Edo Castle

Tokyo, Tokyo - Japan

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (3)

Images (3)

O “Castelo de Edo” (em kanji: 江戸城; transliterado: “Edo-jō”), também referido como "Castelo Chiyoda" (em kanji: 千代田城; transliterado: “Chiyoda-jō”), localiza-se na região especial de Chiyoda, no centro da Metrópole de Tóquio, na ilha de Honshu, no Japão.

Edo, uma pequena povoação da região de Kanto, que originou a Metrópole de Tóquio, veio a constituir um vasto complexo militar, governado por dois magistrados, cada um dos quais responsável por uma de suas partes. Na ausência do “shōgun” a disciplina marcial era imposta pelos defensores, denominados “rusui”.

História

Por volta do final do Período Heian (794–1185) ou início do Período Kamakura (1185–1333), Edo Shigetsugu foi o primeiro “daimyō” a estabelecer-se nesta área, fixando residência nos atuais setores Honmaru e Ninomaru do castelo. O clã Edo desapareceu no século XV como resultado das rebeliões na Região de Kanto, e Ōta Dōkan, um vassalo da família Ogigayatsu Uesugi, construiu, em 1457, no local da antiga residência, o Castelo de Edo.

O castelo foi palco do Cerco de Edo, também referido como Batalha de Takanawahara (1524). O clã Hōjō tardio (1432-1591), liderado por Hōjō Ujitsuna, impôs cerco ao castelo então em mãos de Uesugi Tomooki. Ansioso por repelir os atacantes, Tomooki conduziu os seus guerreiros para fora do castelo para confrontar os Hōjō em batalha na travessia do rio Takanawa. No entanto, Ujitsuna manobrou os seus homens de modo a flanquear as forças de Tomooki e investindo sobre a retaguarda delas. Retirando para o seu castelo, Tomooki tomou conhecimento de que o comandante da sua guarnição, Ōta Suketaka, o havia traído ao abrir as portas do castelo para os Hōjō. Esta batalha marcou o início de um conflito que se estendeu por 17 anos entre os clãs Hōjō e Uesugi pelo domínio da região de Kanto.

Toyotomi Hideyoshi erradicou o poder dos Hōjō no Cerco de Odawara (1590), banindo Hōjō Ujinao e sua esposa Toku Hime (uma filha de Tokugawa Ieyasu) para o Monte Kōya, onde Ujinao faleceu em 1591. Quando Hideyoshi ofereceu a Tokugawa Ieyasu seis províncias orientais, Ieyasu aceitou, transferindo-se de Mikawa para a região de Kantō, fazendo do Castelo de Edo a sua base. Mais tarde, derrotou Toyotomi Hideyori, filho de Hideyoshi, na Batalha de Sekigahara (1600), e emergiu como líder político do Japão.

Em 1603 Tokugawa Ieyasu recebeu o título de “shōgun”, iniciando-se o Xogunato Tokugawa. Como residência do “shōgun” e sede do “bakufu”, o complexo do castelo funcionou como centro administrativo e militar durante o Período Edo (1603–1868). A sua área expandiu-se até atingir uma área de 16 quilómetros quadrados, nomeadamente após uma série de ampliações concluídas em 1636, sob o governo do “shōgun” Tokugawa Iemitsu, neto de Ieyasu.

O castelo foi destruído por um grande incêndio em 1657.

Em 21 de abril de 1701, Asano Naganori tentou matar Kira Yoshinaka no Grande Corredor de Pinheiros ("Matsu no Ōrōka") do castelo devido a graves insultos, episódio que serviu de base para a lenda dos “Quarenta e Sete Samurais” (em kanji: 赤穂浪士; transliterado “Ronin Akō”).

Durante a Restauração Meiji (1868),depois que o último “shōgun”, Tokugawa Yoshinobu, foi deposto, o castelo tornou-se a residência imperial, o “Kokyo” (Palácio Imperial).

