Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo

Salvador, Bahia - Brazil

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (23)

Images (23)

O Forte de São Marcelo localiza-se sobre um pequeno banco de recifes a cerca de 300m da costa, no porto, fronteiro ao centro histórico de Salvador, no litoral do Estado da Bahia.

A sua concepção primitiva remonta a 1608 com risco do Engenheiro-mór e dirigente das obras de fortificação do Brasil, Francisco de Frias da Mesquita (1603-34). Alguns autores atribuem-no ao Engenheiro-mór de Portugal, o cremonense Leonardo Turriano, em 1605. Encontra-se figurado por João Teixeira Albernaz, "o velho" (Planta da Cidade de Salvador, 1616. Mapoteca do Itamaraty, Rio de Janeiro), como "Forte sobre a laje do porto que se há de fazer", a ser artilhado com seis peças, apresentando o formato de polígono quadrangular regular. Terminado em 1623 no Governo Geral de D. Diogo de Mendonça Furtado (1621-24), foi artilhado inicialmente com dezenove peças de diversos calibres (BARRETTO, 1958:174). Durante a invasão holandesa de 1624, foi a primeira praça ocupada pelos holandeses, que dele dispararam balas incendiárias que aterrorizaram os moradores de Salvador, facilitando a invasão. Em abr-mai/1638, durante a tentativa de invasão do Conde Johan Maurits van Nassau-Siegen (1604-79), teria papel decisivo, mantendo a esquadra holandesa à distância.

Sua reconstrução foi determinada pela Carta-régia de 04/out/1650 (SOUZA, 1885:93), no Governo Geral de João Rodrigues de Vasconcelos e Souza (1649-54), reforçando a defesa do porto de Salvador, proporcionada pela Bateria da Ribeira, o Forte da Gamboa e o Forte de São Pedro, com os quais cruzava fogos.

A nova obra, a cargo do Engenheiro francês Felipe Guiton, posteriormente substituído pelo seu conterrâneo Pedro Garcin, tem a planta no formato circular, constituindo-se num torreão central de 15 metros de altura, envolvido por um anel formado pelo terrapleno perimetral, com a mesma altura. No interior do torreão central localizam-se os Quartéis da tropa e a Cisterna, e no interior do terrapleno perimetral, a Cozinha, as dependências do Comandante, e o Corpo da Guarda. Estas salas, retangulares, têm cobertura em abóbada de berço, e exceto as situadas à direita do portão de entrada, não tem comunicação entre si, apenas o vão da porta que se abre para o corredor circular separando o anel perimetral do terrapleno central.

A construção é em cantaria de arenito até a linha d'água e o restante em alvenaria de pedra irregular, rara no país, uma vez que se encontra completamente dentro do mar, como o Forte da Laje no Rio de Janeiro. Concluída apenas em 1728, no governo do Vice-rei D. Vasco Fernandes César de Menezes (1720-35), encontra-se representado em iconografia de José Antônio Caldas (Planta e fachada do forte do Mar N. Srª do Populo, e S. Marcelo. in: Cartas topográficas contem as plantas e prospectos das fortalezas que defendem a cidade da Bahia de Todos os Santos e seu reconcavo por mar e terra, c. 1764. Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa). Sofreu reparos no governo do Vice-rei D. Marcos de Noronha e Brito (1806-08), quando foi artilhado com quarenta e seis peças de bronze e ferro, de diversos calibres (GARRIDO, 1940:89).

A partir do século XIX, o forte esteve envolvido na maioria dos conflitos políticos em Salvador, desde a Guerra da Independência (1822-23), onde João das Botas (líder da frota de canoas e de saveiros que bloqueava o porto de Salvador) hasteia uma bandeira verde e amarela (02/jul/1823) nesta fortificação abandonada pelas tropas portuguesas sob o comando do Coronel Inácio Luís Madeira de Melo (1775-1833) em retirada (SOUZA, 1885:73), como a Revolução federalista dos Guanais (1832-33), e a Insurreição dos Malês (1835). Como prisão política, durante a Guerra dos Farrapos (1835-45) recolheu o líder farroupilha Bento Gonçalves (1788-1847), que de lá escapou (10/set/1837) após ter sido vítima de uma tentativa de envenenamento. Durante a Sabinada (1837-38), foi o último reduto dos revoltosos republicanos, ali tendo sido aprisionando em seguida, entre seus líderes, o cirurgião Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira (1838).

