Forte do Morro do Pico

Niterói, Rio de Janeiro - Brasil

Pesquisa de Imagens da fortificação

Data 1 Data 2

Mídias (9)

Imagens (9)

O Forte do Morro do Pico localizava-se a cerca de 230m acima do nível do mar, no topo do morro do Pico, no lado esquerdo da barra da baía da Guanabara, no bairro de Jurujuba, município de Niterói, no litoral do Estado do Rio de Janeiro. Padrasto à Bateria de Nossa Senhora da Guia (atual Fortaleza de Santa Cruz), a ocupação do alto do Morro do Pico, a 230m acima do nível do mar, remonta ao estabelecimento, a partir de 1567, de um posto de observação subordinado à primeira. Sob o governo do Vice-rei D. Luís de Almeida Portugal (1769-79), esta posição foi transformada em Bateria (Bateria do Pico), quando da construção do Forte de São Luís, a quem passou a se subordinar. À época do Império, devido às repetidas crises do período regencial (1831-40), o Decreto de 24/dez/1831 manda desarmá-la. Segundo Garrido (1940), recebeu obras de reforço, no contexto da Questão Christie (1862-65), quando também foi denominado como Forte do Pico. Em 1913, o Marechal Hermes da Fonseca promove a modernização deste forte, construindo na sua parte mais elevada uma nova estrutura escavada parcialmente na rocha, e artilhando-a com quatro obuseiros Krupp de 280 mm, em casamatas. Inaugurada em 1918, os seus canhões abrem fogo contra os revoltosos do Forte de Copacabana (jul/1922) e contra o Presidente Washington Luís (1926-30), apoiando os revolucionários de Getúlio Vargas (1930). Barretto (1958) refere que pelo Decreto 3.329, de 25/nov/1938, o conjunto defensivo recebe a designação atual de Forte Barão do Rio Branco, estando guarnecido ao final da década de 1950 pela 1ª Bateria de Obus de Costa (BOC). Incorporou, numa área total de 5.850 m2, a antiga Bateria da Praia de Fora, e o Forte de São Luís com a antiga Bateria/Forte do Pico. A partir de 1992 o conjunto passa a abrigar parte do 8º GACosM (Grupo de Artilharia de Costa Motorizado), responsável ainda pela Fortaleza de Santa Cruz e pelo Forte Dom Pedro II do Imbuhy.

Seu acesso é feito pelo Forte Barão do Rio Branco, Alameda Marechal Pessoa Leal nr. 265, no bairro de Jurujuba, município de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro.

 



 Personagens relacionados


 Imprimir Personagens relacionados

Bibliografias relacionadas 

Fortificações do Brasil: Resumo Histórico
Anníbal Barretto

Livro
1958
 
Fortificações do Brasil
Carlos Miguez Garrido

Livro
1940
 
Fortificações Portuguesas no Brasil
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Livro
2004
 
Fortalezas Multimídia
Roberto Tonera

Cd-Rom
2001
 
Muralhas de pedra, canhões de bronze, homens de ferro: fortificações do Brasil de 1504 a 2006 - Tomo I
Adler Homero Fonseca de Castro

Livro
2009
 
Actas virtuais do 6° Seminário Regional de Cidades Fortificadas e 1° Encontro Técnico de Gestores de Fortificações
Universidade Federal de Santa Catarina

Anais
2010
 
Programa de revitalização e uso turístico-cultural das Fortificações históricas da Baía de Guanabara
José Cláudio dos Santos Júnior

Artigo
2010
 
Fortes da Banda d´Além: Niterói na defesa da Baía de Guanabara
Cesar Augusto Ornellas Ramos

Artigo
2004
 
Os inexpugnáveis: conheça a história dos fortes que guardaram por quatro séculos a Baía de Guanabara
Bárbara Reis

Artigo
2012
 
Fortes
Ricardo Fasanello
José Carlos Vieira de Figueiredo

Livro
2013
 
Relatório do Ministro da Guerra, Sebastião do Rego Barros, em 1838
Sebastião do Rego Barros

Documento Impresso
1838
 
Relatório do Ministro da Guerra, Manuel José Vieira Tosta, Barão de Muritiba, em 1870
Manuel José Vieira Tosta (Muritiba)

