Portão do Mar do Porto Pim

Horta, Autonomous Region of Azores - Portugal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (16)

Images (16)

O "Portão do Mar do Porto Pim", também referido como "Portão Fortificado do Porto Pim", “Forte do Porto Pim” e "Forte da Vera Cruz do Corpo da Guarda", localiza-se na freguesia das Angústias, cidade e concelho da Horta, ilha do Faial, na Região Autónoma dos Açores, em Portugal.

Integra o conjunto das chamadas “Fortificações da Baía do Porto Pim”, que até à construção do porto comercial (1876), constituiu-se no principal porto da Horta.

História

As fortificações do Porto Pim

A fortificação do Porto Pim consta do "Projeto da fortificação da Horta" enviado pelo capitão espanhol Francisco de La Rua a D. Diogo da Silva, 5.º conde de Portalegre, a pedido de Alonso de Ávila em 1597, atualmente no Archivo General de Simancas, na Espanha.

Erguido a partir do século XVII, deste conjunto defensivo, ligado por um muro de suporte ao longo da baía de Porto Pim, conservam-se:

- Guarita ou Vigia (no extremo oeste);

- Forte ou Castelo de São Sebastião;

- Portão do Mar ou Reduto da Patrulha;

- Bombardeira (no extremo leste).

Encontram-se relacionadas no Inventário do Património Imóvel dos Açores sob o n.º 71.10.207.

As “Fortificações do Porto Pim” inscrevem-se na Paisagem Protegida do Monte da Guia pelo Decreto Regional n.º 1/80/A, de 31 de janeiro. Encontram-se classificadas como Imóvel de Interesse Público (IIP) pelo Decreto Regulamentar Regional n.º 13/84/A, de 31 março I-77-1984 e n.º 4 do art.º 57.º do DLR n.º 29/2004/A, de 24 de agosto, alterado pelo DLR n.º 43/2008/A, de 8 out. I-195-2008.

O Portão do Mar

De acordo com a Enciclopédia Açoriana (verbete "Forte do Porto Pim") acredita-se tratar-se de uma construção relativamente recente, erguida sobre uma estrutura defensiva mais antiga, como por exemplo o chamado "Reduto da Patrulha" ou o "Reduto da Eira", referidos no contexto da Guerra da Sucessão Espanhola (1701-1714) pelo brigadeiro António do Couto de Castelo Branco na relação "Fortificações nos Açores existentes em 1710" (Arquivo dos Açores, vol. IV, 1882, p. 179), de dimensões mais modestas e possivelmente com a função de servir de portão de acesso ao areal. Acreditamos, entretanto, ser mais provável que esteja referido por aquele oficial como "O Forte da Vera Cruz do Corpo da Guarda." (Arquivo dos Açores, vol. IV, 1882, p. 179)

Dele existe planta: “Forte de N.ª Snr.ª da Nazaré; Forte da Ponta da Furada; Forte do Corpo da Guarda de Porto Pim / Tirado por Jozé Rodrigo de Almeida, Sarg.to Mor do Real Corpo d'Engenheiros, em 1805” (GEAEM 138-3-44-4)

A "Relação" do marechal de campo Júlio José Fernandes Basto, 1.º barão de Basto, comandante da 10.ª Divisão Militar (Açores), em 1862 informa que "As muralhas e parapeitos tem algumas ruinas" e observa, com relação às estruturas da ilha: "Devem ser conservados, por que defendem o porto da cidade da Horta, dando-lhe a conveniente importancia, mas seria util fazer-lhes as reparações de que carecem, e artilha-los convenientemente; pois quazi toda a artilharia e reparos se achão incapazes de serviço." (Op. cit., p. 274)

Encontra-se relacionado por BAPTISTA DE LIMA (1982) como estruturas separadas sob os nomes de "Reduto da Patrulha" e “Forte da Vera Cruz do Corpo da Guarda”.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado, marítimo.