No contexto da Questão Christie (1862-65), o "Relatório do Estado das Fortalezas da Bahia" ao Presidente da Província (03/ago/1863), dá-o como reparado (ROHAN, 1896:51), citando:

"Demora no meio do porto desta Cidade, defronte do Arsenal de Marinha e a 760 braças do Forte da Gamboa, que lhe fica a N. É circular, à barbeta, com o desenvolvimento de 1.212 palmos e monta 30 peças de calibre 32.

Está pronto; mas convém que o terrapleno do lado de terra seja cimentado, completas as guardas das rampas, outras ligeiras reparações e substituição de ferragens do portão e janelas." (Op. cit., p. 58-59)

Passou, a partir desse ano (1863), para a jurisdição do Ministério da Marinha, utilizado como Quartel da Companhia de Aprendizes Marinheiros tendo voltado a ser subordinado ao Ministério da Guerra em 1880, quando sofreu reparos para acantonar um destacamento de Artilharia (GARRIDO, 1940:90). Sobre o portal de entrada, o escudo de armas do Império foi mutilado após a proclamação da República (1889), quando a coroa monárquica foi substituída por uma estrela de cinco pontas. Tomou parte no bombardeio da cidade, juntamente com o Forte do Barbalho e com o Forte de São Pedro (10/jan/1912), no contexto da Política das Salvações do Presidente da República, Hermes da Fonseca (1910-14). Na ocasião foram alvejados o Palácio do Governo, a Prefeitura Municipal, o Teatro de São João (GARRIDO, 1940:92) e a Biblioteca Pública de Salvador, tendo esta última se incendiado em decorrência, com a perda de importantes documentos históricos do Arquivo da Bahia.

De 1912 a 1915 foi artilhado com canhões Krupp 75 L/28 e 8 c/c e Withworth, guarnecido por um destacamento do 4º Batalhão de Posição (GARRIDO, 1940:90). Retornou à jurisdição do Ministério da Marinha, que nela alojou uma Companhia de Fuzileiros Navais, sua artilharia salvando nos dias feriados ainda em 1926 (GARRIDO, 1940:90). À época do autor (1940) funcionavam um pequeno farol e um posto semafórico (Op. cit., p. 90)

Com uma área total construída de 2.500m2, foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938. Após quatro décadas de fechamento, foram procedidos trabalhos de restauração (1978-83) pelo IPHAN, abrigando o Museu Arqueológico do Mar, voltado para o modelismo naval e a arqueologia submarina, com acervo do Serviço de Documentação Geral da Marinha e o apoio do 2º Distrito Naval.

Por apresentar fissuras nas paredes, suas dependências internas foram novamente restauradas em 1989. Para os aficcionados da telecartofilia, sua vista aérea ilustra um cartão telefônico da série Fortes de Salvador, emitida pela Telebahia (jun/1998).



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 

Fortificações Portuguesas no Brasil - Histórial dos Fortes de Salvador
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Article
2001
 
Fortificações no Brasil
Augusto Fausto de Souza

Article
1885
 
Fortificações do Brasil: Resumo Histórico
Anníbal Barretto

Book
1958
 
Fortificações do Brasil
Carlos Miguez Garrido

Book
1940
 
Forte de São Marcelo
Paulo Roberto Rodrigues Teixeira

Article
2007
 
Fortificações Portuguesas no Brasil
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Book
2004
 
Fortificações Portuguesas no Brasil - A ''Cidade-Fortaleza'' de Salvador
Arnaldo Manuel de Medeiros Ferreira

Article
2001
 
As Fortificações Portuguesas de Salvador Quando Cabeça do Brasil
Mário Mendonça de Oliveira

Book
2004
 
Francisco de Frias da Mesquita: Engenheiro-mor do Brasil
Augusto Carlos da Silva Telles

