Fort of San Fernando de Omoa

Omoa, Cortés - Honduras

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (1)

Images (1)

O “Forte de San Fernando de Omoa” (em castelhano: “Castillo de San Fernando”) localiza-se em Omoa, departamento de Cortés, na República das Honduras.

Durante o período colonial, Omoa constituiu o porto mais importante da costa atlântica da América Central, protegendo as cargas de prata para a Espanha, e as populações costeiras vizinhas, dos ataques de corsários e piratas naquele litoral. San Fernando de Omoa é a maior fortaleza da América Central, e a segunda maior do continente americano. Atualmente é o local histórico mais conhecido da cidade.

História

No local onde se ergue a atual Omoa existiu, primitivamente, uma povoação indígena. Com a chegada dos espanhóis, em 1536 foi cedida por Pedro de Alvarado a Luis del Puerto, mas chegou ao final do século XVI despovoada.

Em 1752 foi refundada com o nome de Omoa, com a intenção de nela se construir uma fortificação e estabelecer um porto libre da ameaça de corsários e piratas na costa Norte das Honduras.

Pouco depois, em 1759, Fernando VI de Espanha (1746-1759) autorizou a construção da fortificação. O projeto foi encomendado ao engenheiro militar espanhol Luis Diez Navarro, que deu início à sua execução em 1768, abrindo as fundações e iniciando os trabalhos do porto. Desse modo, ao converter-se num poderoso baluarte espanhol, Omoa viria a superar o porto de Golfo Dulce. As obras da fortaleza foram concluídas em 1775, pelos engenheiros militares Francisco Alvarez, Antonio de Murga e José Gonzalez Fernidor, e o recurso à mão-de-obra de indígenas e de alguns escravos africanos.

Pouco após a sua conclusão, forças inglesas conquistaram a fortaleza. Em resposta, o então Capitão-General, Matías de Gálvez, reuniu as tropas aquarteladas em Amatitlán, Sacatepéquez, Olancho, Tegucigalpa, Santa Ana, Comayagua, San Salvador e Nueva Segovia e marchou para a costa norte das Honduras, conseguindo reconquistar a fortaleza a 5 de janeiro de 1781, e expulsando os ingleses do rio San Juan e do lago Cocibolca. Após ter expulso definitivamente os ingleses da baía de Honduras, regressou à cidade da Guatemala em 1782.

Posteriormente a fortaleza viria a ser assaltada por um pirata francês, de nome Louis. Apesar de ter causado danos relativamente pequenos, na ocasião foram roubados itens de valor. Seria registado, por último, um terceiro e último ataque de piratas, de menor expressão.

No contexto das lutas de independência da América Espanhola, no mês de novembro de 1832, forças mercenárias comandadas pelos coronéis Ramón Guzmán e Vicente Domínguez acompanhados de duzentos mestiços invadiram Omoa, levando à queda do Porto de Trujillo e Comayagua. Conquistada, a Fortaleza de San Fernando, serviu como centro de operações, até que o general Francisco Ferrera, comandante-em-chefe das forças hondurenhas, retomou os lugares capturados e ordenou o fuzilamento dos rebeldes.

Em agosto de 1853, durante a guerra entre Guatemala e Honduras, forças invasoras guatemaltecas, sob o comando do coronel José Víctor Zavala, tomaram a fortaleza com facilidade. Imediatamente o então presidente, general José Trinidad Cabañas, que havia estabelecido o seu quartel-general no oeste das Honduras, ordenou o envio de tropas para recuperar a fortaleza.

A 3 de outubro de 1870, o presidente o general José María Medina ordenou, por "Acuerdo Gubernamental", que se suprimissem como prisões as insalubres instalações da fortaleza, por razões humanitárias. Muitos hondurenhos e estrangeiros, prisioneiros de guerra, haviam falecido neste cárcere.

Perdidas as suas funções estratégica e prisional, a fortaleza caiu em abandono.

A fortaleza encontra-se classificada como Centro Histórico Nacional desde 11 de maio de 1959, tendo em consideração que ilustra o período colonial

Em nossos dias, contíguo à fortaleza, encontra-se um museu histórico, que conta em seu acervo com itens relevantes sobre a história da mesma.

Características

Exemplar de arquitetura militar, abaluartado.

Foi erguida em terreno primitivamente arenoso, em alvenaria de pedra e coral.

Apresenta planta no formato triangular com baluartes nos vértices e uma cortina curva. Internamente, no terrapleno, dispõem-se as canhoneiras e as casas da guarda, em estilo barroco. Ao abrigo das muralhas abrem-se 31 compartimentos abobadados, à prova de bombas, com diversas funções: comando, quartéis, paióis e armazéns, capela, cozinhas, oficinas, e prisões, estas gradeadas.

Na área vizinha à fortaleza erguiam-se, primitivamente, residências, demolidas para reaproveitamento dos materiais de construção.



 Related character


 Print the Related character

Related bibliography 


 Print the Related bibliography

Contribution

Updated at 25/06/2018 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (1).


  • Fort of San Fernando de Omoa


  • Fort

  • 1768 (AC)

  • 1775 (AC)

  • Francisco Alvarez


  • Spain


  • Restored and Well Conserved

  • National Protection





  • Tourist-cultural Center

  • ,00 m2

  • Continent : Central America
    Country : Honduras
    State/Province: Cortés
    City: Omoa



  • Lat: 15 -47' 17''N | Lon: 88 2' 25''W



  • - De segunda a sexta-feira: das 08h00 às 16h00;

    - Sábados e domingos: das 09h00 às 17h00.

     








Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fort of San Fernando de Omoa