André Pinto Rebouças

Brazil

André Pinto Rebouças (Cachoeira, 13 de janeiro de 1838 — Funchal, 9 de maio de 1898) foi um engenheiro, inventor e abolicionista brasileiro.

André Rebouças era filho de Antônio Pereira Rebouças (1798-1880) e de Carolina Pinto Rebouças. Seu pai, filho de uma escrava alforriada e de um alfaiate português, era Advogado autodidata, deputado e conselheiro de D. Pedro II (1840 - 1889). Dois dos seus seis irmãos, Antônio Pereira Rebouças Filho e José Rebouças, também eram engenheiros. André ganhou fama no Rio de Janeiro, então Capital do Império, ao solucionar o problema de abastecimento de água, trazendo-a de mananciais fora da cidade.

Em 1854, André e seu irmão, Antônio, ingressam no curso de engenharia da Escola Militar. Concluem o curso em 1858 e em 1860 são promovidos a primeiro-tenente, recebendo a "Carta de Engenheiro Militar". Conforme relatório do Presidente da Província de Santa Catarina (1863), Antônio e André estiveram trabalhando naquele ano em Santa Catarina, atuando respectivamente nos serviços das reparações e obras novas do Forte de São João do Estreito e da Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim. André permanece, ao lado de Antônio, em Santa Catarina até primeiro de janeiro do ano seguinte, quando retorna ao Rio de Janeiro.

Servindo como engenheiro militar na guerra do Paraguai, André Rebouças desenvolveu um torpedo, utilizado com sucesso.

Em 1871, André e seu irmão Antônio apresentaram ao Imperador D. Pedro II o projeto da estrada de ferro ligando a cidade de Curitiba ao litoral do Paraná, na cidade de Antonina. Quando da execução do projeto, o trajeto foi alterado para o porto de Paranaguá. Até hoje, essa obra ferroviária se destaca pela ousadia de sua concepção.

Ao lado de Machado de Assis, Cruz e Souza, José do Patrocínio, André Rebouças foi um dos representantes da pequena classe média negra em ascensão no Segundo Reinado e uma das vozes mais importantes em prol da abolição da escravatura. Ajudou a criar a Sociedade Brasileira Contra a Escravidão, ao lado de Joaquim Nabuco, José do Patrocínio e outros. Participou também da Confederação Abolicionista e redigiu os estatutos da Associação Central Emancipadora. 

Participou da Sociedade Central de Imigração, juntamente com o Visconde de Taunay.

Entre setembro de 1882 e fevereiro de 1883, Rebouças permaneceu na Europa, retornando ao Brasil para dar continuidade à campanha pela abolição da escravatura. Com a abolição, veio também a queda do império, e, assim, em 1889, André Rebouças embarca, juntamente com a família imperial, com destino à Europa. Por dois anos, ele permanece exilado em Lisboa, como correspondente do The Times de Londres. Posteriormente, transfere-se para Cannes, onde permanece até a morte de D. Pedro II, em 1891.

Em 1892, deprimido e com problemas financeiros, Rebouças aceita um emprego em Luanda, onde permanece por 15 meses. A partir de meados de 1893, vai residir em Funchal, na Ilha da Madeira, onde se suicida no dia 9 de maio de 1898. Seu corpo foi resgatado na base de um penhasco, próximo ao hotel em que vivia.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Andr%C3%A9_Rebou%C3%A7as, acesso em 21 agosto de 2014.

Contribution

Updated at 01/04/2016 by the tutor Roberto Tonera.




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Character > André Pinto Rebouças