http://www.fortalezas.org
Castle of Messejana

, -

 

O “Castelo de Messejana” localiza-se na freguesia de Messejana, concelho de Aljustrel, distrito de Beja, em Portugal.

O topónimo é originário do árabe "masjana", com o significado de prisão ou cárcere, palavra derivada do verbo "sajana" (encarcerar, meter em prisão).

História

Não dispomos de informações acerca da primitiva ocupação humana de seu sítio, mas a povoação e sua defesa já existiam ao tempo da ocupação Muçulmana.

À época da Reconquista cristã da região, a povoação foi conquistada em 1235 pelas forças de Sancho II de Portugal (1223-1248).

Sob o reinado de Dinis I de Portugal (1279-1325) foi elevada à categoria de concelho, tendo este soberano doado a vila e seus domínios aos cavaleiros da Ordem de Santiago, com a determinação de restaurar o seu castelo. Datará de 1288 a reconstrução da fortificação, atribuída ao mestre de pedraria Pero Soudo, conforme testemunha uma pedra de fecho de arco proveniente do castelo, atualmente na casa de um particular, onde se lê, em caracteres unciais: “E M CCC / XXVI: ANIIS / IN FINE: M DII / PO: SOUDO / ME FEZ

Aqui pousou João II de Portugal (1481-1495), entre 8 e 9 de outubro de 1495, quando doente, viajava para as Caldas de Monchique.

Manuel I de Portugal (1495-1521) outorgou o “Foral Novo” à vila (1 de julho de 1512).

João III de Portugal (1521-1557) doou os domínios de Messejana a D. João da Silva, 6.º Senhor de Vagos, conhecido pelo epíteto de Grande Regedor. Sucedeu-lhe à frente dos domínios o seu filho, D. Lourenço da Silva, que determinou erguer, entre 1566 e 1570, o Convento Franciscano da vila e a Igreja da Misericórdia. Este nobre pereceu, com mais cinco irmãos, na desastrosa batalha de Alcácer-Quibir (1578), em que participaram, a pedido da mãe, que recebera Sebastião I de Portugal (1557-1578) em Messejana em 1573.

No contexto da Guerra Civil Portuguesa (1828-1834), António José de Sousa Manuel de Meneses Severim de Noronha, 1.º duque da Terceira, esteve na vila com a sua força militar, aqui reunindo o seu conselho de brigadeiros a 17 de julho de 1833. Nela decidiu-se a tomada de Lisboa, operação que deu a vitória aos liberais, com a derrota dos miguelistas (24 de julho de 1833).

O concelho de Messejana veio a ser extinto pelo Ministro do Reino, Rodrigo da Fonseca Magalhães, em 24 de outubro de 1835.

Perdida a sua função defensiva caiu em ruínas. A sua pedra foi reaproveitada pela população nas suas edificações, vindo assim o antigo castelo a desaparecer quase por completo. Atualmente em mãos de privado, pessoa singular, não se encontra classificado.

Características

Exemplar de arquitetura militar, gótico, de enquadramento rural, isolado, destacado, na cota de 219 metros acima do nível do mar. Implanta-se numa colina, no limite do núcleo urbano, dominando e destacando-se na envolvente e tendo nas imediações a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios.

O castelo apresentava planta ovalada, de que restam apenas vestígios. Isolada no terreiro, a sul, localizava-se a torre de menagem, de planta quadrada, elevando-se a 10 metros de altura, de que subsistem poucos restos.




  • Castle of Messejana


  • Castle




  • Denis of Portugal

  • Portugal


  • Ruins Badly Conserved

  • Monument with no legal protection





  • Ruins

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Beja
    City: Aljustrel



  • Lat: 37 -51' 49''N | Lon: 8 14' 48''W














Contribution

Updated at 05/10/2018 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

With the contribution of contents by: Ion Cibotari.

Contributions with medias: Ion Cibotari (1).