Projeto elaborado no Estado Maior do Exército, em abril de 1900

"A Carta do Brasil, Projeto Elaborado no Estado Maior do Exército."

As fortificações nacionais são mencionadas no documento a partir da página 103 do PDF, quando da descrição do território brasileiro. Nesta passagem, o relatório menciona as fortificações de Pernambuco citadas no “Livro que dá razão do Estado do Brasil” (1612), que se estendiam por mais de uma légua da terra, do Recife até a Vila de Olinda e ainda adiante até o Rio Tapado, além de trincheiras, redutos e plataformas, fundadas por ordem do general Mathias de Albuquerque na ocasião que os holandeses tomaram a Bahia.

Na página 105, o relatório atribui a fundação do Forte de Santo Antônio de Monte Frio (RJ) ao Conde de Cunha {Dom Antônio Álvares da Cunha}. Na mesma página menciona que o brigadeiro José Custódio de Sá e Faria foi enviado em 1774 para ocupar e guarnecer a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Iguatemi.

A partir da página 156 do PDF faz-se uma listagem dos próprios nacionais, estando mencionadas construções na Fortaleza de São Sebastião do Castelo, a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, edifícios na Fortaleza da Praia Vermelha, edifícios na Fortaleza de São João da Barra, no antigo Forte de Nossa Senhora da Glória de Campinho, no Forte de São Domingos de Gragoatá, nas baterias da Praia de Fora e do Morro da Viúva, na Fortaleza de Santa Cruz da Barra, no Forte Tamandaré da Laje, fortificação casamatada na ponta do Imbuhy, onde se encontra o Forte Dom Pedro II do Imbuhy (RJ); o Forte de São Gabriel da Cachoeira, o Forte de São José da Barra do Rio Negro, o Forte de São José de Marabitanas (AM); o Forte de São Joaquim do Rio Branco (RR); a Fortaleza de São José do Macapá (AP); o Forte de Óbidos, o Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém (PA); o Forte de São Luís, o Forte de São Marcos, o Forte de Santo Antônio da Barra (MA); a Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, o Forte do Mucuripe {não registrado} (CE); o Forte dos Reis Magos (RN); Forte de Santa Catarina do Cabedelo (PB); o Forte de São Tiago das Cinco Pontas, o Forte de São João Batista do Brum, o Forte de São Francisco Xavier da Praia de Gaibú (PE); o Forte de Santo Antônio da Barra, o Forte de São Diogo, o Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat, o Forte de São Bartolomeu da Passagem, o Forte do Paraguassú, o Forte de São Pedro, o Forte de Santo Antônio Além do Carmo, o Forte de Nossa Senhora do Monte do Carmo (Barbalho), a Fortaleza do Morro de São Paulo (BA); Forte de São João, o Forte de São Francisco Xavier de Piratininga (ES); o Forte de Vera Cruz de Itapema, a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, o Forte de São João da Bertioga (SP); a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá (PR); a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, o Forte de Santana do Estreito, o Forte de São João do Estreito, a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, Bateria da Barra de Laguna, a Fortaleza de São José da Ponta Grossa (SC); o Forte de São Gabriel, construções nas Fortificações de Santana do Livramento, o Forte Dom Pedro II de Caçapava (RS), o Forte Novo de Coimbra (MS).

  • Printed Document
  • Feliciano Mendes de Moraes
  • Alberto Cardoso de Aguiar
  • Custódio de Senna Braga
  • Imprensa Nacional
  • 1900
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Relatório do Ministério da Guerra, Rio de Janeiro, 1900, 269 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1901_00002.pdf. Acesso em: 26/04/2019.
  • Download

Related fortifications

Contribution

Updated at 22/05/2019 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Projeto elaborado no Estado Maior do Exército, em abril de 1900