A Invasão Francesa ao Rio de Janeiro em1711 sob a análise da Cartografia Histórica

Segundo os autores, o ouro que convergia para o porto do Rio de Janeiro, no início do século XVIII, através da estrada nova que ligava Ouro Preto ao Rio de Janeiro, tornou este um dos principais portos das colônias portuguesas. O ouro que atraía a cobiça dos reis da Europa, como Luís XIV, tornava previsível a tentativa de invasão à cidade, o que aumentava a expectativa sobre a competência do sistema de defesa do porto. Em 12 de outubro de 1711, uma esquadra comandada pelo corsário René Duguay-Trouin (1673-1736) e apoiada pelo rei da França, invadiu o Rio de Janeiro e ocupou a cidade por dois meses.

A pouca oposição que o sistema de defesa da baía da Guanabara ofereceu ao invasor ainda é uma parte obscura da história do Brasil. Um novo ponto de vista, no entanto, pode ser estabelecido pela história militar luso-brasileira, pela história da ciência e das técnicas e, principalmente, pela cartografia histórica. Uma nova leitura da invasão francesa ao Rio de Janeiro nos permite entender a mudança de atitude de Portugal em relação à colônia, que passou a ser incluída no esforço de modernização da metrópole.

Disponível em:
https://www.ufmg.br/rededemuseus/crch/simposio/MARTINS_RICARDO_V_E_FILGUEIRAS_CARLOS_ALBERTO_L.pdf

  • Article - Proceedings
  • Ricardo Vieira Martins
  • Carlos Alberto Lombardi Filgueiras
  • Universidade Federal de Minas Gerais
  • 2011
  • Belo Horizonte
  • Portuguese
  • In: 1º Simpósio Brasileiro de Cartografia Histórica. Paraty, 10 a 13 de maio de 2011, Centro de Referência em Cartografia Histórica - UFMG,16 p. il. cor.
  • Download

Contribution

Updated at 14/04/2015 by the tutor Projeto Fortalezas Multimidia (Jefté).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > A Invasão Francesa ao Rio de Janeiro em1711 sob a análise da Cartografia Histórica