Presídio de Viseu

Costa Marques, Rondônia - Brazil

O “Presídio de Viseu” localizava-se na margem esquerda do rio Guaporé, guarnecendo a fronteira do Mato Grosso, em território da atual Bolívia.

História

Em 1745 iniciou-se a produção de ouro às margens do rio Arinos . as chamadas minas do Arinos - acima de Diamantino (minas do alto Paraguai), às margens da nascente do rio Paraguai. Esse local passou a ser conhecido, a partir de 1766, como lavras de Viseu (SILVA, 2001).

SOUZA (1885) relaciona esta estrutura entre os presídios fundados na região ao final do século XVIII, na sua maioria pelo Governador e Capitão General da Capitania do Mato Grosso, Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres (1772-1789), destinados a impedir as incursões dos espanhóis e dos indígenas em terras portuguesas, e para defesa da navegação e comércio entre o norte da Capitania do Mato Grosso e o Pará (op. cit., p. 139-140).

Em 1927 o major Antônio Leôncio Pereira Ferraz complementou:

"(…) O comércio com aquela Capitania do norte [Pará] fora proibido desde o tempo da aventurosa viagem de Manoel Félix de Lima, um dos primeiros a navegarem o [rio] Guaporé, e só com a provisão de 14 de novembro de 1752 foi ele restabelecido. Este ato do governo da metrópole daria aquela região longínqua uma época de prosperidade e, como consequência, a luta com os espanhóis, estabelecidos nas margens do rio cobiçado.

[O governador e Capitão General Antônio] Rolim de Moura [Tavares (1751-1765] destruiu algumas missões espanholas que havia na margem portuguesa e [posteriormente, o governador] Luiz de Albuquerque [de Mello Pereira e Cáceres], dando uma orientação mais incisiva à nossa política, funda Viseu em 1776 na margem oposta, e em cuja posse permanecemos até à assinatura do Tratado de 1867.

A fundação do forte do Príncipe da Beira [1776], com a de Viseu [1776], obrigaram os espanhóis à assinatura do Tratado de Santo Ildefonso, cujo ajuste foi terminado em 1777, valendo aquele Capitão General a frase com que o pintaria o dirigente espanhol de Santa Cruz de la Sierra: 'O mais ambicioso dos Governadores portugueses'.

Todas essas medidas visavam a realização de um plano político de conjunto, com que energicamente procurava reprimir a expansão do adversário. O Tratado de Santo Ildefonso [1777] dava-lhe toda a margem esquerda do [rio] Guaporé, mas como eles ultrapassassem os limites que tínhamos ao sul da Capitania, no rio Ipané [o governador] Luiz de Albuquerque replica com a fundação, na margem direita do rio Paraguai, dos povoados de Albuquerque (Corumbá) e Vila Maria (São Luiz de Cáceres). Não contente com tais medidas, funda ainda Casal Vasco, Salina e Corixa Grande, para só falarmos de providências tomadas naquela região. Assegurávamos assim, em seus traços gerais, as atuais raias de Mato Grosso.
" (“Memória sobre as fortificações em Mato Grosso”. apud GARRIDO, 1940:11)

Bibliografia

SILVA, Jovam Vilela da. "A lógica portuguesa na ocupação urbana do território mato-grossense". História & Perspectivas. Uberlândia: n.º 24, jan.-jun. 2001.



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography



Related links 

Presídio de Viseu
Página da Enciclopédia Wikipédia versando sobre o Presídio de Viseu, que se localizava na margem esquerda do rio Guaporé, guarnecendo a fronteira do Mato Grosso, em território da atual Bolívia.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pres%C3%ADdio_de_Viseu

 Print the Related links

Contribution

Updated at 20/05/2016 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

With the contribution of contents by: Carlos Luís M. C. da Cruz.


  • Presídio de Viseu


  • Prison

  • 1776 (AC)



  • Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres

  • Portugal


  • Missing

  • Monument with no legal protection





  • Disappeared

  • ,00 m2

  • Continent : South America
    Country : Brazil
    State/Province: Rondônia
    City: Costa Marques



  • Lat: 13 34' 19''S | Lon: 60 58' 1''W










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Presídio de Viseu