Fala do Presidente da Província da Bahia, Antonio Candido da Cruz Machado, em março de 1874

"Fala com que o Exm. Sr. Comendador Antonio Candido da Cruz Machado abriu a 1ª sessão da vigésima legislatura da Assembleia Legislativa Provincial da Bahia, no dia 1º de março de 1874."

A respeito de fortificações, as páginas 32, 33 e 34 listam as fortalezas da Província da Bahia,sua localização, comando e informações básicas sobre funcionamento e guarnição: o Forte de Santo Antônio da Barra, que possuía farol e telégrafo - este empregando os Inválidos da Pátria; o Forte de Santa Maria, comandado pelo capitão Francisco José Camará e guarnecido por praças da Companhia de Inválidos; o Forte de São Diogo, comandado pelo major Luiz Antonio Ribeiro, cuja guarnição também era feita por Inválidos da Pátria; o Forte de São Paulo da Gamboa, que servia como registro da Polícia do Porto e era comandado pelo major Bellarmino Jacome Dorea; o Forte de Santo Alberto [Lagartixa] que, juntamente com o da Gamboa, cobria a defesa da parte da cidade ocupada pelo comércio e estava sob o comando do major Manuel do Carmo Correia Palmeira; o Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat, comandado pelo capitão Alexandre Pedro de Alcantara e guarnecido por praças da Companhia de Inválidos; a Fortaleza do Morro de São Paulo, comandada pelo tenente coronal Cypriano da Rocha Lima, descrita como a maior fortificação da província; o Forte de São Lourenço na Ponta da Ilha da Itaparica, comandado pelo tenente João Antonio dos Santos Vidal e guarnecida por praças da Companhia de Inválidos; o Forte de Santa Cruz do Paraguaçu, que se encontrava abandonado e desarmado; o Forte de Santo Antônio [Além do Carmo], desarmado e utilizado como presídio civil; o Forte de Nossa Senhora do Monte do Carmo [Barbalho], desarmado e aquartelando a Companhia de Inválidos; e o Forte de São Pedro, desarmado e utilizado como quartel para os corpos da guarnição da cidade.

O Forte de São Pedro é citado novamente nas páginas 139 do relatório e 299 do arquivo PDF, por conta das obras de restauração de sua estrada, necessárias após o desabamento da muralha que o acompanhava, e mais a frente, na página 151, também sobre as obras nele executadas.

A página 212 do documento menciona o farolete do Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo (BA), classificado como em "mal estado" e necessitando de substituição; o farolete volta a ser citado na página 301 do arquivo PDF. Mais a frente, na página 236, consta menção ao Forte de São Joaquim de Jequitaia (BA), no qual se encontrava o Laboratório Pirotécnico. O Forte do Mar [Forte de Nossa Senhora do Pópulo e São Marcelo] é mencionado, na página 238, por aquartelar a Companhia de Aprendizes Marinheiros.

  • Printed Document
  • Antonio Candido da Cruz Machado
  • Typographia do Correio da Bahia
  • 1874
  • Salvador
  • Portuguese
  • Relatório da Província da Bahia, Salvador, 1874, 302 p. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/services/download/pdf/3023?from=000001&to=000301. Acesso em: 24/01/2020.
  • Download

Contribution

Updated at 04/03/2020 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Nicole Kirchner da Silva).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Fala do Presidente da Província da Bahia, Antonio Candido da Cruz Machado, em março de 1874