Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em 1871

"Relatório apresentado à Assembleia Geral Legislativa na Terceira Sessão da Décima Quarta Legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Guerra, Visconde do Rio Branco" (José Maria da Silva Paranhos), datado de maio de 1871.

Sobre os temas ligados a fortificações, na página 9, o relatório aborda o Depósito de Aprendizes Artilheiros instalado na Fortaleza de São João da Barra e os exercícios de tiro realizados. Na página 10, menciona a paralisação das obras da defesa do Rio de Janeiro, citando explicitamente as fortaleza de Santa Cruz e de São João, e o Forte de Dom Pedro II do Imbuhy. Na página 11, comenta sobre a nova artilharia dessas fortificações, e também sobre o laboratório pirotécnico do Forte do Campinho (este também na página 22). Na página 17 se abordam os prazos de terra concedidos em diversos colônias militares: D. Pedro II, Óbidos, São Pedro de Alcântara, Pimenteiras, Leopoldina, Itapúra, Avanhandava, Jatahy e Santa Teresa, Caseros, Araguaya, Januária, Urucú, Assungui, Príncipe D. Pedro e aquelas do Mato Grosso.

Na página 28 (e também nas páginas 217 e 218 do arquivo PDF, nos anexos) cita uma relação de pequenas obras realizadas nas fortalezas de Santa Cruz, Praia de Fora, São João, Laje e Forte do Pico, além de quartéis da capital. Na página 32, cita o pedido de consertos nos fortes de São Luiz e Santo Antônio, no Maranhão, e na Fortaleza do Cabedelo, na Paraíba. Entre as páginas 32 e 35 abordam-se novamente as colônias militares (assim como nas páginas 270, 273 e 276 dos anexos).

Nos anexos do relatório, ao abordar o currículo da escola militar, menciona os conteúdos a serem aprendidos sobre fortificação passageira e fortificação permanente (nas páginas 114, 115, 121 e 122 do arquivo PDF). Na página 210 do arquivo PDF, na relação dos trabalhos executados no arquivo militar, constam projetos e levantamentos realizados em alguns edifícios militares, como o Quartel do Campo do Manejo e o Hospital Militar (Santa Catarina), Fortaleza da Conceição (Rondônia), e Presídio de Miranda (Mato Grosso).

Entre as páginas 219 e 226, outro anexo ao relatório traz a relação dos próprios nacionais pertencentes ao Ministério da Guerra, onde cita, embora de forma incompleta, algumas das fortificações existentes em cada província do país e a utilização que estava sendo dada então a essas construções.

Nas páginas 229 e 230 está disponível a relação e quantidade de bocas de fogo e armas portáteis existentes nos Depósitos de Artigos Bélicos de diversas províncias. A página 231, por sua vez, traz o mapa demonstrativo das bocas de fogo existentes nas fortificações armadas das diversas províncias do Império, com a designação de seus calibres, quantidade e material de fabricação. A página 240 e 241 traz o mapa das fortificações (fortalezas, redutos, baterias e quartéis) de Fernando de Noronha e a relação do armamento existente em cada uma.

  • Printed Document
  • José Maria da Silva Paranhos
  • Tipografia Universal de Laemmert
  • 1871
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Relatório do Ministro de Guerra, Rio de Janeiro, 1871, 277 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1871_00001.pdf; acesso em 21/08/2018
  • Download

Related fortifications

Contribution

Updated at 22/08/2018 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Daniela Marangoni Costa).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Ministro da Guerra, José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco, em 1871