Michele Sanmicheli

Italy

Michele Sanmichele (San Michele, Verona, 1484 – Verona, 1559) foi um arquiteto maneirista italiano da escola veronesa do século XVI, que introduziu a cultura romana em Veneza. É igualmente um dos pais da traça italiana de fortificações.

Biografia

Aprendeu os rudimentos da profissão com o pai, Giovanni, e o tio Bartolomeo, ambos arquitetos e construtores em Verona, cidade que, à época, fazia parte da Sereníssima República de Veneza. Muito jovem, foi para Roma, onde terá auxiliado Antonio da Sangallo, o Velho, também evoluindo no círculo de Bramante, estudando escultura e arquitetura clássica.

Em 1509 mudou-se para Orvieto, onde trabalhou, durante as duas décadas seguintes, como mestre da construção do Domo. Os seus primeiros trabalhos incluíram o projeto inicial da Catedral de Montefiascone e na mesma cidade, a igreja de Santa Maria delle Grazie. Em Orvieto, projetou e construiu a igreja de San Domenico. Vários palácios, em ambas as cidades, são-lhe atribuídos.

Em 1527, após o saque de Roma, Sanmichele retornou a Verona e lá continuou a sua carreira. Ali foi contratado pela República de Veneza, modernizando as fortificações de acordo com o novo sistema abaluartado, de que ele próprio foi um dos criadores. Construiu ou reformou a “Porta Nuova” e a “Porta Palio”, dois portões da cidade de Verona, massivamente fortificados e ricamente decorados. Regularizou ainda a Piazza Brà, abrindo uma vista para a antiga arena romana.

Trabalhou como arquiteto militar, reforçando as fortificações da República em Cândia (atual Creta), nomeadamente a praça-forte de Heraklion, na Dalmácia, em Corfu e em Veneza, onde construiu o Forte di Sant'Andrea, na ilha de mesmo nome, que permitia controlar a entrada da lagoa.

Graças às suas viagens a Creta e a Chipre, Sanmicheli é provavelmente o único arquiteto italiano de seu tempo a ter um conhecimento “in loco” da arquitetura grega antiga, o que poderia explicar a presença de colunas sem bases dóricas em suas obras. O uso, de forma inovadora das mesmas à época, impressionou Giorgio Vasari.

Além de seus trabalhos comissionados, construiu três palácios, que foram importantes para sua reputação: o “Palazzo Pompei” (c. 1530), uma versão enriquecida da Casa de Rafael, de Bramante, com algumas modificações na fachada; o “Palazzo Canossa” (c. 1537) construído em três blocos, aberto para o rio Adige no quarto lado; e o “Palazzo Bevilacqua” (c.1529), o mais famoso dos três e frequentemente citado como um exemplo de arquitetura Maneirista, a mais rica fachada de sua geração.

Um dos seus projetos mais harmoniosos foi a Cappella Pellegrini, na igreja de San Bernardino em Verona, onde o exterior cilíndrico oculta um domo e o interior possui elementos do Panteão de Roma. Encerrou a sua carreira de arquiteto com o projeto da igreja cilíndrica do santuário da Madonna di Campagna, vizinha a Verona, em 1559. Esse projeto provavelmente foi modificado durante sua construção pelo arquiteto Brugnoli. A sua última obra foi a “Ponte Nuova”.

Apresentou as suas ideias sobre arquitetura clássica em “I Cinque Ordini dell Architettura” (As Cinco Ordens da Arquitetura).

Sanmichele estava relativamente esquecido quando o conde Alessandro Pompei publicou a obra “Cinque Ordini d' Architettura” (Verona, 1735). Arquiteto amador e morador do Palazzo Pompei, o conde atraiu a atenção de uma geração de jovens arquitetos neoclássicos para Sanmichele. Posteriormente, plantas com medidas publicadas por Francesco Ronzani e Girolamo Luciolli inauguraram o moderno estudo de suas obras.

Bibliografia

OLIVEIRA, Mário Mendonça de. As Fortificações Portuguesas de Salvador Quando Cabeça do Brasil. Salvador: Selo Editorial da Fundação Gregório de Mattos, 2004. p. 46.

POMPEI, Alessandro. Li cinque ordini d'architettura civile di Michele Sanmicheli non più veduti in luce, ora publicati, ed esposti con quelli di Vitruvio e d'altri cinque, Verona, 1735.

VASARI, Giorgio (1550). Le vite de' più eccellenti pittori, scultori e architettori, Florença, parte 5.

Le Fabbriche Civili, Ecclesiastiche e Militari di Michele Sanmicheli, Disegnate ed Incisi da Francesco Ronzani e Girolamo Luciolli, con Testo Illustrativo Riveduto da Francesco Zanotto, Turim, 1862.

Contribution

Updated at 27/05/2020 by the tutor Carlos Luís M. C. da Cruz.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Character > Michele Sanmicheli