http://www.fortalezas.org
San Francisco Castle

, -

 

O "Castillo de San Francisco", também referido como "Castillo de San Francisco del Risco", "Castillo del Rey" e "Castillo del Paso Angosto", localiza-se no município e cidade de Las Palmas de Gran Canaria, na ilha de Gran Canaria, província de Las Palmas, na Comunidade Autónoma das Canárias, na Espanha.

Situada na encosta do monte de mesmo nome, a cavaleiro do bairro de Triana, complementava a defesa proporcionada pela muralha de Las Palmas.

História

A mais antiga referência a uma fortificação no monte de São Francisco é de autoria do engenheiro real Agustín Asmodeo que, possivelmente entre os anos 1568-1571, foi enviado ao arquipélago para estudar as necessidades de fortificação face aos ataques de piratas, nomeadamente da cidade de Las Palmas de Grã Canária. Asmodeo propôs a Filipe II de Espanha (1556-1598) um sistema defensivo que consistia essencialmente em uma fortificação para defesa e refúgio no monte de San Francisco, próximo a dois “castillos” ou torres na costa, nos limites da cidade.

Posteriormente, o engenheiro de fortificação Juan Alonso Rubián (1520-Palma de Mallorca, 1597) projetou para o local uma fortificação de planta triangular. De acordo com Rumeu de Armas, em 1575 o engenheiro Francés de Alava propôs a construção de uma fortificação temporária - enquanto se erguia o “castillo” principal, na área denominada Paso Angosto.

Poucos anos mais tarde, em 1587, Filipe II voltou a refererir-se ao Castillo de San Francisco ao determinar ao engenheiro Leonardo Torriani (Cremona, 1560 - Coimbra, 1628):

"(…) yreis a ver y conoscer la dicha montaña de San Francisco y el sitio que en ella está designada la dicha fortaleza, y que forma de traza y capacidad tiene, (...) si defiende la ciudad y puerto y algunos desembarcaderos, (...) y si os parece se deve alterar en algo para mejorarla, así en la fábrica y traza como en el sitio (...)."

O projeto elaborado por Torriani mantinha a construção do Castillo de San Francisco, porém em uma extremidade de San Nicolás, como um trabalho defensivo complementar, e não com a capacidade de atuar como refúgio.

Em 1595, após o ataque de Francis Drake e John Hawkins, a necessidade de fortificação tornou-se premente. Nesse mesmo ano, o Cabildo de Gran Canaria, apoiado pelo governador Alonso Alvarado y Ulloa (1595-1599), peticionou ao monarca a construção da fortificação do local.

Em maio de 1599, Maurício I de Nassau, Estatuder das Províncias Unidas (1584-1625) em luta pela independência da Espanha, encarregou o almirante Pieter van der Does (1562-1599), de atacar territórios espanhóis, nomeadamente cidades, portos e ilhas. De acordo com PINTO DE LA ROSA (1996), diante das advertências do risco de ataque, convocaram-se na Grã Canária as Juntas de Defesa, deliberando-se a revisão do estados dos “castillos” de La Luz, de Santa Ana e de San Pedro (San Cristóbal), bem como do cubelo de San Francisco e das muralhas e entrincheiramentos de Santa Catalina e do istmo.

Em junho do mesmo ano, após repelidas quatro tentativas neerlandesas de desembarque, aqueles conseguiram fazê-lo. Após renhidos combates, a cidade vem a cair, retirando a população e os defensores para o interior da ilha, de onde conseguem repelir o invasor na Batlha do Batán. Durante os assaltos neerlandeses à cidade, Antonio Pamochamoso fez instalar no local onde mais tarde se ergueria o Castillo de San Francisco três peças de artilharia que, dada a sua localização estratégica, causaram muitas perdas aos invasores (Op. cit., p. 247).

Como resposta a esse ataque, em outubro de 1600 Filipe III de Espanha (1598-1621) expediu uma Real Cédula pela qual se adjudicavam um pouco mais de 5 milhões de maravedis para a fortificação da cidade. Em concreto a cédula fixava as prioridades de atuação: após a reparação do Castillo de Santa Ana e do entrincheiramento da praia, estava prevista a construção do Castillo de San Francisco, sendo encarregado das obras o engenheiro militar Próspero Casola.

Ficou planeada sob a direção de Geronimo de Valderrama y Tovar, enviado à Gran Canaria para reparar as fortificações:

"Informado S. M. de los quebrantos padecidos en esta isla de Canaria, y que ocasionaron la invasion que hizo la armada holandesa, mandò por Gobernador á Geronimo de Valderrama y Tovar, año de 1601, soldado de conocimiento é inteligencia de la arquitectura militar (...), para que dispusiese lo mas conveniente á las defensas, y que levantó luego, y puso en defesa los castillos de la Luz, y de santa Ana, y dejó planificada la fortificacion de la montaña de San Francisco, conviniéndose con las trazas que envió el comendador Tiburcio Spanoqui, inginiero." (CASTILLO, 1848:256)

De acordo com a cronologia de PINTO DE LA ROSA (1996), em 1601 iniciaram-se as suas fundações; em 1607, em uma extremidade da esplanada era construída a bateria da plataforma (Punta de Diamante); em 1612 demoliu-se o antigo cubelo da muralha da cidade e, em seu lugar,  foi erguido o Castillo de Mata; e, em 1621, em torno do castillo foi escavado um fosso, transposto por uma ponte levadiça. As obras encontravam-se ainda em progresso em 1625, ano em que foram dadas como concluídas.