Constitui-se na realidade em uma simples bateria elevada sobre o extradorso de uma abóbada de dois compartimentos. É acedida por uma escada de três lanços. Em seu terrapleno rasgam-se três canhoneiras onde a artilharia não tem condições de trabalhar, de vez que estão posicionadas sobre o último lance e o patim superior da escada. Do mesmo modo, questiona-se a sua funcionalidade, de vez que, para a artilharia chegar à plataforma, seria necessário erguê-la à cabrilha, dada a exiguidade da escada, que não permite o seu trânsito. Por último questiona-se a funcionalidade das canhoneiras voltadas ao areal que supostamente defendem, ou as que batem a terra, pois que a ameaça era, sobretudo, marítima.

Apresenta planta em "L", em alvenaria de pedra de tufo vulcânico rebocada e pintada de branco nas fachadas voltadas para terra, e aparelhada à vista nas fachadas viradas para o mar, nos cunhais e nas molduras dos vãos de uma fachada virada para terra. Nas fachadas voltadas para o mar as juntas são pintadas de branco. A moldura da porta, em arco de volta perfeita, é de pedra basáltica. Possui um só piso e cobertura em terraço, onde se rasgam 8 canhoneiras. No ângulo das duas fachadas voltadas para o mar implanta-se uma guarita de planta hexagonal.

Dá acesso a uma rampa de varagem de embarcações, através de uma passagem que atravessa o imóvel. No muro lateral desta rampa encontra-se inscrito numa placa a data: "? de Junho de 1927".

Todo o percurso entre a Guarita e o Reduto da Patrulha encontra-se ligado por um muro que acompanha a estrada, com guarda em alvenaria de pedra e bancos embutidos.



 



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography



Related links 

Castelo de São Sebastião na baía do Porto Pim / Forte de São Sebastião
Ficha do Castelo de São Sebastião na baía do Porto Pim / Forte de São Sebastião na base de dados do Sistema de Informação para o Património Arquitetónico (SIPA) do IHRU.

http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=8130
Forte do Porto Pim
Verbete sobre o Forte do Porto Pim, assinado por Manuel Faria, na Enciclopédia Açoriana do Centro de Conhecimento dos Açores / Direcão Regional da Cultura, do Governo dos Alores.

http://www.culturacores.azores.gov.pt/ea/pesquisa/default.aspx?id=7127
Fortificação - Ilha do Faial
Página do Instituto Histórico da Ilha Terceira (IHIT) com a bibliografia publicada no Boletim daquela instituição sobre as fortificações da ilha do Faial.

http://www.ihit.pt/new/fortes/faial.php
71.10.207 Fortificações da Baía de Porto Pim
Ficha do Inventário do Património Imóvel dos Açores acerca das Fortificações da Baía de Porto Pim (Guarita, Castelo de São Sebastião, Reduto da Patrulha e Bombardeira) ligadas por um muro de suporte ao longo da Baía do Porto Pim, outrora destinadas à interdição desta baía.

http://www.inventario.iacultura.pt/faial/horta_fichas/71_10_207.html

 Print the Related links

Contribution

Updated at 16/05/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Projeto Fortalezas Multimídia (Renata Valentini) (7), Carlos Luís M. C. da Cruz (9).


  • Portão do Mar do Porto Pim

  • Portão Fortificado do Porto Pim, Forte da Vera Cruz do Corpo da Guarda

  • Fortified Door





  • Portugal


  • Restored and Well Conserved

  • State Protection
    As “Fortificações do Porto Pim” inscrevem-se na Paisagem Protegida do Monte da Guia pelo Decreto Regional n.º 1/80/A, de 31 de janeiro. Encontram-se classificadas como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto Regulamentar Regional n.º 13/84/A, de 31 de março e n.º 4 do artigo 58.º do Decreto Legislativo Regional n.º 29/2004/A, de 24 de agosto.





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Portugal
    State/Province: Autonomous Region of Azores
    City: Horta

    Confluência da rua do Pasteleiro com a travessa do Porto Pim, Horta.


  • Lat: 38 -32' 26''N | Lon: 28 37' 43''W










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Portão do Mar do Porto Pim