Fortress at Gorée Island

Dakar, Dakar - Senegal

Search for fortification's images

Date 1 Date 2

Medias (3)

Images (3)

A “Fortaleza de Goreia” localiza-se na ilha de Gorée, na baía de Dakar, ao largo da costa do Senegal. A toponímia "Gorée" advém da expressão neerlandesa "goede reede", com o significado de "bom porto".

Foi, entre os séculos XV e XIX, um dos mais ativos centros de comércio de escravos africanos.

História

A angra de Bezeguiche, atual baía de Dakar, é limitada a norte pela península de Cabo Verde. Foi descoberta pelo navegador português Dinis Dias em 1444. Diogo Gomes aí manteve relações com um chefe local denominado Bezeguiche, do qual a angra tomou o nome. Dotada de bons fundeadouros, com vários locais dispondo de água (inclusive a ilha da Palma, atual Gorée), desde cedo os portugueses comerciaram na região com os nativos, habituando-se a ali procurar abrigo e a sepultar os seus mortos na ilha da Palma, onde ergueram uma capela em 1482.

Uma carta de Gudumel, senhor de Bezeguiche, para João III de Portugal (1521-1557), datada de 5 de maio de 1529, solicita licença para ali mandar fazer um castelo, do qual lhe poderia vir muito proveito e que, convindo nisso, o soberano lhe mandasse pedreiros, carpinteiros, e outras notícias (ANTT, Colecção de cartas, Núcleo Antigo 876, n.º 18.) Posteriormente, em 1536, foi erguida uma feitoria para o comércio de escravos pelos portugueses.

No contexto da Dinastia Filipina (1580-1640), a partir de 1595 o apoio à navegação feito nos arquipélagos de Cabo Verde e de São Tomé e Príncipe relevou para segundo plano a habitual escala na ilha da Palma. Desse modo, a presença portuguesa na ilha continuou, mas com menor interesse.

Após serem expulsos de Salvador, no Estado do Brasil (1625), e antes da invasão de Recife (1630), entre 1627 e 1628 as forças da Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais (WIC) consideraram a ilha da Palma fundamental para a proteção do seu comércio no Atlântico Sul. Conseguiram fixar-se nela pela primeira vez, erguendo um forte no sítio de Nassau Cove, que denominam como Forte de Nassau. Este forte teve efémera duração, uma vez que em 1629 o governador de Cabo Verde logrou expulsar os seus ocupantes, desmantelando o forte.

Uma década mais tarde, já na posse do litoral Nordeste do Brasil, e na iminência da conquista de Angola (1641), em 1639 a WIC efetuou nova tentativa de estabelecer-se na ilha, erguendo sobre uma colina o Forte de Orange e, na parte baixa, armazéns para mercadorias destinadas aos postos de comércio continental. Apesar da sua presença prologar-se por quase meio século, foram desalojados em diversas ocasiões.

Entre 1645 e 1659 os Neerlandeses foram expulsos pelos Franceses. Estes últimos, por sua vez, foram expulsos em 1664 pelos Ingleses, sob o comando de Robert Holmes. Os Franceses, sob o comando do vice-almirante de França, Jean d'Estrées, em 1 de novembro de 1677 recuperam a ilha em nome de Luís XIV de França (1643-1715).

No contexto da Guerra dos Sete Anos (1756-1763) os Ingleses ocuparam a ilha, que apenas foi devolvida pelos termos do Tratado de Paris (1763). Pouco depois, o Forte de Nassau ("Fort Saint François") foi desmantelado (1779). No último quartel desse século, a ilha de Gorée constitui-se na capital da colónia francesa do Senegal e o mais importante porto de ancoragem francês da costa oeste de África. No contexto da Revolução Francesa (17989), em 1794 foi abolida a escravatura na França. O comércio de escravos foi reposto em 1802 por Napoleão Bonaparte. O Tratado de Viena (1815) proibiu o tráfico de escravos e, em 1848 a escravatura foi abolida na França.

Entre 1852 e 1856 foi erguida a bateria circular denominada como "Fort d'Estrées", e que veio substituir as pequenas baterias isoladas que faziam a defesa do extremo norte da ilha.

Com a fundação de Dakar (1857), o comércio deslocou-se para a costa, com a consequente perda de importância da ilha. Desse modo, em 1874 a grande bateria foi desfeita para dar lugar a uma via pública.

No século XX, entre 1900 e 1914 registaram-se obras de reforço na defesa do porto e base naval de Dakar, que incluíram a ilha de Gorée. Em 1930 foi erguida uma torre blindada na ilha, em resultado do reforço das defesas costeiras.

A ilha foi classificada como Sítio Histórico (1944). Após a independência do Senegal (1960), a ilha foi inscrita na lista de património nacional (17 de novembro de 1975) e o núcleo urbano encontra-se classificado como Património Mundial pela UNESCO (1978).

Bibliografia

DELCOURT, Jean. "La turbulante histoire de Gorée". Dakar: Claireafrique, 1982.

DELCOURT, Jean. "Gorée, six siècles d'histoire". Dakar: Claireafrique, 1984.

Contribution

Updated at 18/12/2013 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.

Contributions with medias: Carlos Luís M. C. da Cruz (3).


  • Fortress at Gorée Island


  • Fortress





  • Portugal




  • UNESCO World Heritage
    A ilha e suas edificações encontram-se classificadas desde 1978 como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.







  • ,00 m2

  • Continent : Africa
    Country : Senegal
    State/Province: Dakar
    City: Dakar



  • Lat: 14 -41' 46''N | Lon: 17 23' 59''W










Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Fortification > Fortress at Gorée Island