Fort Santiago

Manila, Manila - Philippines

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (8)

Images (8)

O “Forte de Santiago” (em castelhano: “Fuerte de Santiago”; em filipino: “Moog ng Santiago”) localiza-se na cidade de Manila, província e região de Grande Manila, na ilha de Luzon, nas Filipinas.

Situa-se a alguns metros da Catedral de Manila e do antigo Palácio do Governador (que atualmente abriga a Comissão Eleitoral).

Integra a cidadela muralhada ("Intramuros") erguida por forças espanholas para defesa das suas instalações (civis, religiosas, militares), que deu nome à rota de comércio – Rota de Manila, também referida como “Galeão de Manila” – por onde se trocavam produtos do Oriente, nomeadamente a China, pela prata extraída do continente americano.

Constituiu a principal estrutura defensiva do governo espanhol nas Filipinas, sendo atualmente um dos locais históricos mais importantes de Manila. Muitas pessoas perderam a vida em suas prisões não apenas durante o período colonial, mas também na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

História

Antecedentes

Em meados do século XVI, Maynilad (atual Manila) era um próspero povoado sob a liderança do Rajá Matanda e do príncipe-herdeiro, Rajá Solimão. Este último controlava o tráfego de mercadorias chinesas, transportadas pelo rio Pasig para os assentamentos em Laguna de Bay, a partir de uma paliçada de troncos de palmeira e terra apiloada, artilhada com peças de bronze.

Em 1570, os conquistadores espanhóis Martín de Goiti e Juan de Salcedo alcançaram a área de Maynilad, recebendo as boas-vindas, a amizade e presentes de Solimão. Porém, logo o governante percebeu que os recém-chegados não tinham vindo apenas visitar a ilha, mas ambicionavam as suas terras e os seus recursos. Assim, aliado ao Rajá Matanda de Sapa e ao Lakandula de Tondo, opôs-se aos espanhóis, visando expulsá-los da área.

Na manhã de 24 de maio de 1570 feriu-se a batalha de Bangkusay, antigo distrito que hoje pertence ao distrito de Tondo. Os aliados eram numericamente superiores – na casa dos milhares – aos cerca de 300 soldados espanhóis (principalmente guerreiros Tlaxcaltecas, do México) apoiados por cerca de 600 filipinos cristianizados, de diversas etnias, oriundos de Panay. Entretanto sucumbiram diante do armamento superior dos espanhóis, vindo os três governantes aliados a ser capturados, e Maynilad a ser totalmente destruída pelo fogo. Os sobreviventes das forças aliadas retiraram para a selva para se reorganizarem e, em pouco tempo iniciaram uma revolta durante a qual sitiaram os assentamentos espanhóis em Manila por meses, vindo o Mestre-de-Campo Martín de Goiti a perecer nos combates. Após meses de luta, liderados por Juan de Salcedo, os espanhóis conseguiram repelir os sitiantes em 24 de junho de 1571. Desse modo, pouco depois da chegada de reforços sob o comando de Miguel López de Legazpi, os filipinos finalmente se renderam à superioridade espanhola. Como resultado, os líderes, incluindo Solimão, converteram-se à fé católica, recuperaram os seus privilégios, foram integrados ao sistema colonial de governo e, a partir de então, governaram sob controlo espanhol.

Fazendo de Manila a sua capital, os espanhóis começaram a construir um forte na foz do rio Pasig, sob a invocação de Santiago Maior, santo padroeiro da Espanha, cujo baixo relevo adorna o Portão de Armas. Martirizado c. 44 em Jerusalém, também é referido em castelhano como “Matamoros”, devido à lenda que afirma que ele, milagrosamente, surgiu para combater na lendária batalha de Clavijo (23 de maio de 844).

Primitivamente a fortificação consistia em uma simples muralha de faxina e terra apiloada. Foi sitiada e destruída em grande parte por piratas chineses sob a liderança de Limahong, no decurso de um sangrento conflito que se estendeu de 1574 a 1575 e que culminou com a derrota dos piratas.

La Fuerza de Santiago

De 1590 a 1593 a estrutura foi reconstruída em cantaria de tufo vulcânico aparelhado, extraído de Guadalupe (hoje Guadalupe Viejo, em Makati), do mesmo modo que as muralhas da cidadela espanhola (“Intramuros”), sob o governo de Gómez Pérez Dasmariñas y Ribadeneira, 17.º Governador-Geral das Filipinas (1590-1593). Esse forte consistia em uma estrutura abaluartada, de planta triangular, com a frente projetando-se na foz do rio. Uma série de arcos sustentavam uma bateria elevada sob a invocação de Santa Bárbara, padroeira da artilharia e formavam casamatas, que proporcionavam tiros rasantes. Uma cortina de muralhas, mais simples, sem contrafortes, estendiam os flancos até outro alçado, de frente para a cidade.

Em 1714 foi erguido o portão monumental do forte, junto com alguns quartéis. Os terremotos de Luzon de 1880, que destruíram grande parte da cidade de Manila, destruíram o edifício frontal do forte mudando o seu caráter.

Sob o governo de Fernándo Valdés y Tamon na década de 1730, uma grande plataforma de armas semicirculares para a frente chamada media naranja (metade laranja) e outra de dimensões menores para o flanco do rio foram adicionadas ao Baluarte de Santa Bárbara. As casamatas foram então preenchidas e as canhoneiras fechadas. Ele também mudou a cortina voltada para a cidade para uma frente abaluartada. Um parapeito inferior, que confronta com o fosso interior, conectou os dois baluartes.

