Alonso Cimbron

Spain

Alonso Cimbron (paróquia de Santiago, Ávila, 11 de maio de 1562 – Angra, Terceira, 6 de maio de 1642) foi um militar espanhol. Exerceu o cargo de governador interino do Castelo de São Filipe do Monte Brasil em 1621, por morte do Mestre de campo Juan Ponce de León.

Biografia

Como tenente do castelão, mandou executar a sentença de morte do capitão Felipe Espinola Y Quirós, em 1627, injustamente condenado por D. Iñigo Hurtado de Corcuera y Mendoza, acusado de instigar uma insurreição dos soldados do presídio. Tal como ao governador, D. Iñigo e aos demais intervenientes no processo, foi-lhe instaurado um processo-crime na Corte de Madrid, mas tal como aconteceu com os outros, o processo foi extinto sem que justiça fosse feita: “morreu quem morreu”. "Faltou a justiça da terra, mas não faltou a do céu...", concluiu MALDONADO, invocando as desgraças que naturalmente advieram sobre os principais atores do processo condenatório e sobre as suas famílias (MALDONADO, Manuel Luís. Fenix Angrence). Especificamente acerca do tenente Cimbron, MALDONADO — não relatando eventual castigo divino que terá sofrido — implicitamente o inclui naqueles em que “existem as memórias em seus netos e bisnetos, e não é bem que os escandalize nas culpas impróprias” (Op. cit.).

D. Alonso Cimbron desposou, na Terceira, Dona Ana Ferreira de Bettencourt, filha do provedor da Fazenda António Ferreira de Bettencourt, a qual instituiu um morgado que haveria de ser possuído pelos herdeiros de ambos.

Fundou uma capela na Igreja de Santo Inácio de Loyola, do Colégio dos Jesuítas em Angra, sob a invocação de Santa Teresa de Ávila (O.C.D.), cuja canonização (1622) decorrera há cerca de 20 anos. Terá sido, possivelmente, o primeiro altar em Portugal a venerar essa Doutora da Igreja. Essa escolha não terá sido casual, uma vez que  a Madre Maria Cimbron, prioresa do Mosteiro da Encarnação no Carmelo de Ávila onde Santa Teresa (D. Teresa Sánchez de Cepeda y Ahumada) professou em 1535, só por coincidência, não terá sido prima do tenente Cimbron.

Bibliografia

CHAGAS, Diogo das. Espelho Cristalino em Jardim de Várias Flores (2.ª ed.). s.l., Presidência do Governo Regional dos Açores / Direção Regional da Cultura; Universidade dos Açores, Centro de Estudos Doutor Gaspar Frutuoso, 2007, pp. 264-266.

CHAGAS, Diogo das. "Relação do que aconteceu na Cidade de Angra da ilha Terceira, depois da feliz aclamação d'el rei D. João IV, que Deus guarde, na restauração do Castelo de S. João Baptista do Monte Brasil, até se embarcarem os castelhanos que o ocupavam (…)”. In Arquivo dos Açores, vol. X, 1888, pp. 193-232.

FARIA, Manuel Augusto de. Governadores do presídio militar espanhol nos Açores (15). Alonso Cimbron. In Diário Insular, ano LXXII, 11 set 2019, p. 19.

MALDONADO, Manuel Luís. Fenix Angrence (3 vol.). Angra do Heroísmo, Instituto Histórico da Ilha Terceira, 1989-1997.

Contribution

Updated at 20/12/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Character > Alonso Cimbron