Article
2005
 
Cartas de Vilhena - crítica do sistema fortificado
Anésio Ferreira Leite

Article
1999
 
O Exército na História do Brasil

Book
1998
 
O Imperador no Forte
Anderson Moreira

Article
2008
 
As Fortalezas e a defesa de Salvador
Mário Mendonça de Oliveira

Book
2008
 
Os Fortes de Salvador
Virgínia Pernambucano de Mello

Cd-Rom
2006
 
Plano da fortificação que se acha na Capitania da Bahia feito por ordem do senhor D. Fernando José de Portugal e Castro, Governador e Capitão Geral da mesma Capitania no ano de 1799

Document
1799
 
Príncipe Regente chega no Dia do Descobrimento do Brasil
Rogério Borges

Article
2008
 
As fortificações Militares, referenciais para o turismo
Anésio Ferreira Leite

Article
2002
 
Falando de fortes: uma viagem pelos símbolos de resistência desta terra
Cid Teixeira

Article
2002
 
Forte São Marcelo: um monumento vivo da história da Bahia
Anésio Ferreira Leite

Article
2002
 
Cartas topográficas contem as plantas e prospectos das fortalezas que defendem a cidade da Bahia de Todos os Santos e seu reconcavo por mar e terra
José Antônio Caldas

Document
1764
 
Fortalezas Multimídia
Roberto Tonera

Cd-Rom
2001
 
Actas virtuais do 6° Seminário Regional de Cidades Fortificadas e 1° Encontro Técnico de Gestores de Fortificações
Universidade Federal de Santa Catarina

Annals
2010
 
Forte São Marcelo, "O humbigo da Bahia"
Anésio Ferreira Leite

Article
2010
 
Fortes e Fortalezas. A participação da FUNCEB na restauração e divulgação do Patrimônio Nacional
Paulo Roberto Rodrigues Teixeira

Article
2010
 
Nossas guerras. Considerações históricas dos seus recursos
Antonio Gonçalves Meira
Coralio B. P. Cabeda

Book
2009
 
O Forte São Marcelo como elemento de descomoditização do turismo de Salvador
Ernesto Britto Ribeiro
Milena Rocha Nadier Barbosa

Article
2007
 
Muralhas de pedra, canhões de bronze, homens de ferro: fortificações do Brasil de 1504 a 2006
Adler Homero Fonseca de Castro

Book
2013
 
Arquitetura militar em Salvador da Bahia séculos XVI a XVIII
Filipe Eduardo Moreau

Thesis
2011
 
Um forte baiano ligado ao Rio Grande do Sul
Walter Spalding

Article
1967
 

 Print the Related bibliography



Related links 

Arquivo Noronha Santos
Link para o Arquivo Noronha Santos, pertencente ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -IPHAN, que dispõe de uma base de dados sobre os bens culturais tombados nacionalmente, inclusive as fortificações no Brasil. Para encontrar as fortificações, faça uma pesquisa (busca) na seção Livros do Tombo.

http://www.iphan.gov.br/ans/inicial.htm
Forte São Marcelo
Website Portal Salvador, com texto versando sobre o Forte de São Marcelo, que se localiza na cidade de Salvador, Estado da Bahia.

http://www.salvador.ba.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&i...
A Fortaleza Brasil
Website da Academia de História Militar terrestre do Brasil, apresentando histórico acerca das seguintes fortificações localizadas no Brasil: Forte de São João da Bertioga, Fortaleza de Santa Cruz, Fortaleza de Nossa Senhora de Assunção, Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, Forte dos Reis Magos, Forte das Cinco Pontas, Fortaleza de São José da Ponta Grossa, Fortaleza Jesus, Maria e José do Rio Pardo, Real Forte Príncipe da Beira, Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo, Forte Novo de Coimbra, Forte da Ponta da Igrejinha de Nossa Senhora de Copacana.

http://www.ahimtb.org.br/fortbrasil.htm
Museu vivo da cidade
O Museu Vivo da Cidade é website (blog) sobre patrimônio cultural de Salvador (Bahia), em especial sobre as fortificações daquela cidade. Foi idealizado e é mantido pela Associação Brasileira dos Amigos das Fortificações Militares e Sítios Históricos (ABRAF), presidida pelo coronel aposentado do Exército Anésio Ferreira Leite. De 2000 a 2011 a ABRAF foi responsável pela gestão do Forte de São Marcelo, tendo desenvolvido um excelente trabalho cultural de revitalização daquela que é uma das principais fortificações de Salvador. Durante esse período foi implementado um museu e desenvolvidos diversos programas educativos, exposições e eventos abertos ao público. Contatos com a ABRAF podem ser realizados pelos telefones e e-mails a seguir: +55 71 9122-8776; +55 71 8882-8776 e e-mail: abraf.presidencia@gmail.com.