Documento Impresso
1870
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em 1871
José Maria da Silva Paranhos

Documento Impresso
1871
 
Relatório do Ministro de Guerra, José Maria da Silva Paranhos, em 1871
José Maria da Silva Paranhos

Documento Impresso
1871
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1875
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1875
 
Relatório do Ministro da Guerra, Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias (1876-1877)
Luís Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias)

Documento Impresso
1877
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1847
João Paulo dos Santos Barreto

Documento Impresso
1847
 
Relatório do Ministro da Guerra, Manoel Felizardo de Souza e Mello, em 1848

Documento Impresso
1848
 
Relatório do Ministro da Guerra, Manoel Felizardo de Souza e Mello, em janeiro de 1850
Manoel Felizardo de Souza e Mello

Documento Impresso
1850
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Egídio Gordilho de Barbuda Filho, Visconde de Camamú, em 1865
José Egídio Gordilho de Barbuda Filho

Documento Impresso
1865
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Paulo dos Santos Barreto, em 1846
João Paulo dos Santos Barreto

Documento Impresso
1846
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Lustoza da Cunha Paranaguá, em 1867
João Lustoza da Cunha Paranaguá

Documento Impresso
1867
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em maio de 1872
José Maria da Silva Paranhos

Documento Impresso
1872
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em dezembro de 1872
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1872
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1873
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1873
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1874
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1874
 
Relatório do Ministro da Guerra, Carlos Affonso de Assis Figueiredo, em 1883
Carlos Affonso de Assis Figueiredo

Documento Impresso
1883
 
Relatório do Ministro da Guerra, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, em 1887
Joaquim Delfino Ribeiro da Luz

Documento Impresso
1887
 
Relatório do Ministro da Guerra, Thomaz José Coelho de Almeida, em 1888
Thomaz José Coelho de Almeida

Documento Impresso
1888
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Thomaz Cantuária, em maio de 1898
João Thomaz Cantuária

Documento Impresso
1898
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Nepomuceno de Medeiros Mallet, em maio de 1899
João Nepomuceno de Medeiros Mallet

Documento Impresso
1899
 
Inovação Institucional e Patrimônio Cultural de Origem Militar no Brasil
Flávia Ferreira de Mattos

Tese
2018
 
Relatório do Ministro da Guerra, João Nepomuceno de Medeiros Mallet, em maio de 1902
João Nepomuceno de Medeiros Mallet

Documento Impresso
1902
 
Relatório do Ministro da Guerra, Francisco de Paula Argollo, em 1906
Francisco de Paula Argollo

Documento Impresso
1906
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1915
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1915
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1916
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1916
 
Relatório do Ministro da Guerra, José Caetano de Faria, em maio de 1918
José Caetano de Faria

Documento Impresso
1918
 
Relatório do Ministro da Guerra, Eurico Gaspar Dutra, em novembro de 1940
Eurico Gaspar Dutra

Documento Impresso
1940
 
Relatório do Ministro da Guerra, João José de Oliveira Junqueira, em 1886
João José de Oliveira Junqueira

Documento Impresso
1886
 
O último argumento dos reis: artilharia e fortificações
Adler Homero Fonseca de Castro

Artigo - Revista
2004
 
Rio de Janeiro’s fortifications in the 20th century
Adler Homero Fonseca de Castro

Artigo - Revista
2009
 

 Imprimir Bibliografias relacionadas



Links relacionados 

Forte de São Luís
Página da Enciclopédia Wikipédia versando sobre o Forte de São Luís, que se localiza no lado esquerdo da barra da baía de Guanabara, no alto do morro do Pico, no bairro de Jurujuba, município de Niterói, no litoral do Estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_S%C3%A3o_Lu%C3%ADs
Fortificações de Niterói
Website Cultura Niterói, da Secretaria de Cultura e Fundação de Arte de Niterói, versando sobre a Fortaleza de Santa Cruz, e os Fortes Barão do Rio Branco, do Imbuí, São Luiz do Pico, Gragoatá e da Boa Viagem. Todas as fortificações localizam-se na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro.

