http://www.fortalezas.org
Forte de Santa Bárbara da Praia da Vila

, -

 

O Forte de Santa Bárbara da Praia da Vila está localizado no aterro da Baía Sul, no centro da cidade de Florianópolis, no litoral do Estado de Santa Catarina.

Na sua implantação original, situava-se sobre uma pequena ilha fronteira à antiga Praia do Canto (ou da Vila), ao sul da antiga Vila de Nossa Senhora do Desterro, sendo ligado à praia por um pequeno pontilhão em arcos. Os aterros efetuados na Baía Sul, na década de 1970, uniram essa pequena ilha à praia, sendo o forte posteriormente envolto por diversas avenidas da malha urbana.

Essa fortificação tinha a finalidade de impedir um desembarque na Praia da Vila de Nossa Senhora do Desterro, que era considerada extremamente vulnerável, principalmente se algum ataque inimigo viesse a ultrapassar a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, pelo lado sul da Ilha.

Não se conhece a data exata de sua construção, bem como o autor do seu projeto. Sua planta não consta no levantamento realizado por José Custódio de Sá e Faria, em 1760. É certo, porém, que a fortificação já havia sido iniciada em 1774, onde aparece nomeada como "forte novo", segundo mapa da época. A fortificação também aparece no levantamento realizado, em 1786, pelo Alferes José Correia Rangel. Nesse documento, é representado com planta no formato de um polígono irregular, levantada em alvenaria de pedra e cal. Abrigava em seu terrapleno um edifício de um pavimento com cobertura em quatro águas, compreendendo o Quartel da Tropa, o Armazém e a Casa da Pólvora, sendo artilhado com um canhão de bronze de calibre 6 libras, e 12 canhões de ferro, sendo um de 12 libras, dois de 4 lb, cinco de 3 lb, três de 2 lb, e um de 1 lb (RANGEL, 1786: 34-35). O terrapleno era guarnecido por uma muralha com mais de 3 palmos de espessura na parte superior, com altura de mais de 22 palmos acima do nível do mar na maré baixa, comunicando-se com a terra por uma ponte (passadiço) construída sobre arcos de alvenaria (VEIGA, 1993: 239).

O forte é registrado iconograficamente nas obras de La Pérouse (1775), Krusenstern, Langsdorff, Debret e outros.

Durante a primeira metade do século XIX, serviu como enfermaria militar, transferida para o Quartel do Campo do manejo em 1861, quando o prédio (Próprio Nacional) passa a servir à Capitania dos Portos, do Ministério da Marinha. Os projetos do Governo Provincial para a adaptação do imóvel ao menor custo, se sucederam até 1871, quando foi demolido o Quartel de Tropa e acrescido um galpão de dois pavimentos, destinado à recepção de colonos. Posteriormente serão fechadas as canhoneiras, construído um parapeito sobre a muralha, instaladas floreiras, e pavimentado o terrapleno. Novas obras de reforma foram iniciadas em janeiro de 1875, sob a direção do Capitão do Porto, colocando-se a cumeeira da Capitania do Porto a 10/abr/1875. Em junho do ano seguinte concluía-se a casa para o Comandante do Porto, contígua ao edifício da Capitania (VEIGA, 1993: 239-40).

Durante a Revolução Federalista (1893-94), é utilizada como sede do Governo do Estado (1893). Durante a primeira metade do século XX, novas intervenções foram sendo introduzidas no conjunto, descaracterizando-o completamente, e dando-lhe as linhas arquitetônicas características dos anos 30 (que conserva até hoje), tendo o mesmo acabado ligado à Ilha, fruto de aterros sucessivos no seu entorno.

Em 1984, fruto da polêmica sobre sua pretendida demolição, o forte foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Em 1999, a agência da Capitania dos Portos ali instalada foi transferida para novo imóvel, no continente, e o conjunto foi cedido pelo 5º Distrito Naval ao município de Florianópolis, passando a abrigar, em janeiro de 2001, a sede da Fundação Cultural Franklin Cascaes.

Em 2013, o Forte de Santa Bárbara retornou à gestão da Marinha do Brasil. Em 2016, a Marinha do Brasil realizou obras de reforma na construção, a qual passou a abrigar o Centro Cultural da Marinha em Santa Catarina e o Museu Naval.




  • Forte de Santa Bárbara da Praia da Vila

  • Bateria de Santa Bárbara, Forte de Santa Bárbara

  • Fort

  • 1774 (AC)

  • 1774 (AC)



  • Portugal


  • Featureless and Well Conserved

  • National Protection
    O Forte de Santa Bárbara foi tombado como Monumento Nacional em 1984, após intensa campanha pela sua preservação, ameaçada na época pelas obras de acesso rodoviário em implantação no aterro da Baía Sul.
    Livro Histórico: Inscrição:493, Data:29-5-1984.
    Nº Processo:1053-T-81.

  • União Federal (Brasil)

  • Marinha do Brasil

  • (48) 3225-3896 e 3281-4800


  • Historical military museum
    Em 2013, a Fundação Cultural de Florianópolis - Franklin Cascaes deixou as instalações do Forte Santa Bárbara, que retornou à gestão da Marinha do Brasil. Em 2016, a Marinha do Brasil realizou obras de reforma na construção, a qual passou a abrigar o Centro Cultural da Marinha em Santa Catarina e o Museu Naval.

  • 5086,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Santa Catarina
    City: Florianópolis

    O Forte de Santa Bárbara está localizado à Rua Antônio Luz, 260, centro de Florianópolis, CEP: 88010-410, junto ao antigo Terminal Urbano de Ônibus Cidade de Florianópolis, próximo à Avenida Hercílio Luz, no aterro da Baía Sul, no litoral do Estado de Santa Catarina.


  • Lat: 27 36' 2''S | Lon: 48 32' 57''W


  • O forte se localiza em meio ao aterro da baía sul, no centro da cidade de Florianópolis, envolto por diversas avenidas da malha urbana. No próprio terreno em que o imóvel se localiza, outras duas construções mais recentes interferem visualmente na compreensão do bem tombado e desvalorizam-no esteticamente.

  • O forte atualmente abriga o Centro Cultural da Marinha em Santa Catarina e o Museu Naval.

    Informações e contatos pelo telefone: (48) 3225-3896.


  • O forte foi artilhado com um canhão de bronze de calibre 6 libras, e 12 canhões de ferro, sendo um de 12 libras, dois de 4 lb, cinco de 3 lb, três de 2 lb, e um de 1 lb (RANGEL, 1786: 35).
    Em 1998, durante a execução de obras públicas de drenagem ao redor da Praça Esteves Júnior, em Florianópolis, operários da Prefeitura Municipal encontraram dois canhões de ferro fundido, e na sequência um outro, que pertenceram ao antigo Forte de São Francisco Xavier da Praia de Fora. Uma dessas peças está instalada atualmente no Forte de Santa Bárbara. Sobre ele ainda pode ser visto o brasão inglês do Rei George II, indicando a fabricação inglesa deste armamento.

  • O Forte apresentava, em 1786, planta no formato de um polígono irregular, levantada em alvenaria de pedra e cal. Abrigava em seu terrapleno um edifício de um pavimento com cobertura em quatro águas, compreendendo o Quartel da Tropa, o Armazém e a Casa da Pólvora (RANGEL, 1786: 34).
    Por volta de 1871, seu terrapleno era guarnecido por uma muralha com mais de 3 palmos de espessura na parte superior, com altura de mais de 22 palmos acima do nível do mar na maré baixa, comunicando-se com a terra por uma ponte (passadiço) construída sobre arcos de alvenaria (VEIGA, 1993: 239).

  • Em 2016, a Marinha do Brasil realizou obras de reforma na construção, a qual passou a abrigar o Centro Cultural da Marinha em Santa Catarina e o Museu Naval.

  • O Forte foi construído sob a invocação de Santa Bárbara, nascida na Nicomédia, Ásia Menor, filha de pais nobres e idólatras. Foi condenada à morte por haver se tornado cristã, após ter sido denunciada pelo próprio pai, que, durante anos, a havia encerrado numa torre. Logo depois de martirizar a própria filha, decepando-lhe a cabeça, um raio o matou. Santa Bárbara é invocada protetora contra tempestades e padroeira dos militares, artilheiros e dos mineiros. Nas representações iconográficas, veste túnica e manto, tem um diadema, trazendo numa das mãos um cálice, e, na outra, uma palma. Ao seu lado, aparece uma torre com três janelas, simbolizando devoção à Santíssima Trindade. Sua festa é celebrada a 4 de dezembro.