http://www.museuvivonacidade.blogspot.com
Forte São Marcelo
Website Forte São Marcelo, versando sobre este mesmo forte, que se localiza sobre um pequeno banco de recifes a cerca de 300m da costa, no porto, fronteiro ao centro histórico de Salvador, no litoral do Estado da Bahia. O site apresenta histórico, seção sobre as exposições realizadas no ambiente do forte, contato, entre outros.

http://www.fortesaomarcelo.org.br/
Fortificações de Salvador
Website Mar da Bahia, versando sobre as seguintes fortificações de Salvador, Estado da Bahia: Forte São Marcelo, Forte de Santo Antônio da Barra, Forte de Santa Maria, Forte de São Paulo da Gamboa, Forte de São Diogo, Forte de São Pedro, Forte do Monte Serrat, Forte de Santo Alberto, Forte da Jequitaia, Forte do Rio Vermelho, Forte de Santo Antônio Além do Carmo, Forte do Barbalho, Forte do Paraguassú e Forte do Morro de São Paulo.

http://mardabahia.com.br/fortes_salv.php
Fortificações de Salvador
Website Brasil Viagem, versando sobre as seguintes fortificações de Salvador, no Estado da Bahia: Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat, Forte de Santo Antônio da Barra e Forte São Marcelo.

http://www.brasilviagem.com/materia/?CodMateria=52&CodPagina=182
Fortificações de Salvador
Website Colonial Voyage, em inglês, versando sobre as seguintes fortificações de Salvador, Bahia: Forte de Santo Antônio da Barra, Forte de Santa Maria, Forte de São Diogo, Forte de São Marcelo, Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat e Forte de São Pedro.

http://www.colonialvoyage.com/viaggi/brazilsalvadorforts.html
Fortificações de Salvador
Website Salvador 2003, versando sobre as seguintes fortificações: Forte de São Pedro, Forte de Santo Antônio da Barra, Forte de Santa Maria, Forte de São Diogo, Forte de Nossa Senhora do Monte Serrat, Forte de São Marcelo, Forte de Santo Abelardo e Forte de Santo Antônio Além do Carmo. Todos os fortes localizam-se ou localizavam-se na cidade de Salvador, Estado da Bahia.

http://www.salvador2003.com.br/fortes.htm
Fortificações de Salvador
Website EMTURSA versando sobre os Fortes de Nossa Senhora de Monte Serrat, de Santa Maria, de Santo Antônio Além do Carmo, de Santo Antônio da Barra, de São Diogo, de São Pedro, do Barbalho, de Santo Alberto, e de São Marcelo. Todos os fortes localizam-se ou localizavam-se na cidade de Salvador, Estado da Bahia.

http://www.emtursa.ba.gov.br/Template.asp?IdEntidade=109&Nivel=0002000...
Fortes da Bahia
Website Mar da Bahia versando sobre os Fortes de São Marcelo, Santo Antônio da Barra, Santa Maria, São Paulo da Gamboa, São Diogo, São Pedro, Monte Serrat, Santo Alberto, Jequitaia, Rio Vermelho, Santo Antônio Além do Carmo, Barbalho, Paraguassú e Morro de São Paulo, todos localizados no Estado da Bahia.

http://www.mardabahia.com.br/fortes_salv.php
Forte São Marcelo
Website da Prefeitura Municipal de Salvador versando sobre o Forte São Marcelo, que se localiza na cidade de salvador, Estado da Bahia.

http://www.pms.ba.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=19&...
Forte São Marcelo
Website do Forte São Marcelo, que se localiza na cidade de Salvador, Estado da Bahia, versando sobre o Forte.

