Patrimônio Cultural de Origem Militar: contribuições do ICOFORT RIO 2017

Atas do Encontro Internacional sobre Fortificações e Patrimônio Militar - Gestão, Inovação e Turismo em Fortificações - ICOFORT 2017, evento realizado em novembro de 2017 na cidade do Rio de Janeiro. O ICOFORT (International Scientific Committee on Fortifications and Military Heritage) é um comitê do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites), órgão consultivo da UNESCO responsável pela avaliação das propostas de inscrição dos bens culturais na Lista do Patrimônio Mundial. O ICOFORT tem como atribuição pesquisar, promover intercâmbio profissional e fomentar a cooperação internacional para a identificação, proteção e preservação das estruturas, fortificações, paisagens e instalações ligadas à memória das Nações e das transformações socioeconômicas geradas pelos momentos históricos de caráter militar.

Os trabalhos apresentados no evento estão listados abaixo:

O Uso na Preservação do Patrimônio Edificado (Cyro Illidio Corrêa de Oliveira Lyra).

As fortificações como sítios simbólicos de pertencimento (Roberto Bartholo).

Reconhecimento de valores e critérios de intervenção em fortificação histórica (Fernando Cobos-Guerra).

La gestión del patrimonio fortificado como construcción de educación ciudadana (Adriana Careaga).

Uma muralha de concreto e aço: possibilidades de valoração de um patrimônio cultural de origem militar (Adler Homero Fonseca de Castro).

Novas formas de apreensão do patrimônio militar: a modelagem digital como instrumento de conhecimento e difusão de ruínas ou fortificações desaparecidas (Ariel Cerqueira Szlafsztein e Roseane da Conceição Costa Norat).

Forte Bass, testemunho da guerra holandesa nas Alagoas (Marcos Albuquerque, Veleda Lucena e Doris Walmsley).

A fortificação sistémica do Atlântico no Brasil da União Ibérica (José Antonio Hoyuela Jayo).

Research on the Geography and Construction information of the Great Wall of Ming Dynasty (15C-16C) (Xiaodi Zhou, Junfu Chang e Rui Xiang)

Ciudades Mayas Amuralladas en la Península de Yucatán. Memoria y Patrimonio Precolombino (Jorge Victoria Ojeda e Aurelio Sánchez Suárez).

Fortalezas de Santa Catarina a caminho de tornarem-se Patrimônio Mundial (Roberto Tonera).

Caracterização de materiais e biodeterioração em fortificações da Amazônia (Roseane da Conceição Costa Norat e Marcondes Lima da Costa).

Valoración del Patrimonio Militar de Veracruz desde la Educación: factores para una mejor utilización (Dolores Pineda Campos).

Fortes e fortalezas como “lugares de memória”: o caso brasileiro (Edgley Pereira de Paula).

Caminería militar y valorización del patrimonio fortificado en el norte de México (Roberto Carrillo Acosta e Irma Faviola Castillo Ruiz).

Adaptive Reuse of Military Heritage as an approach to Preserve Urban Narratives Case Study: Historic Garrison of Rineh (Mohammad Hassan Talebian e Bahareh Kheyrkhah).

Patrimonio militar en Lima Metropolitana. Balance para su gestión contemporânea (José Hayakawa, Rosario Ariza, Reynaldo Castro, Diego Celis, Patricia Malpartida, Silvia Quinto e Claudia Tovar).

Entre o Rio e a Cidade: Visualidades da Fortaleza de São José de Macapá-AP (Eloane de Jesus Ramos Cantuária e José de Vasconcelos Silva).

O Forte de Santa Tecla: arqueologia para quem? (Paloma Falcão Amaya).

Sobre as fortificações históricas e a institucionalização do Sistema Cultural do Exército Brasileiro (Flávia Ferreira de Mattos).

A historicidade revelada nas fortificações do Exército Brasileiro a partir de um olhar sobre a Fortaleza da Conceição (Flávia Pereira).

O Sistema Defensivo de Florianópolis como Paisagem Cultural Brasileira (Lorena Leite).

Fortaleza de Santa Catarina: memória, patrimônio e potencialidade cultural (Luciano de Souza e Silva e Priscilla Kelly Praxedes de Almeida).

Aproximação de crianças ao Patrimônio Histórico Nacional (Dalânea Cristina Flôr).

Fragmentos da História e da Memória do Antigo Forte de Nossa Senhora da Glória do Campinho (Rio de Janeiro, Brasil) (Paulo Clarindo e Valeria Lima Guimarães).

Questões da Descoberta e Construção do Fortim do Sururu na Defesa do Cabo Frio (Paulo Hargreaves).

Fortalezas de Rio: Prisioneros Artiguistas (Juan Manuel Sureda).

Castelo da Torre e Forte Garcia D'Ávila (Christovão de Avila).

Relato de uma Experiência (Elcio Rogério Secomandi).

Turismo e patrimônio militar. Experiências Dialogais na Construção de Circuitos de Visitação Envolvendo Bens Patrimonializados sob a Guarda do Exército Brasileiro (Marisa Egrejas, Flávia Ferreira de Mattos e Roberto Bartholo).

A Gestão Compartilhada e Cultura Organizacional no processo de turistificação do Patrimônio Militar no Brasil (Roberto Anderson de Oliveira e João Alexandre Fonseca Squeff).

Os desafios da gestão patrimonial: as possibilidades do turismo como um vetor de direitos humanos para as
Fortalezas de Florianópolis (Luana de Carvalho Silva Gusso, Alessandro Pereira de Oliveira e Felipe Borborema Cunha Lima).

Turismo Militar no cenário do século XXI: Tecnologias digitais, Turismo de Experiência e o uso do Storytelling (Adriano Pereira Fragoso Ramos e Aneth Satie Esak).

Considerações sobre a Definição de Turismo Militar (Claudia Corrêa de Almeida Moraes e Carlos Alberto Soares Lidizia).

Implementação do Turismo Militar na região da Baía de Guanabara, RJ (Lucas Nunes Monteiro).

Turismo Militar Como Fomento À Defesa Nacional (Leonard Queiroz).

A Inclusão de Turismólogos no Patrimônio Militar de Niterói: O Caso da Fortaleza de Santa Cruz da Barra (Milena Cardoso Marques).

  • Annals
  • LTDS - Florescer
  • 2019
  • Rio de Janeiro
  • Portuguese
  • Atas do Encontro Internacional ICOFORT RIO 2017. Organizadores: Roberto Bartholo, Flávia Ferreira de Mattos e José Claudio dos Santos Júnior, 489 p., il., color.
  • Download

Related fortifications

Contribution

Updated at 12/08/2020 by the tutor Projeto Fortalezas Multimídia (Jéssica Pedrini).



Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Bibliography > Patrimônio Cultural de Origem Militar: contribuições do ICOFORT RIO 2017