http://www.fortalezas.org
Fort of Coelhos

, -

 

O “Forte dos Coelhos” localizava-se na ponta dos Coelhos, atual freguesia de Porto Judeu, concelho de Angra do Heroísmo, costa sul da ilha Terceira, na Região Autónoma dos Açores, em Portugal.

Em posição dominante sobre este trecho do litoral, constituiu-se em uma fortificação destinada à defesa deste ancoradouro contra os ataques de piratas e corsários, outrora frequentes nesta região do oceano Atlântico.

História

DRUMMOND, acerca da fortificação da Terceira no contexto da Crise de Sucessão de 1580, referiu:

"Não havia naquele tempo em toda a costa da ilha Terceira alguma fortaleza, excepto aquela de S. Sebastião, posto que em todas as cortinas do sul se tivessem feito alguns redutos e estâncias, nos lugares mais susceptíveis de desembarque inimigo, conforme a indicação e plano do engenheiro Tomás Benedito, que nesta diligência andou desde o ano de 1567, depois que, no antecedente de 1566, os franceses, comandados pelo terrível pirata Caldeira [Pierre Bertrand de Montluc], barbaramente haviam saqueado a ilha da Madeira, e intentado fazer o mesmo nesta ilha, donde parece que foram repelidos à força das nossas armas." (DRUMMOND, 1981:vol. I, p. 230)

A respeito deste forte, o mesmo autor registou: "(...) fez-se um baluarte na Ponta dos Coelhos; (...)". E em nota, complementa: "Assim chamada dos filhos de João Coelho, um dos companheiros de [Jácome de] Bruges, que ali fez assento, aos quais pertenceu este sítio." (DRUMMOND, 1981:vol. I, p. 232)

Após a conquista da Terceira (julho de 1583) por D. Álvaro de Bazán, 1.º marquês de Santa Cruz de Mudela, foi inventariado o seguinte material bélico neste forte:

"No forte chamado o Pico de Salvador Coelho: Uma peça de ferro coado, de dezoito quintais; outra peça de ferro coado, de onze quintais, sem pólvora, nem carregadores." (FRUTUOSO, 1998:Livro VI, cap. 26, p. 86)

No contexto da Guerra da Sucessão Espanhola (1701-1714) encontra-se referido pelo marechal Castelo Branco na relação "Fortificações nos Açores existentes em 1710" como "O Forte na Ponta dos Coelhos." (Arquivo dos Açores, vol. IV, 1882, p. 178)

Com a instalação da Capitania Geral dos Açores (1766), o seu estado foi assim reportado em 1767:

"4º - Forte dos Coelhos. Acha-se todo demolido e neste sitio estão cinco peças de ferro boas com os seus reparos capazes, postas sobre uns calhaus, precisa ser retificado e para se guarnecer precisa cinco artilheiros e vinte auxiliares." (JÚDICE, 1767)

Encontra-se referido como "Forte dos Coelhos" no relatório "Revista dos fortes e redutos da ilha Terceira", de Francisco Xavier Machado (1772).

Encontra-se referido como "3. Forte dos Coelhos" no relatório "Revista aos fortes que defendem a costa da ilha Terceira", do Ajudante de Ordens Manoel Correa Branco (1776), que lhe relata a ruína:

"Achase inteiram.e razo, pelo mar o destruir, necessitaçe fazerçe de novo, e mais bem cittuado. Este Forte defende a duas bahias, hua p.ª cada lado."

A "Relação" do marechal de campo Barão de Basto em 1862 informa que dele "Apenas existem vestígios." (BASTO, 1997:267)

Encontra-se relacionado por BAPTISTA DE LIMA (1982), que o indica como "totalmente arrasado".

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado, marítimo, de enquadramento rural, isolado.

De acordo com a iconografia de 1772, este forte, de pequenas dimensões, apresentava planta no formato de um pentágono irregular, encontrando-se, à época, em adiantado estado de degradação, o que é confirmado pelo "Relatório" de 1776.




  • Fort of Coelhos

  • Forte do Pico de Salvador Coelho

  • Fort

  • 1581 (AC)

  • 1582 (AC)



  • Portugal


  • Missing

  • Monument with no legal protection





  • Disappeared

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Autonomous Region of Azores
    City: Angra do Heroísmo



  • Lat: 38 -39' 21''N | Lon: 27 6' 27''W




  • 1583: "Uma peça de ferro coado, de dezoito quintais; outra peça de ferro coado, de onze quintais" (FRUTUOSO)










Contribution

Updated at 31/07/2018 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1), Projeto Fortalezas Multimidia (Mayra) (1).