http://www.fortesaomarcelo.com.br/
Forte de São Marcelo
Página da Enciclopédia Wikipédia versando sobre o Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo, popularmente conhecido como Forte do Mar. Localiza-se em Salvador, capital da Bahia, no Brasil.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Nossa_Senhora_do_P%C3%B3pulo_e_S...
Icofort Brazil in Facebook
Page in the Facebook about the ICOFORT BRAZIL: The International Scientific Committee on Fortifications and Military Heritage in Brazil (http://www.brasil.icofort.org/) that began its activities in 2013 and will intend to reproduce in this country all the aims of the international ICOFORT (http://www.icofort.org/).

http://www.facebook.com/pages/Icofort-Brasil/290376381092560

 Print the Related links


  • Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo

  • Castelo do Mar; Forte do Mar;

  • Fort

  • 1608 (AC)

  • 1623 (AC)

  • Francisco Frias da Mesquita


  • Portugal


  • Restored and Well Conserved

  • National Protection
    Patrimônio Histórico Nacional.
    Livro de Belas Artes: Inscrição:089, Data:24-5-1938.
    Livro Histórico: Inscrição:049, Data:24-5-1938.
    Nº Processo:0155-T-38.





  • Historical museum

  • 2500,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Bahia
    City: Salvador

    Localizado sobre um pequeno banco de recifes a cerca de 300m da costa, no porto, fronteiro ao centro histórico de Salvador, no litoral do Estado da Bahia.


  • Lat: 12 58' 12''S | Lon: 38 31' 4''W




  • De acordo com João Teixeira Albernaz, "o velho" (Planta da Cidade de Salvador, 1616. Mapoteca do Itamaraty, Rio de Janeiro), estava artilhado com seis peças.
    Terminado em 1623, foi artilhado com com dezenove peças de diversos calibres (BARRETTO, 1958:174).

    Quando sofreu reparos, por volta de 1806, foi artilhado com quarenta e seis peças de bronze e ferro, de diversos calibres (GARRIDO, 1940:89).
    O "Relatório do Estado das Fortalezas da Bahia" ao Presidente da Província (03/ago/1863) informa que o forte estava artilhado com 30 peças de calibre 32.
    De 1912 a 1915 foi artilhado com canhões Krupp 75 L/28 e 8 c/c e Withworth (GARRIDO, 1940:90).

  • Sua construção é em cantaria de arenito até a linha de água e o restante em alvenaria de pedra irregular. Possui teto em abóboda de berço. No seu interior podem ser encontrados bancos embrechados de conchas.
    Encontra-se figurado por João Teixeira Albernaz, "o velho" (Planta da Cidade de Salvador, 1616. Mapoteca do Itamaraty, Rio de Janeiro), como "Forte sobre a laje do porto que se há de fazer", apresentando o formato de polígono quadrangular regular.

    A nova obra tem a planta no formato circular, constituindo-se num torreão central de 15 metros de altura, envolvido por um anel formado pelo terrapleno perimetral, com a mesma altura. No interior do torreão central localizam-se os Quartéis da tropa e a Cisterna, e no interior do terrapleno perimetral, a Cozinha, as dependências do Comandante, e o Corpo da Guarda. Estas salas, retangulares, têm cobertura em abóbada de berço, e exceto as situadas à direita do portão de entrada, não tem comunicação entre si, apenas o vão da porta que se abre para o corredor circular separando o anel perimetral do terrapleno central. A construção é em cantaria de arenito até a linha d'água e o restante em alvenaria de pedra irregular, rara no país, uma vez que se encontra completamente dentro do mar, como o Forte da Laje no Rio de Janeiro.

    O "Relatório do Estado das Fortalezas da Bahia" ao Presidente da Província (03/ago/1863), dá-o como reparado (ROHAN, 1896:51), citando: "(...) É circular, à barbeta, com o desenvolvimento de 1.212 palmos (...)".

  • Foi reconstruído em 1728.
    Sofreu reparos no governo do Vice-rei D. Marcos de Noronha e Brito (1806-08).
    Em 1880 sofreu reparos para acantonar um destacamento de Artilharia (GARRIDO, 1940:90).

    Após quatro décadas de fechamento, foram procedidos trabalhos de restauração (1978-83) pelo IPHAN.
    Suas dependências internas foram novamente restauradas em 1989.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo