João Rodrigues Mouro

Portugal

João Rodrigues Mouro, também referido como João Roiz Mouro (Olivença, 1620 - Setúbal, 25 de julho de 1707), foi um arquiteto e engenheiro militar português.

Biografia

Filho de Pedro Antunes Mouro, foi tio de Pedro Mexia Fouto. Desposou, em 1646, na Igreja da Madalena, em Olivença, Maria Pedreira, possivelmente sua conterrânea.

No contexto da Guerra da Restauração (1640-1668), serviu como soldado  entre 1648 e 1653, e teve o cargo de ajudante nas obras da fortificação de Olivença, sendo legítimo presumir que teve contado com os importantes nomes estrangeiros que ali atuaram à época: Jean Gillot, Nicolau de Langres, Jan Ciermans/Pascácio Cosmander.

A partir de 1653 ou 1654, encontrava-se a trabalhar nas fortificações de Setúbal e suas dependências. O engenheiro responsável por elas à época, Sebastião Pereira, em idade avançada, estava incapacitado, e João Rodrigues Mouro foi indicado para o substituir, o que se tornou oficial em 23 de novembro de 1665. Ganhava então 40 Cruzados. Mouro deixou obra feita e de destaque, quer de raiz, quer de reconstrução e adaptação, como por exemplo o Forte de São Luís Gonzaga, alguns parapeitos da Fortaleza de São Filipe, o meio baluarte de São Domingos, Outão, e, mais distante, obras nos castelos de Palmela, Sesimbra e Alcácer do Sal.

Atuou nas obras do Forte do Pessegueiro, a sua obra mais emblemática, entre 1679 e 1684, e nas da nova ala no convento de São João de Deus em Montemor-o-Novo.

Faleceu em adiantada idade, com o posto de tenente-general.

O seu sucessor, João Tomás Correia de Brito, é autor de uma obra onde incluiu alguns desenhos de fortificações da sua autoria.

Contribution

Updated at 08/07/2014 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Character > João Rodrigues Mouro