http://www.culturaniteroi.com.br/modules.php?op=modload&name=Sections&...
Fortificações de Niterói
Website da Associação dos Taxistas do Campo de São Bento versando sobre os Fortes da Boa Viagem, do Gragoatá, do Imbuí e Barão do Rio Branco, do Pico, e sobre a Fortaleza de Santa Cruz. Todas as Fortificações localizam-se ou localizavam-se na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro.

http://www.taxicamposaobento.com/pontos/fortes.htm
Forte do Morro do Pico
Website Niterói Turismo, versando sobre o Forte do Morro do Pico, que se localiza na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro.

http://www.neltur.com.br/port/aondeir_fort_pico.htm
Fundação Cultural Exército Brasileiro: Projetos
Website da Fundação Cultural Exército Brasileiro, versando sobre as informações referentes ao Projeto Cultural Fortificações da Baía de Guanabara.

http://www.funceb.org.br/projetos/projetoguanabara.html
Forte do Morro do Pico
Website Guia de Praias, com texto versando sobre o Forte do Morro do Pico, que está localizado em Niterói, Estado do Rio de Janeiro.

http://www.guiadepraias.com.br/ponto.php?id=219
Niterói – Um passeio pelos Fortes São Luis, Rio Branco e do Pico
Este site remete a um Blog, que nos leva a um "passeio" à Zona Sul de Niterói (Rio de Janeiro), um lugar que possui o segundo maior complexo de fortes e fortalezas do Brasil. Entre essas fortificações estão: a Fortaleza de Santa Cruz, Rio Branco, Imbuí, e os Fortes de São Luís e do Pico.

http://www.perdidoporai.com/2012/07/niteroi-um-passeio-pelos-fortes-sa...
8º Seminário de Cidades Fortificadas
Website do 8ª Seminário de Cidades Fortificadas e 3ª Encontro de Gestores de Fortificações que foi realizado no período de 22 a 26 de outubro de 2012, no Forte de Copacabana, Rio de Janeiro, Brasil. As edições anteriores do Seminário podem ser acessadas no endereço: http://cidadesfortificadas.ufsc.br/

http://www.8seminariocidadesfortificadas.blogspot.com.br/
Roteiros dos Fortes: Baía de Guanabara
Este website é uma ferramenta a serviço da visitação aos fortes e fortalezas da baía de Guanabara. Nele você encontrará informações como as opções de circuitos internos de visitação nas diversas fortificações, links para agendas de eventos culturais das diferentes fortificações, opções de roteiros de visitação, diferentes percursos ligando as fortificações entre si e pontos de seus entornos. O site conta também com o webdocumentário “Nós do Forte” composto de cinco vídeos curtos sobre a presença dos Fortes na vida cotidiana de pessoas das cidades do Rio de Janeiro e Niterói.

http://www.roteirosdosfortes.com.br

 Imprimir Links relacionados


  • Forte do Morro do Pico


  • Forte

  • 1567 (DC)



  • Luís de Almeida Portugal Soares de Alarcão d'Eça e Melo Silva Mascarenhas (2º Marquês de Lavradio)

  • Portugal


  • Restaurada e Bem Conservada






  • Museu histórico militar

  • 5850,00 m2

  • Continente : América do Sul
    País : Brasil
    Estado/Província: Rio de Janeiro
    Cidade: Niterói

    Localizava-se a cerca de 230m acima do nível do mar, no topo do morro do Pico, no lado esquerdo da barra da baía da Guanabara, no bairro de Jurujuba, município de Niterói, no litoral do Estado do Rio de Janeiro.


  • Lat: 22 56' 11''S | Lon: 43 7' 24''W



  • Seu acesso é feito pelo Forte Barão do Rio Branco, Alameda Marechal Pessoa Leal nr. 265, no bairro de Jurujuba, município de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro.


  • Em 1913 foi artilhada com quatro obuseiros Krupp de 280 mm, em casamatas.


  • Segundo Garrido (1940), recebeu obras de reforço, no contexto da Questão Christie (1862-65), quando também foi denominado como Forte do Pico.
    Em 1913, o Marechal Hermes da Fonseca promove a modernização deste forte, construindo na sua parte mais elevada uma nova estrutura escavada parcialmente na rocha.




Imprimir o conteúdo


Cadastre o seu e-mail para receber novidades sobre este projeto


Fortalezas.org > Fortificação > Forte do Morro do Pico