Fortificações ainda em serviço na Província de Santa Catarina, em 1859

O jornal O Argos da Província de Santa Catharina, de 10 de novembro 1859, publicou trecho do relatório do Presidente de Província, João José Coutinho, mencionando as fortificações ainda em serviço na Província, como a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e aquela da Barra do Sul (Araçatuba).

A Fortaleza de Ratones estava desarmada e as praças existentes nesta fortaleza estavam incumbidas dos "signaes das embarcações" (sic). Em Ratones foram "reparados alguns edifícios para servir de lazareto, onde não há pessoal próprio, e só leitos, alguma roupa, e trem de cozinha, a cargo do oficial, que ali se acha destacado com o título de ajudante".

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa estava desarmada e duas praças estavam ali incumbidas do resto de materiais que ainda existiam. No Forte de Santana estava aquartelada a Companhia de Aprendizes Marinheiros.

No "antigo" (sic) Forte de São João há apenas duas casas, uma servindo de depósito de pólvora e outra com a função de quartel para as praças que o guardam. O Forte de Santa Bárbara continuava servindo de enfermaria militar e o trem bélico estava instalado em um armazém nacional fronteiro ao palácio.

Ver o relatório completo, nesta base de dados, no link: http://fortalezas.org/index.php?ct=bibliografia&id_bibliografia=2914

  • Printed Document
  • João José Coutinho
  • O Argos da Província de Santa Catarina
  • 1859
  • Florianópolis
  • Portuguese
  • In: O Argos da Província de Santa Catharina, nº 516, ano IV, Desterro, 10 de novembro de 1859, p. 2 e 5. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/233889/1826; acesso em 10/07/2017.
  • Download

Contribution

Updated at 30/01/2018 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Daniela Marangoni Costa).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Fortificações ainda em serviço na Província de Santa Catarina, em 1859