ficou seriamente danificado durante um ataque inglês. Danos ainda maiores foram inflingidos à fortificação por John de Islay em 1455.

Em algum momento após 1470 o castelo foi doado por Jaime III da Escócia (1460-1488) ao seu cunhado, James Hamilton (1.º Lorde Hamilton). O seu filho, James Hamilton, foi nomeado conde de Arran em 1503.

Sob o domínio dos Hamilton, o antigo castelo medieval foi reconstruído em 1510 com a configuração de uma casa-torre senhorial. Entretanto, sofreu novos danos durante o chamado “Rough Wooing” (1543-1551) de Maria da Escócia: o conde de Lennox atacou o castelo por ordem de Henrique VIII da Inglaterra (1509-1547), como represália pelas ações do 2.º conde de Arran, que havia tentado casar Maria da Escócia com Francisco II de França (1558-1560). O castelo continuou a ser reconstruído e ampliado nessa época.

O castelo também esteve envolvido nas guerras religiosas do século XVII: em 1639 a Escócia dividiu-se entre o Presbiterianismo e o Episcopalismo. James Hamilton foi enviado pelo soberano inglês para tentar impor a dissolução da Igreja da Escócia. Archibald Campbell, marqués de Argyll, regente “de facto” da Escócia e líder da facção presbiterianista, sitiou Hamilton no Castelo de Brodick. A posse do castelo alternou-se durante os anos seguintes entre Hamilton e Campbell. Em 1650, forças parlamentaristas de Oliver Cromwell ganharam o controlo do castelo e ampliaram as suas defesas, acrescentando-lhe uma bateria de artilharia para defender o Firth of Clyde.

Findo o conflito, o castelo, em mãos dos Hamilton, foi utilizado principalmente como residência de recreio, nomeadamente para atividades de caça. Já no século XIX converteu-se em residência do filho mais velho de Alexander Hamilton (10.º duque de Hamilton).

Em 1844 teve lugar uma vasta campanha de reconstrução e ampliação do castelo, que quase triplicou o seu tamanho, sob a supervisão do arquiteto James Gillespie Graham.

Em 1906 a última descendente da família Hamilton casou com James Graham, 6.º duque de Montrose, de maneira a que, pela primeira vez em mais de cinco séculos, o castelo deixou de pertencer aos Hamilton. Esteve habitado até 1958.

Encontra-se classificado na categoria “A” do “Listed Building” desde 14 de abril de 1971.

Em nossos dias, o castelo e os jardins que o envolvem são propriedade do National Trust for Scotland.

Contribution

Updated at 13/04/2018 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.


  • Brodick Castle


  • Castle





  • United Kingdom


  • Featureless and Well Conserved

  • National Protection
    Encontra-se classificado na categoria “A” do “Listed Building” desde 14 de abril de 1971.

  • National Trust of Scotland




  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : United Kingdom
    State/Province: Scotland
    City: Arran



  • Lat: 55 -36' 22''N | Lon: 5 9' 3''W



  • O castelo encontra-se aberto ao público entre abril e outubro, das 11h00 às 16h00.








Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Brodick Castle