As armas em nome de Sua Altíssima Majestade: organização e cotidiano das tropas de primeira linha na capitania do Ceará (século XVIII)

Era ali, na pequena vila de Fortaleza, onde se localizava o forte de Nossa Senhora da Assunção, que se abrigava o quartel das tropas de primeira linha da capitania do Ceará Grande. Na América portuguesa, o serviço das armas era obrigatório e todos os homens válidos, ou seja, capazes de tomar armas, deveriam estar engajados em um dos seus diferentes tipos de tropas: tropas de linha, milícias e corpos de ordenanças.

As tropas de primeira linha, também chamadas na documentação coeva de “tropas de linha”, “tropas regulares” ou simplesmente “tropas pagas”, eram as únicas tropas pagas e de caráter permanente. Atuavam na guarnição das fortificações e tinham regimentalmente como principal função garantir a defesa dita “externa” dos domínios portugueses das investidas de piratas, mercenários e armadas de outras Coroas europeias. Durante a maior parte do século XVIII, o contingente de tropas regulares em serviço na capitania do Ceará resumiu-se a uma única companhia de infantaria que guarnecia a Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, sede do governo lusitano na capitania.

  • Chapter
  • José Eudes Arrais Barroso Gomes
  • Fundação Araucária
  • 2009
  • Curitiba
  • Portuguese
  • In: A. Doré; A. C. Santos (org.). Temas setecentistas. Curitiba: Fundacão Araucária, 2009, p. 45-65.
  • Download

Contribution

Updated at 30/09/2019 by the tutor Roberto Tonera.



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > As armas em nome de Sua Altíssima Majestade: organização e cotidiano das tropas de primeira linha na capitania do Ceará (século XVIII)