Relatório do Ministro da Guerra, Pedro Aurélio de Góes Monteiro, em maio de 1935

"Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo general de divisão Pedro Aurélio de Góes Monteiro, Ministro de Estado da Guerra, em maio de 1935."

Sobre as fortificações militares, o relatório menciona, na página 12, a encomenda de fuzis Mauser e canhões Krupp para aperfeiçoamento da artilharia das fortificações da barra do Rio de Janeiro. A página 55 menciona obras em andamento nos fortes Duque de Caxias de Itaipu e Munduba [dos Andradas] (SP). O Forte de Nossa Senhora do Monte do Carmo [Barbalho] (BA) é mencionado, na página 65, como local onde se encontrava instalado o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da 6ª região militar.

O Forte Defensor Perpétuo (RJ) aparece, na página 96, como tendo sido demarcado e definitivamente reconhecido pela Comissão de Tombamento como pertencente à União. A mesma página faz menção ao Forte dos Andradas (SP) e o lento processo de construção do mesmo. A página 97 também trata de obras, agora na usina do Asilo de Inválidos da Pátria, na Fortaleza de São João da Barra, no Forte Dom Pedro II do Imbuhy, no Forte de Copacabana e na Fábrica da Estrela.

A página 99 lista os reparos executados nos fortes Dom Pedro II do Imbuhy, ponta da Vigia, São Luís, Marechal Hermes, na Fortaleza de Santa Cruz da Barra e na Fortaleza de São Sebastião do Castelo (RJ), esta última mencionada na página 102. O Forte Duque de Caxias de Itaipu (SP) é novamente citado, na página 125.

A página 143 lista o corpo de tropas das fortalezas de Santa Cruz e São João da Barra, dos fortes de Copacabana, Tamandaré da Laje (RJ), Duque de Caxias de Itaipu (SP), Novo de Coimbra (MS), Marechal Hermes, São Luís, Dom Pedro II do Imbuhy, ponta da Vigia (RJ), Paranaguá (PR), Marechal Luz, Marechal Moura de Naufragados (SC).

As fortificações de Santa Cruz da Barra, Marechal Hermes, São João da Barra, Copacabana, ponta da Vigia e Tamandaré da Laje são mencionadas na página 143. Mais a frente, entre as páginas 148 e 151, consta uma lista com as estações de rádio do Exército e suas unidades, dentre elas a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, o Forte Dom Pedro II do Imbuhy, a Fortaleza de São João da Barra, o Forte Tamandaré da Laje, o Forte de São Luís, o Forte Duque de Caxias de Itaipu, o Forte Marechal Hermes, o Forte Marechal Luz, o Forte Novo de Coimbra, o Forte de Copacabana, o Forte da ponta da Vigia, o Forte Marechal Moura de Naufragados, o Real Forte Príncipe da Beira.

A Fortaleza de São João da Barra é mencionada na página 170. Na página 172, os fortes de São Luís, ponta da Vigia e Copacabana são listados em um exemplo de taxas de habitação das fortificações. Na página 184, fala-se dos fortes de São Luís e Dom Pedro II do Imbuhy.

A página 203 menciona a criação do Centro de Instrução de Artilharia de Costa, na Capital Federal, cuja sede deu-se primeiro no Forte da ponta da Vigia, e posteriormente na Fortaleza de São João da Barra. A página 218 menciona a existência de apenas um capitão no 1º grupo de artilharia de costa e Fortaleza de Santa Cruz da Barra. Mais a frente, a página 221 menciona o Forte Tamandaré da Laje e a substituição de oficiais na mesma.

  • Printed Document
  • Pedro Aurélio Góes Monteiro
  • Imprensa do Estado-Maior do Exército
  • 1935
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Relatório do Ministério da Guerra, Rio de Janeiro, 1935, 235 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/pdf/720950/per720950_1934_00001.pdf. Acesso em: 12/07/2019.
  • Download

Contribution

Updated at 12/07/2019 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Ministro da Guerra, Pedro Aurélio de Góes Monteiro, em maio de 1935