Castle of Torrechiara

Langhirano, Parma - Italy

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O “Castelo de Torrechiara” (em italiano, "Castello di Torrechiara") localiza-se nas colinas da fração comunal de mesmo nome, na comuna de Langhirano, província de Parma, na Itália.

A sua posição elevada permite-lhe dominar o vale do rio Parma e uma abadia beneditina do século XV, num ponto de encontro entre a povoação e a montanha.

O castelo foi erguido não apenas como uma estrutura defensiva, mas principalmente como um paço pelo conde Pier Maria II de Rossi, conde de San Secondo, para a sua amante, Bianca Pellegrini, de Arluno.

O seu nome deriva do verbo, no dialeto de Parma “torchiare”, com o sentido de esmagar ou espremer algo em uma prensa. De fato a região é repleta de vinhedos e, no local da fortificação, produzia-se e armazenava-se vinho, não tendo sido, como uma crença infundada pretende, pertença de uma senhora da nobreza de nome “Chiara”.

É considerado um dos exemplos mais bem conservados de arquitetura militar de seu tipo no país, uma vez que combina elementos construtivos da Idade Média com elementos do Renascimento italiano.

Em nossos dias de propriedade estatal, abriga o Polo Museológicom da Emilia-Romana do Ministero dei beni e delle attività culturali e del turismo, e está inserido no circuito da "Associação dos castelos do Ducado de Parma e Piacenza".

História

O atual castelo foi erguido por Pier Maria II de Rossi entre 1448 e 1460, sobre as ruínas de uma antiga “domus fortis” que remontava a 1259, da qual subsiste um vestígio do pórtico no lado oeste do pátio.

Pier Maria II de Rossi, “o Magnígico”, nasceu a 25 de março de 1413 em Berceto, uma aldeia dos Apeninos Parmesãos, filho de Pietro e Giovanna Cavalcabò, nobre de Cremona. A família é de San Secondo, cidade da planície do Pó, que se tornou o centro do poder económico e político da família Rossi. Chegaram a governar cerca de um quinto do território Parmesão, incluindo os podestados de San Secondo, Roccabianca, Torrechiara, Felino e Berceto.

A família Rossi era intimamente ligada à corte milanesa dos Visconti. Por essa razão, o jovem Pier Maria II foi enviado a Milão a fim de receber uma sólida formação cultural e militar. Além do estudo dos autores clássicos, interessou-se pela Música, a Matemática, a Astrologia, tendo aprendido o o francês, o espanhol, o latim, o grego, o árabe e o hebraico. Dedicou-se com grande sucesso à profissão das armas, a ponto de se tornar capitão das tropas dos Visconti, e ter conseguido conquistar diversos territórios.

Com apenas 15 anos Pier Maria II foi levado a casar com Antonia Torelli, filha de Guido Torelli, conde de Guastalla e Montechiarugolo, visando estreitar a união entre as duas famílias vizinhas e, desse modo, estabelecer um acordo de não-agressão. No entanto, em Milão, Pier Maria apaixonou-se profundamente por Bianca Pellegrini, uma dama da corte da duquesa Bianca Maria Visconti.

Após vários anos de casamento e de ter gerado dez filhos com Antonia Torelli, esta retirou-se para o convento de San Paolo em Parma, deixando a possibilidade de Pier Maria II manter Bianca em San Secondo, precisamente em Roccabianca, onde o nobre lhe fez construir um castelo. Em 1448 também fez construir para ela o Castelo de Torrechiara, doravante o ninho de amor do casal.

Após Pier Maria II ter falecido o castelo conheceu vários proprietários: Rohan Pietro, Pallavicino, os Sforza de Santa Fiora, os Sforza Cesarini, Torlonia, Cacciaguerra.

Após 1575 os Sforza de Santa Fiore transformaram a volumetria da mansão com a construção de duas amplas varandas com vista panorâmica para rio Parma, rebaixaram as antigas muralhas, ampliaram as portas e janelas, transformaram os espaldões em pomares e jardins suspensos, enfatizando a função residencial do castelo.

Datam deste período os primeiros afrescos do “Cinquecento” no conjunto. Um complemento foi a contribuição de Francesco (1562-1624) que encarregou Cesare Baglione de cobrir as salas de afrescos em Grotesco.

O castelo encontra-se classificado como Monumento Nacional desde 1911, afeto ao Ministero dei beni e delle attività culturali e del turismo e encontra-se aberto à visitação pública.

