http://www.fortalezas.org
Forte da Ponta do Marvão

, -

 

O "Forte da Ponta do Marvão", outrora oficialmente "Prédio Militar n.º 16", também referido apenas como "Forte do Marvão", localiza-se na ponta do Marvão, freguesia da Almagreira, concelho de Vila do Porto, ilha de Santa Maria, na Região Autónoma dos Açores, em Portugal.

História

A leste do porto da vila, remonta possivelmente a uma vigia no local, existente no final do século XVI, como referido por FRUTUOSO (2005). Retransmitia os avisos oriundos da vigia no Figueiral com destino à vigia na ermida de Nossa Senhora da Conceição no Alto da Rocha, sobre o porto da Vila. (Op. cit., Livro III, cap. XVII)

No contexto da Guerra da Sucessão Espanhola (1701-1714) pode estar referido pelo brigadeiro António do Couto de Castelo Branco na relação "Fortificações nos Açores existentes em 1710" como "O Forte na ponta donde se anchora." (Arquivo dos Açores, vol. IV, 1882, p. 180)

CORDEIRO, em 1717, assim o referiu:

"A defeza d'esta Villa, e de toda a ilha, era de antes pouca, sendo que tem huma legoa de postos por onde podia ser entrada, e o foi então três vezes, de Mouros, Inglezes, e Francezes; mas depois se lhe fizerão (…) na ponta de Marvão, e no Figueiral, e na Prainha outros Fortes com sua artelharia (…).” (Op. cit., Livro IV, cap. IV, p. 144)

O tenente-coronel do Real Corpo de Engenheiros, José Carlos de Figueiredo, assim referiu o local e a sua fortificação em 1815: "Fica a Ponta do Marvão (ao Sudoeste digo) ao Sueste, tem o Castello chamado do Marvão, segue-se o Figueiral, Touril, nestes sítios houve vinhas do melhor vinho, e também dão e tem dado muita pedra de cal." (Op. cit., p. 212) E complementou: "Em seguida fica a ponta do Marvão com um castelo e a furna chamada da Burra." (Op. cit., p. 222) E sobre a artilharia deu conta: "- Dito da Ponta do Marvão com quatro peças de ferro." (Op. cit., p. 223) Essa informação é corroborada pelo capitão engenheiro Francisco Borges da Silva, na relação "(...) Baterias que há no perímetro da Ilha (...)" em 1816, onde se refere: "Forte da Ponta do Marvão, com quatro peças incapazes." ("Estatística da Ilha de Santa Maria da Capitania das Ilhas dos Açores anno 1819". In: TORRES, José de. Variedades Açorianas (man. BPARPD), vol. X, fl. 186v.)

SOUSA (1995), em 1822, a respeito do porto de Vila do Porto, referiu: ''(...) O seu Porto é uma pequena Enseada virada a sudoeste, entre as pontas de Marvão a sueste, e Força [Forca] a oeste; em ambas as quais há pequenas fortalezas. (...)." (Op. cit., p. 83)

Embora descrita por este oficial, não se encontra assinalado na "Carta militar e topo-hydrographica da Ilha de S.ta Maria levantada em 1822 e dezenhada em 1824 pelo Tenente-Coronel Engenheiro Jozé Carlos de Figueiredo". (GEAEM 1131/3-44-4)

Em meados do século, a "Corografia Insulana" a seu respeito registou, embora fazendo alguma confusão entre o Forte de S. Brás sobre o porto de Vila do Porto, maior e mais importante, com o do Marvão, a leste, de dimensões bastante mais reduzidas:

(…) e começando a dar informações da circunferência desta Ilha (que são 14 leguas com 5 de comprido e 4 de largo) principiaremos pela ponta do lado esquerdo que chama de Marvão, onde preside uma companhia com a sua casa de abobada que serve de guarda, a qual tem 90 soldados. Há neste porto um forte novo bem metido, onde dizem os antigos que foi esta a primeira terra em que aportaram os seus descobridores, e junto a este forte está uma casa abobada que ser de petrexos da artilharia; e para o lado esquerdo que caminha para o leste está um forte com duas peças." (“Corografia Insulana”. In: TORRES, José de. Variedades Açorianas (man. BPARPD), vol. VII, fl. 2v.)

