Relatório do Ministro da Guerra, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, em 1887

"Relatório apresentado à Assembleia Geral Legislativa na Segunda Sessão da Vigésima Legislatura, pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Justiça e Interino dos da Guerra, Conselheiro Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, 1887."

A respeito das fortificações imperiais, a página 22 do relatório fala trabalhos incumbidos à Comissão de Melhoramentos do Material de Guerra, entre eles o parecer sobre 79 canhões instalados na Fortaleza de Santa Cruz da Barra (RJ). Sobre a mesma fortaleza, a página seguinte informa a proposta de modificações nos reparos de 10 canhões de sistema Whitworth.

De acordo com a página 25, a Fortaleza de Santa Cruz ainda recebeu uma enfermaria e farmácia improvisadas para receber o 7º Batalhão de Infantaria, aquartelado nas proximidades, cujos doentes não poderiam ser tratados no Hospital Militar por conta da distância. Ali também se sugere melhorar a iluminação da fortaleza, substituindo a então usada por gás corrente. Para a mudança, foi mandado construir uma pequena fábrica contendo um gasômetro. Na página 30, o autor informa que o Forte de São Joaquim de Jequitaia (BA) teria recebido uma companhia de operários militares.

A página 38 dá início ao assunto das colônias militares, onde são descritas as colônias do Itapúra (SP), Jatahy e Chopim (PR), Chapecó e Santa Teresa (SC), Alto Uruguay (RS), e São Lourenço {Província do Mato Grosso, não registrada}. Na página 42, o relatório fala da elaboração de um plano de reorganização das colônias e presídios militares (cujas instruções são anexadas na página 133 do pdf), cuja comissão responsável, formada em 25 de janeiro de 1887, era liderada pelo Major do Corpo de Engenhos, Alfredo Ernesto Jacques Ourique. A página seguinte menciona os presídios militares da Província de Goiás: de Jurupensem, Santa Maria do Araguaya, São José dos Martírios e Santo Antônio {nenhum destes cadastrados}.

Em anexo, na página 108 do pdf, é informado um acidente envolvendo um soldado no Forte Tamandaré da Laje (RJ) e um canhão de grosso calibre, que teria sido disparado pelo soldado com pouca cautela, levando o mesmo a óbito. Na página 115 do pdf, há um mapa demonstrando as obras executadas na Corte entre os anos de 1885 e 1886, incluindo as fortalezas de Santa Cruz e São João da Barra, e o Forte Tamandaré da Laje (RJ). A página seguinte traz um mapa com as obras nas demais províncias: concertos no Forte de São Luís (MA), no Forte dos Reis Magos (RN), no Forte de São João Batista do Brum (PE), nos fortes de São Paulo da Gamboa, São Lourenço na Ponta da Ilha de Itaparica e São Joaquim de Jequitaia (BA), e no quartel do Forte de São Gabriel (RS).

Anexado à página 195 do pdf, um mapa lista com as propriedades nacionais pertencentes ao Ministério da Guerra: construções nas fortalezas de São Sebastião do Castelo, Praia Vermelha, Nossa Senhora da Conceição, Santa Cruz e São João da Barra, nas baterias Pau de Bandeira, Morro da Viúva e Praia de Fora, construções no antigo Forte de Nossa Senhora da Glória de Campinho, nos fortes de São Domingos de Gragoatá, Tamandaré da Laje, Morro do Pico, Dom Pedro II do Imbuhy (RJ); fortes de São Gabriel da Cachoeira, São José da Barra do Rio Negro, São José de Marabitanas, fortificações de Tabatinga (AM); Forte de São Joaquim do Rio Branco (RO); Fortaleza de São José do Macapá (AP); fortes de Óbidos, Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, Santo Antônio de Gurupá, Fortaleza de Nossa Senhora das Mercês da Barra de Belém (PA); fortes de São Luís, São Marcos, Santo Antônio da Barra (MA); Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, Forte de Mucuripe, (CE); Forte dos Reis Magos (RN); Forte de Santa Catarina do Cabedelo (PB); fortes de São Tiago das Cinco Pontas, São João Batista do Brum, Madame Bruyne (Buraco), Santa Cruz de Itamaracá (Orange), Santo Inácio de Tamandaré, Nossa Senhora dos Prazeres da Praia do Pau Amarelo, São Francisco Xavier da Praia de Gaibú, da Capela de Nazaré, São Francisco da Barra, Arraial novo do Bom Jesus, Arraial Velho do Bom Jesus, São Francisco de Olinda (PE); fortes de São Francisco, Santa Maria, São Diogo, São Paulo da Gamboa, Santo Alberto (Lagartixa), Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo, São Joaquim de Jequitaia, Nossa Senhora de Monte Serrat, São Bartolomeu da Passagem, São Lourenço na Ponta da Ilha de Itaparica, Santa Cruz do Paraguaçu, Santo Antônio Além do Carmo, São Pedro, Nossa Senhora do Monte do Carmo (Barbalho), Fortaleza do Morro de São Paulo, Reduto do Rio Vermelho (BA); fortes de São João e São Francisco Xavier de Piratininga (ES); fortes de Vera Cruz de Itapema São João da Bertioga, Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande (SP); construções na Colônia Jatahy, Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá (PR); construções no antigo Quartel do Campo do Manejo, fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones, Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, São José da Ponta Grossa {referido no documento como São João da Ponta Grossa}, fortes de Santana e São João do Estreito, Bateria da Barra de Laguna, Colônia Militar de Santa Teresa (SC); Forte de São Gabriel (RS).

  • Printed Document
  • Joaquim Delfino Ribeiro da Luz
  • Imprensa Nacional
  • 1887
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • In: Relatório do Ministério da Guerra, Rio de Janeiro, 1887, 228 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1887_00001.pdf. Acesso em: 18/03/2019.
  • Download

Related fortifications

Contribution

Updated at 19/06/2019 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Ministro da Guerra, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, em 1887