Sofreu danos causados pelo terramoto de 23 de dezembro 2008. Após um período de encerramento parcial ao público foi completamente reaberto em 27 de fevereiro 2010.

O castelo foi utilizado como locação para o filme “Ladyhawke” (1985) do diretor Richard Donner, interpretado por Michelle Pfeiffer, Matthew Broderick e Rutger Hauer. Também foi utilizado na 3.ª temporada da série televisiva “Borgia”, de Tom Fontana.

Características

Exemplar de arquitetura militar e civil, renascentista.

O conjunto, de planta quadrangular, é composto por quatro torres de planta quadrada, ligadas por uma dupla muralha ameada, definindo um pátio retangular conhecido como “Corte de Honra”.

O castelo era primitivamente envolvido por três linhas de muralhas: a primeira circundava a colina em que se encontra, a segunda protegia a vila e a terceira o próprio castelo. Para ultrapassar cada uma destas muralhas era necessário atravessar uma ponte levadiça, de que é possível adivinhar a presença pelas ranhuras na entrada do castelo.

A primitiva defesa era complementada ainda por dois fossos, um para proteção da vila, outro do castelo, este último o único que subsiste. O fosso sempre foi seco por determinação específica de Pier Maria II de Rossi, de modo a que qualquer pessoa que tentasse escalar as muralhas pudesse ser um alvo fácil para os guardas, sem que se conseguisse esconder dentro d’água.

As muralhas também foram construídas em altos taludes, a fim de torná-las difíceis de escalar, e para poder resistir melhor aos tiros das primeiras armas de fogo então ensaiadas.

A torre de San Nicomedes está localizada acima da capela de mesmo nome. Do alto dos seus muros pode observar-se todo o vale do Parma em direção a Langhirano.

A oeste ergue-se a "Torre do Giglio", assim denominada devido ao brasão de armas de Bianca Pellegrini.

A leste ergue-se a Torre da Câmara de Ouro assim denominada porque aqui se situa o quarto dos amantes (a “Camera d'Oro”).

A norte ergue-se a torre de menagem, mais alta, denominada como “Torre do Leão”, devido ao brasão de armas da família Rossi.

Alguns autores acreditam que as alturas das torres e das paredes das cortinas muralhadas escondam relações de proporção e de harmonia musical, inspiradas na geometria pitagórica, tão ao gosto da arte do Renascimento.

O Interior é rico em salões suntuosamente decorados com afrescos representando cenas da natureza, cenas fantásticas e grotesco, estilo em voga no final do século XV e início do século XVI. O nome de cada sala alude ao tema principal do afresco. Destacam-se, no piso térreo, a de Júpiter (“Giove”), a da pérgola (“pergolato”), a da Vitória (“Vittoria”), a dos Anjos (“Angeli”), a do Velario (“Velario”), e o Salão dos Brasões (“Stemmi”). No mesmo andar, o oratório de San Nicomedes, utilizado como capela por Bianca Pellegrini, é o local das sepulturas do casal.

No primeiro andar destacam-se o grande salão de Giocolieri, assim como a Câmera de Ouro comemora o amor entre Bianca Pellegrini e Pier Maria Rossi. É a dependência mais conhecida do castelo e destaca-se pelos belos afrescos atribuídos a Benedetto Bembo representando os amantes. Celebra o esplendor do ouro, presente na decoração, e a série de afrescos nos medalhões representa Bianca Pellegrini que percorre os domínios senhoriais e os castelos de Rossi à procura do amado. O quarto abre para uma espaçosa “loggia” com vista panorâmica.

A lenda do castelo

De acordo com uma pitoresca lenda local, durante as noites de lua cheia, quando o nevoeiro envolve o castelo, o fantasma de uma bela duquesa, emparedada viva pelo marido traído, aparece e vagueia, a oferecer beijos apaixonados aos homens que encontre nos corredores.

Contribution

Updated at 12/04/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Castle of Torrechiara

  • Castello di Torrechiara

  • Castle

  • 1448 (AC)

  • 1460 (AC)



  • Italy


  • Restored and Well Conserved

  • National Protection
    O castelo encontra-se classificado como Monumento Nacional desde 1911.



  • +39 0521 355255


  • Historical museum

  • ,00 m2

  • Continent : Europe
    Country : Italy
    State/Province: Parma
    City: Langhirano

    Borgo del Castello, 1,
    43013 Torrechiara PR, Itália


  • Lat: 44 -40' 41''N | Lon: 10 -17' 35''E










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Castle of Torrechiara