Em 1686 o “castillo” estaria funcionando normalmente, de acordo com a narrativa de Pedro Agustín del Castillo y León ("Descripció de las Yslas de Canaria, compuesta por D. Pedro Agustín del Castillo y León, en el año 1686") e que, de acordo com PINTO DE LA ROSA (1996), "(...) tiene nueve piezas de artillería de bronce y hierro; siempre hay un soldado de guardia y tiene Alcaide". O Castillo de Mata, também chamado de Casa-Mata, estaria sob a jurisdição do alcaide do Castillo de San Francisco.

Em meados do século XVIII, o Castillo de San Francisco ou del Rey continuaria a desempenhar o seu papel defensivo, bem como a ser utilizado como depósito de artilharia e paiol. No relatório “Descripción topográfica y militar de Gran Canaria” (1785), o seu autor, subtenente engenheiro Miguel Hermosilla, descreve pormenorizadamente o estado das construções defensivas bem como a distribuição de suas munições e tropas, entre outros aspectos. Acerca do Castillo de San Francisco, regista: "Tiene la ciudad el Castillo del Rey en el Monte o Risco de San Francisco con dos plataformas que dominan a la misma y guardan su espalda por el Oeste."

Em meados do século XIX, perdida a sua função defensiva, a fortificação era utilizada apenas como depósito e paiol, razão pela qual nem o Diretor ou o governador ali residiram, como referido por PINTO DE LA ROSA (1996), com base no relatório de 1843 da Comandancia de Ingenieros de Canarias.

Pela Real Orden de 1 de abril de 1898, foi ordenada a demolição do “castillo”, o que não ocorreu, uma vez que foi destinado, no mesmo ano a prisão militar. uso que se conservou até ao final do século XX.

Em 22 de abril de 1949 foi declarado Monumento Histórico-Artístico, passando assim a ser protegido pela Declaração genérica do Decreto de 22 de abril de 1949, e da Lei nº 16/1985 sobre o Património Histórico Espanhol. Encontra-se classificado como "Bien de Interés Cultural", na categoria "Monumento", desde 12 de julho de 1993 sob a referência RI-51-0008262. Desde 1997 o "castillo" integra o património municipal de Las Palmas de Gran Canaria.

Ainda que se encontre hoje em estado de abandono, o seu estado geral de conservação é bom.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartada, integra um conjunto fortificado na meseta do Risco de San Francisco com uma superfície de 222.910 m², dos quais esta fortificação ocupa 5.750 m².

Apresenta planta poligonal irregular, orgânica (adaptada ao terreno em que se inscreve. Integrante do sistema defensivo da cidade, ligava-se ao Castillo de Mata pela muralha norte, e com a plataforma Punta de Diamante a sul, através de outra muralha.

Encimando o Portão de Armas, destaca-se a pedra de armas de Filipe IV de Espanha (1621-1665). O escudo divide-se em quatro campos, onde figuram um castelo e um leão aos pares, alternando-se. O escudo apresneta-se cercado pelo tosão e é rematado no timbre pela coroa real aberta - não a coroa imperial. Na base retrata-se um animal junto ao lema: PHI. IIII REGIS HIP IVSV EDIEFICATVM (Construído por ordem de Filipe IV, Rei dos Espanhóis).

Bibliografia

CASTILLO, Pedro Agustin del (1848). Description Historia Y Geografica de Las Islas de Canaria. Santa Cruz de Tenerife, Imprensa Isleña.




  • San Francisco Castle

  • Castillo de San Francisco del Risco, Castillo del Rey, Castillo del Paso Angosto

  • Fort

  • 1601 (AC)

  • 1625 (AC)

  • Philip III of Spain


  • Spain


  • Conserved Ruins

  • Municipal Protection
    National Protection
    Em 22 de abril de 1949 foi declarado Monumento Histórico-Artístico, passando assim a ser protegido pela Declaração genérica do Decreto de 22 de abril de 1949, e da Lei nº 16/1985 sobre o Património Histórico Espanhol. Encontra-se classificado como "Bien de Interés Cultural", na categoria "Monumento", desde 12 de julho de 1993 sob a referência RI-51-0008262. Desde 1997 o "castillo" integra o património municipal de Las Palmas de Gran Canaria.







  • 5750,00 m2

  • Continent : Africa
    Country : Spain
    State/Province: Las Palmas
    City: Las Palmas

    35014 Las Palmas de Gran Canaria


  • Lat: 28 -7' 46''N | Lon: 15 25' 29''W




  • 1599 (junho): três peças antecarga, de alma lisa.










Contribution

Updated at 19/04/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.