Forte do Limoeiro de Corumbá

Corumbá, Mato Grosso do Sul - Brazil

O Forte do Limoeiro de Corumbá localizava-se à margem direita do rio Paraguai, na cidade de Corumbá, atual Estado de Mato Grosso do Sul.

O estabelecimento português neste local remonta à transferência do Presídio de Albuquerque (Albuquerque Velho, atual Ladário) para local mais adequado, constituindo o embrião da futura vila (hoje cidade) de Corumbá (SOUZA, 1885:137).

No contexto da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), a vila foi ocupada por tropas paraguaias (3 de janeiro de 1865), que a fortificaram com trincheiras de campanha, artilhadas com seis peças. No desenvolver do conflito foi tomada de assalto, a 13 de junho de 1867 pelo 1º Batalhão Provisório, sob o comando do major Antônio Maria Coelho, com tamanho ímpeto que pereceram todos os oficiais paraguaios, e a maioria dos soldados, dos quais vinte e sete sobreviventes foram capturados feridos. Como resultado, as forças paraguaias evacuaram São Joaquim, Pirapitangas, Urucú e Albuquerque (novo), que em conjunto integravam o Distrito Militar do Alto Paraguai (SOUZA, 1885:136). GARRIDO (1940) denomina aquelas trincheiras de campanha como Trincheiras de Santa Cruz de Corumbá (op. cit., p. 167).

Uma epidemia de bexigas (varíola) afugentou as tropas brasileiras, e Corumbá voltou a ser ocupada pelos paraguaios, de 8 de julho de 1867 a abril de 1868, quando a abandonaram definitivamente nessa fase final do conflito (SOUZA, 1885:136).

De acordo com SOUZA (1885), findo o conflito foram planejadas novas fortificações para Corumbá pelo major Joaquim da Gama Lobo d´Eça, compostas por uma linha contínua com baluartes cobrindo a vila, com capacidade para sessenta canhoneiras, e pelo Forte do Limoeiro, abaixo da vila, à margem do rio Paraguai, cruzando fogos com o Fortim de São Francisco, o Fortim Junqueira, o Fortim Conde d´Eu, o Fortim Duque de Caxias, e o Fortim Major Gama, construídos durante as administrações do Coronel Cardoso e do Brigadeiro Hermes (SOUZA, 1885:136).

O projeto maior de reorganização defensiva da região e de suas fronteiras ficou a cargo da Comissão de Engenheiros Militares de Mato Grosso, constituída em 1871. Com relação à defesa do núcleo urbano de Corumbá, essa Comissão deliberou executar um extenso plano constituído por uma rede de fortificações estrategicamente posicionadas desde a embocadura do canal do Tamengo até Ladário.

GARRIDO (1940) afirma que essas fortificações foram concluídas em 1873 pelo Major Frota (op. cit., p. 167), e informa ainda que o Forte Junqueira teria sido erguido em 1872, com projeto do então major Joaquim da Gama Lobo D´Eça, ficando suas obras a cargo do major Júlio Anacleto Falcão da Frota. O seu nome seria uma homenagem ao então Ministro da Guerra, Dr. João José de Oliveira Junqueira, que o mandou construir.

Em alvenaria de pedra argamassada, apresentava planta no formato de um polígono octogonal, com seis ângulos salientes e dois reentrantes, e seis canhoneiras. Pelo Aviso Ministerial de 7 de julho de 1884, passou a ser denominado Forte 13 de Junho, em homenagem à data da expulsão das forças paraguaias de Corumbá, durante a Guerra da Tríplice Aliança. À época do autor (1940), era a única fortificação da qual se podiam ver as muralhas (op. cit., p. 166).

Atualmente é guarnecido pelo 17º Batalhão de Fronteira, responsável pela sua conservação e guarda. A sua artilharia histórica é composta por onze canhões raiados Krupp de 75 mm, fabricados entre 1872 e 1884.

Fonte: Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortifica%C3%A7%C3%B5es_de_Corumb%C3%A1. Acesso em 30 de setembro de 2009.

 



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography



Related links 

Fortificações de Corumbá
Página da Enciclopédia Wikipédia versando sobre as fortificações de Corumbá, que se localizavam à margem direita do rio Paraguai, na atual cidade de Corumbá, Estado de Mato Grosso do Sul, no Brasil.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortifica%C3%A7%C3%B5es_de_Corumb%C3%A1

 Print the Related links

Contribution

Updated at 23/05/2013 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Bernardo).


  • Forte do Limoeiro de Corumbá

  • Forte Junqueira, Forte da Pólvora

  • Fort


  • 1872 (AC)



  • Portugal


  • Restored and Semiconserved

  • Atualmente é guarnecido pelo 17º Batalhão de Fronteira, responsável pela sua conservação e guarda.





  • Military Active Unit

  • ,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Mato Grosso do Sul
    City: Corumbá

    Localizava-se à margem direita do rio Paraguai, na cidade de Corumbá, atual Estado de Mato Grosso do Sul.


  • Lat: 18 59' 49''S | Lon: 57 38' 13''W





  • O forte apresentava planta no formato de um polígono octogonal, com seis ângulos salientes e dois reentrantes, e seis canhoneiras.





Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Forte do Limoeiro de Corumbá