Em outubro de 1868 o Castelo de Edo foi renomeado como Castelo de Tóquio (em kanji: 東京城; transliterado: “Tokyo-jō”) e, em 1869, Cidade Imperial (em kanji: 皇城; transliterado “Huang cheng”).

Como resultado do descuido de uma das serviçais, o castelo foi presa de novo incêndio a 5 de maio de 1873. A área em torno da antiga “tenshu” (torre principal) que havia sido consumida no incêndio de 1657 tornou-se o local do novo Palácio Imperial (“Kōjō”), construído em 1888.

Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e a destruição do palácio da Era Meiji, a construção de um novo castelo foi ordenada na parte ocidental do conjunto. Em 1948 esse setor foi renomeado como “Palácio Imperial” (em kanji: 皇居; transliterado: “Kōkyo”). A parte oriental recebeu o nome de “Jardim Oriental” (em kanji: 東御苑; transliterado: “Dōng yuyuan”)., sendo transformada num parque público a partir de 1968. Este parque encontra-se aberto entre as 9h00 e as 16h00, exceto às segundas e sextas-feiras.

Características

Exemplar de arquitetura militar.

O primitivo conjunto era composto pelos “Honmaru”, “Ninomar” e “Sannomaru”, ampliados posteriormente com a adição dos “Nishinomaru”, “Nishinomaru-shita”, “Fukiage” e “Kitanomaru”. Como centro administrativo da cidade, constituía-se numa enorme fortificação cujo espaço central ocupava cerca de 73 hectares, o suficiente para abrigar 260 “daimyō” e cerca de 50.000 soldados. 

Originalmente, o castelo possuía uma torre principal (“tenshu”), a mais alta da região de Kanto, elevando-se a 58,4 metros de altura, dividida em 5 pavimentos. Ela foi destruída, juntamente com outras edificações do castelo, no incêndio de Meireki (1657), e nunca foi reconstruída. Apesar disso, na série “chambara” (género de filme japonês) “Abarenbō Shōgun” (1978-2008), o castelo surge representado com uma “tenshu”, tendo sido utilizada a do Castelo de Himeji como locação para o efeito.

A defesa era complementada por um fosso inundado, alimentado pelas águas do rio Sumida. Fossos internos, de menores dimensões, cercaram os palácios dos principais oficiais do exército fiéis ao “shōgun”, enquanto os demais oficiais ocupavam posições periféricas dentro do complexo fortificado, embora também protegidos pelos fossos externos.

Das primitivas estruturas do conjunto ainda subsistem alguns troços dos fossos e das muralhas. No entanto, durante o Período Edo, os terrenos do palácio eram muito mais extensos, com a área da atual Estação de Tóquio e da área "Marunouchi" da cidade rodeadas pelo fosso mais exterior do complexo. Também incluía o espaço do atual Parque Kita-no-maru, do Nippon Budokan e de outros pontos de referência da área.

Diversos nomes de lugares em Tóquio derivam do castelo, como por exemplo “Otemachi” (“a cidade em frente do grande portão”), “Takebashi” (“a Ponte de Bambu”), “Toranomon” (“o Portão do Tigre”), “Uchibori Dōri” (“Estrada do Fosso Interior”), “Sotobori Dōri” (“Estrada do Fosso Exterior”) e “Marunouchi” (“Dentro da Cerca”).



 Related character


 Print the Related character

Contribution

Updated at 05/04/2021 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (3).


  • Edo Castle

  • Edo-jō, Castelo Chiyoda

  • Castle

  • 1457 (AC)

  • 1636 (AC)



  • Japan


  • Featureless and Well Conserved






  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Asia
    Country : Japan
    State/Province: Tokyo
    City: Tokyo

    1-1 Chiyoda, Chiyoda City, Tokyo 100-8111, Japão


  • Lat: 35 -42' 54''N | Lon: 139 -46' 50''E










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Edo Castle