http://www.fortalezas.org
Fortifications of Tabatinga

, -

 

As chamadas “Fortificações de Tabatinga” localizavam-se à margem esquerda do rio Solimões, na atual cidade e município de Tabatinga, no estado do Amazonas, no Brasil.

Em posição estratégica sobre este trecho do rio, marcavam o limite ocidental dos domínios do Império Brasileiro na região amazônica.

História

Ante a ruína do Forte de São Francisco Xavier de Tabatinga, patente desde o início do século XIX, e para defesa daquele extremo lindeiro, notadamente após a questão com os vapores de guerra peruanos “Morona” e “Pastazza” (novembro-dezembro de 1862), o Governo Imperial Brasileiro pensou em reforçar a segurança daquele ponto (SOUZA, 1885:62; GARRIDO, 1940:14).

Entretanto, foi apenas em 1866, no contexto da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), que se formulou um plano de defesa que previa a construção de algumas fortificações mistas de madeira e terra (faxina), conforme planta no Arquivo Histórico do Exército (AHEx), no Rio de Janeiro. No ano seguinte (1867), iniciou-se uma frente abaluartada sobre o quadrado do quartel (SOUZA, 1885:62). Essa obra encontrava-se quase concluída em 1869, contando com uma guarnição da Guarda Nacional. Em 1874 iniciou-se a construção de um quartel para o destacamento, prosseguindo em 1876 os serviços de reconstrução e reartilhamento, concluídos em 1877. Em 1883 novos reparos, ao custo de 2:672$000 réis, foram efetuados (GARRIDO, 1940:14). OLIVEIRA (1968) esclarece que as obras foram começadas por Tibúrcio de Sousa e concluídas por Clarindo de Queirós (op. cit., p. 755).

No início do século XX, em fevereiro de 1908, uma Comissão estudou as condições defensivas daquele trecho fronteiriço, e face aos elevados custos para a defesa fixa, recomendou a defesa móvel, por meio de embarcações artilhadas (GARRIDO, 1940:15).

O Governo, prestando sempre toda a atenção ao sistema de defesa de nossas vastas fronteiras, tem continuado a proporcionar os meios precisos para proseguimento das obras de fortificações encetadas nas Províncias de Mato Grosso, Amazonas e Rio Grande do Sul, e das quais vos dei notícia em o meu último Relatório. Na Província do Amazonas concluiram-se, em Tabatinga, algumas obras de caráter permanente, e várias outras se acham em andamento. Em 25 de setembro do ano passado teve lugar a ocupação militar da barranca Uhírinahy, no rio Içá, onde uma lancha a vapor faz viagens regulares daquele ponto até o Tocantins; e tanto nessas fronteiras como nas do Rio Branco, Madeira e Rio Negro se trata de levantar quartéis para as respectivas guarnições. Em Mato Grosso prosseguem regularmento as obras que se reconheceram indispensáveis para a defesa dos pontos mais acessíveis da sua fronteira. No Rio Grande do Sul continua a Comisão de Engenheiros, que foi nomeada por este Ministério no intuito de fortificar os principais pontos estratégicos, procedendo sempre aos estudos necessários para estabelecer-se o plano geral de defesa da Província e melhorar as suas estradas. Tendo obtido dispensa de chefe da dita Comisão o Tenente-Coronel Conrado Jacob de Niemeyer, nomei para substitui-lo o Coronel Barão de Maracajú; e sendo este em seguida designado para chefe da Comissão demarcadora de limites do Império com a Bolívia, ficaram os trabalhos da Comissão de Engenheiros sob a direção interina do Major Ernesto Augusto da Cunha Mattos. Esta Comissão vai correspondendo as vistas do Governo.” (JUNQUEIRA, 1875)

Segundo o relatório do Ministério da Guerra de 1876, apresentado pelo duque de Caxias, as fortificações de Tabatinga já estavam concluídas e armadas neste ano de 1876. (Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u2217/000036.html Acesso a documentação: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/hartness/guerra.html (SILVA, 1877:38-39).

Para prover a defesa desse trecho da tríplice fronteira (Brasil, Peru, Colômbia), ali estaciona um Batalhão de Fronteira do Exército Brasileiro (BARRETO, 1958:57), atualmente o Comando de Fronteira Solimões / 8.º Batalhão de Infantaria de Selva.




  • Fortifications of Tabatinga


  • Fortifications Group

  • 1867 (AC)



  • Pedro II of Brazil

  • Brazil


  • Missing

  • Monument with no legal protection





  • Disappeared

  • ,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Amazonas
    City: Tabatinga



  • Lat: 4 13' 47''S | Lon: 69 56' 3''W














Contribution

Updated at 07/11/2017 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

With the contribution of contents by: Carlos Luís M. C. da Cruz, Projeto Fortalezas Multimidia (Elisangela).