Relatório do Ministro da Marinha, João Gonçalves Duarte, em 1894

"Relatório apresentado ao Vice-Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil, pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, contra-almirante João Gonçalves Duarte, em 1894."

A respeito de fortificações, o relatório menciona, na página 28, a Fortaleza de São Francisco Xavier da Ilha de Villegaignon (RJ), que comportava 650 dos 3174 praças do Corpo de Marinheiros Nacionais. As fortificações de Nossa Senhora da Conceição, Santa Cruz da Barra, Tamandaré da Laje, Santa Cruz da Barra e São Sebastião do Castelo são citadas, na página 39, por receberem destacamentos de operários do Arsenal da Marinha.

Em anexo, o relatório intitulado "Subsídios para a história da revolta", iniciado na página 98 do arquivo PDF, compila diversos documentos a respeito do período de convergência entre a Revolução Federalista e a Revolta da Armada. A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim (SC) é citada, na páginas 107, 109, 111 e 115 do arquivo PDF, em relatos sobre o aprisionamento do vapor "Júpiter". A Fortaleza de São José da Ilha das Cobras (RJ) é citada, na página 149 do arquivo PDF, e novamente na página 159 do arquivo PDF, nesta última por conta das trincheiras levantadas em suas baterias. A Fortaleza de Santa Cruz da Barra é novamente mencionada na página 155 do arquivo PDF.

A página 159 do arquivo PDF menciona as fortificações da barra do Rio de Janeiro, a de Villegaignon e da Ilha das Cobras, em um pedido para que as esquadras estrangeiras se afastassem da rota pela qual os tiros de canhões passavam no cruzamento de fogos. Mais a frente, a página 164 do arquivo PDF, são citadas as fortificações de Santa Cruz da Barra, Morro do Pico e Villegaignon (RJ), em documento relacionado à presença de embarcações estrangeiras no porto do Rio de Janeiro e os perigos do ataque de revoltosos à estas embarcações e à cidade. A página 194 do arquivo PDF traz uma recomendação sobre o tema, sugerindo que os navios mercantes se retirassem da zona de tiro entre fortificações legais e revoltosas.

As páginas 179 e 183 do arquivo PDF mencionam brevemente a Fortaleza de São Francisco Xavier da Ilha de Villegaignon. Um decreto de 25 de abril de 1894, que consta nas páginas 189 e 190 do arquivo PDF, transfere as fortalezas da Ilha das Cobras e de Villegaignon para a jurisdição do Ministério da Guerra; este assunto se repete na página 353 do arquivo PDF.

A Fortaleza de São José da Ilha das Cobras é mencionada, na página 197 do arquivo PDF, ao ter sua artilharia encravada durante a revolta do Batalhão Naval [um dos episódios da Revolta da Armada]. A mesma página informa que, durante a revolta, ficaram a favor do governo as fortalezas de Santa Cruz e São João da Barra, e o Forte Tamandaré da Laje; teria ficado neutra a Fortaleza de Villegaignon. As páginas 198 e 199 do arquivo PDF continuam narrando acontecimentos da revolta do Batalhão Naval, e citam as fortificações da Ilha das Cobras e Villegaignon; estas fortalezas aparecem novamente na página 213 do arquivo PDF, que menciona também a Fortaleza de Santa Cruz da Barra, no plano de ataque às fortalezas da Ilha das Cobras e Villegaignon [então tomadas por revoltosos].

A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim (SC) é mencionada, nas páginas 217, 219 e 221 do arquivo PDF, quando da passagem do encouraçado Aquidaban pelo porto de Desterro. O relatório sobre o trajeto dos navios entre o Rio de Janeiro e Santa Catarina é informado entre as páginas 215 e 227 do arquivo PDF. As páginas 238 e 239 do arquivo PDF retomam um relato sobre o ataque das forças legalistas à Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e ao encouraçado Aquidaban.

Na página 399 do arquivo PDF, um mapa demonstrativo de obras executadas pela Diretoria de Construções Navais do Arsenal da Marinha da Bahia menciona o Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo (BA). Mais a frente, a página 463 do arquivo PDF menciona o farolete da Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá (PR) e da Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim (SC).

A página 475 do arquivo PDF menciona a Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, em lista de próprios nacionais administrados pelo Ministério da Marinha. A lista inclui, na página 485 do arquivo PDF, a Fortaleza de São Francisco Xavier da Ilha de Villegaignon; na página 487 do arquivo PDF, o Forte de Boa Viagem [Bateria de Nossa Senhora da Boa Viagem/RJ]; na página 493 do arquivo PDF, faroletes nos fortes de Santa Maria e Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo (BA), e o Forte de São Francisco Xavier de Piratininga (ES); na página 507 do arquivo PDF, a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres de Paranaguá; na página 508 do arquivo PDF, o Forte Augusto (SP) e o Forte de Santa Bárbara da Praia da Vila (SC); na página 509 do arquivo PDF, o farolete da Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim; na página 510 do arquivo PDF, o Forte dos Reis Magos (RN); na página 512 do arquivo PDF, dois fortins construídos em Itaqui (RS).

  • Printed Document
  • João Gonçalves Duarte
  • Imprensa Nacional
  • 1894
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Relatório do Ministério da Marinha, Rio de Janeiro, 1894, 515 p. Disponível em: http://bit.ly/2Pz79c7 e http://bit.ly/2WCbpco. Acesso em: 04/11/2019.
  • Download

Contribution

Updated at 04/03/2020 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Relatório do Ministro da Marinha, João Gonçalves Duarte, em 1894