No contexto da Guerra dos Sete Anos (1756-1763), em 24 de setembro de 1762 forças britânicas sob o comando do Brigadeiro-General William Draper e do Contra-Almirante Samuel Cornish invadiram e capturaram Manila e, com ela, o Forte de Santiago. Na ocasião, o forte passou a servir como base de operações para a Royal Navy, função que conservou até abril de 1764, quando um cessar-fogo foi acordado com os espanhóis.

No contexto da Guerra Hispano-Americana (21 de abril-13 de agosto de 1898), tendo a esquadra espanhola nas Filipinas, sob o comando do Almirante Patricio Montojo, sido derrotada pela esquadra estadunidense, sob o comando do Contra-Almirante George Dewey, na Batalha Naval de Cavite (1 de maio de 1898), os vencedores impuseram um bloqueio naval a Manila. Pelo lado de terra, a cidade foi, de pronto, cercada por forças insurreccionistas filipinas.

Durante o mês de julho, a Espanha desistiu dos esforços para recapturar as Filipinas, ao mesmo tempo em que reforços estadunidenses entraram na Baía de Manila. A 7 de agosto, com navios de guerra adicionais e um forte contingente do U.S. Army na área, Manila recebeu um ultimato de rendição. Após um forte bombardeamento da U.S. Navy ao Forte de San Antonio Abad, alguns quilómetros ao Sul da cidade, e a captura do mesmo, antes do meio-dia de 13 de agosto de 1898 o governo espanhol de Manila capitulou. No mesmo dia, a bandeira dos Estados Unidos foi hasteada no Forte de Santiago.

O forte serviu como quartel-general do U.S. Army e várias mudanças foram feitas no antigo forte pelos seus novos ocupantes. Uma dessas mudanças incluiu a drenagem dos fossos ao redor do forte, com a transformação dos terrenos em um campo de golfe.

No contexto da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o Forte de Santiago foi ocupado em 1942 pelo Exército Imperial Japonês, que utilizou as suas dependências (prisões, armazéns e paióis) para prender centenas de prisioneiros, que foram executados perto do fim do conflito, no chamado “Massacre de Manila” (fevereiro e março de 1945). O forte foi severamente danificado pelos bombardeios estadunidenses e filipinos durante a Batalha de Manila (3 de fevereiro-3 de março de 1945). Estima-se que aproximadamente 600 prisioneiros de guerra estadunidenses morreram sufocados ou famintos após terem sido mantidos em celas exíguas nas masmorras do Forte de Santiago.

Em nossos dias, o forte faz parte de um parque histórico que também inclui a Praça Moriones e várias ruínas. O parque abriga legados bem preservados do Período Colonial Espanhol, incluindo objetos do herói nacional filipino José Rizal (aqui executado pelos espanhóis em 1898), no Museu-Santuário de José Rizal, uma réplica de sua casa ancestral na província de Laguna.

Após a sua destruição durante a Segunda Guerra Mundial, o Forte de Santiago foi declarado como um Santuário da Liberdade (“Shrine of Freedom") em 1950. O seu restauro pelo governo filipino teve início em 1953 por iniciativa do Comitê Nacional de Desenvolvimento de Parques.

A requalificação do conjunto histórico do forte e da cidadela muralhada tornou certas áreas ideais para o teatro ao ar livre, piqueniques e como passeio. O Centro de Visitantes Intramuros propicia uma visão geral das diversas atrações oferecidas. A Administração Intramuros responde pela sua reconstrução, manutenção e gestão desde 1992.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado, de enquadramento urbano, localizada na foz do rio Pasig.

Apresenta planta de forma triangular, com um perímetro de 620 metros. A frente sul, que faceia a cidade, é uma cortina limitada por dois semi-baluartes: o Baluarte de San Fernando, à beira do rio, e o Baluarte de San Miguel, à beira da baía de Manila. A sua defesa é complementada, externamente, por um fosso inundado, alimentado pelas águas do rio, que separa a fortificação da cidadela.

Na sua face Sul, em lugar de um baluarte, ergue-se um cavaleiro de três faces, sob a invocação de Santa Bárbara. Uma das baterias está voltada ao ancoradouro, outra defende o Portão de armas e a última cobre o rio. Este cavaleiro liga-se a uma torre da mesma altura das muralhas, que por sua vez se liga a uma bateria à flor d’água disposta sobre uma plataforma semicircular, completando assim a forma triangular do forte.

As muralhas apresentam espessura de 2,4 metros, elevando-se a 6,7 metros de altura. O Portão de Armas monumental eleva-se a 12 metros de altura, rasgado na muralha Sul, voltada para a cidadela. A comunicação com o rio e com o mar é feita por uma poterna - o Postigo de la Nuestra Señora del Soledad. No interior do forte erguiam-se a casa do comandante e quartéis de tropas, capela, paiol, diversos armazéns e abria-se a cisterna.



 Related character


 Print the Related character



Related entries 


 Print the Related entries

Contribution

Updated at 26/12/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (8).


  • Fort Santiago

  • Moog ng Santiago, La Fuerza de Santiago

  • Fortress

  • 1571 (AC)



  • Philip II of Spain

  • Philippines


  • Restored and Well Conserved

  • National Protection
    Foi declarado como um Santuário da Liberdade (“Shrine of Freedom") em 1950.





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Asia
    Country : Philippines
    State/Province: Manila
    City: Manila

    Intramuros, Manila, 1002 Metro Manila, Filipinas


  • Lat: 14 -36' 22''N | Lon: 120 -59' 49''E










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fort Santiago