O "Relatório" de 13 de junho de 1846 da 10.ª Divisão Militar (Açores), inclui-o na relação de fortes de Santa Maria como "(...) inúteis e de difícil acesso alguns podendo a sua acção ser substituída empregando para a defesa a fuzilaria dos lugares mais dominantes (...)." (NORONHA, António Homem da Costa. "Sobre as fortificações existentes na ilha de Santa Maria". In: TORRES, José de. "Variedades Açorianas" (man. BPARPD), vol. XI, fls. 66-69)

A "Relação" do marechal de campo Júlio José Fernandes Basto, 1.º barão de Basto, comandante da 10.ª Divisão Militar (Açores), em 1862 informou que se encontrava demolido. (Op. cit., p. 269)

O "Relatório" do Coronel Mesquita (1864) refere que apresenta planta retangular, com 4 canhoneiras e sem alojamento. (MESQUITA, 1864, apud MARTINS. 2013:257)

KERHALLET (1881) em fins do século do XIX, ao descrever este trecho da costa da ilha referiu:

"(...) Les còtes de la baie [de Porto ou Santa Maria] se termine à la pointe Marvão sur laquelle s'élève également un fort. Cette pointe est garnie de roches à son pied. (...)." (Op. cit., p. 73)

Encontra-se figurado em planta de 24 de agosto de 1895, da autoria do Tenente-coronel de Engenharia Júnio Gualberto Bettencourt Rodrigues, com planta poligonal aproximadamente retangular, com as dimensões aproximadas de 18 x 8m, em cujos muros, pelo lado do mar, se rasgam 6 canhoneiras. ("Forte de Marvão na Ilha de S.ª Maria", CD/MMA, cx. 15, FIA 263)

No seu tombo consta que, através do auto de entrega de 24 de maio de 1941, o Ministério da Guerra procedeu à sua entrega à Direcção de Finanças do Distrito de Ponta Delgada, e que lhe era atribuído um valor Patrimonial de 138$50. Este documento informa que o forte possuía uma área de 277m².

Encontra-se relacionado por BAPTISTA DE LIMA (1982).

Em nossos dias encontra-se em ruínas, tendo a erosão marinha destruído o muro voltado para o mar. No chão jaz uma antiga peça de artilharia antecarga, de alma lisa, de ferro, desmontada. Está compreendido no Parque Natural de Santa Maria, dentro da área do Monumento Natural da Pedreira do Campo, do Figueiral e Prainha.

Características

Exemplar de arquitetura militar, de enquadramento rural, isolado.

Apresentava primitivamente planta retangular com 6 canhoneiras: 4 no lado voltado ao mar e 1 em cada um dos lados menores. O acesso ao recinto era feito pelo lado de terra (pelo lado oeste na planta de 1895).




  • Forte da Ponta do Marvão

  • Prédio Militar n.º 16, Forte do Marvão

  • Fortim





  • Portugal


  • Ruínas mal conservadas

  • Proteção Estadual
    Está compreendido no Parque Natural de Santa Maria, dentro da área do Monumento Natural da Pedreira do Campo, do Figueiral e Prainha.





  • Ruínas

  • 277,00 m2

  • Continente : Europa
    País : Portugal
    Estado/Província: Região Autónoma dos Açores
    Cidade: Vila do Porto



  • Lat: 36 -57' 36''N | Lon: 25 8' 25''W




  • 1815: 4 peças antecarga, de alma lisa, de ferro.
    1816: 4 peças antecarga, de alma lisa, incapazes.



  • FRUTUOSO - Saudades da Terra







Contribuições

Atualizado em 26/07/2020 pelo tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contribuições com mídias: Carlos Luís M. C. da Cruz (8).