José Bernardino Bormann

Brazil

José Bernardino Bormann nasceu em Porto Alegre a 26 de setembro de 1844, e faleceu no Rio de Janeiro em 1 junho de 1919. Filho de pai alemão, Wilhelm Bormann (vindo ao Brasil para participar do Corpo de Estrangeiros de D. Pedro I) e de mãe gaúcha, era o décimo filho do casal.

Aos quatorze anos de idade alistou-se no Exército, valendo-se de uma certidão do irmão mais velho. Participou da Guerra contra Aguirre, no Uruguai. Partiu para a Guerra do Paraguai, em 1865, no 5º Batalhão de Voluntários da Pátria, tomando parte do sítio de Uruguaiana e em outras batalhas importantes. Comandou uma bateria de artilharia, do regimento de Mallet, composta de alemães brummer. Terminada a guerra, foi ajudante de ordens do Duque de Caxias, tendo o acompanhado em viagem à Europa.

Ao regressar da Europa, foi designado, em 1880, para fundar a Colônia Militar de Chapecó, também conhecida como Colônia de Xanxerê. Instala a colônia em 14 de março de 1882, chegando à área com um destacamento militar. Lá convidou os caboclos da região para que se instalassem no perímetro da colônia, conseguindo atrair quarenta famílias. Em 1884 já eram 58 casas, chegando a 74 um ano depois, com 196 habitantes, sem contar os soldados. Foi a única colônia de Santa Catarina formada com famílias caboclas da própria região, sem a participação de imigrantes europeus. Em 1893, a colônia possuía igreja, armazém, serraria a vapor, tipografia, telégrafo, onze edifícios públicos e 124 casas de colonos. Bormann permaneceu como diretor desta colônia por dezessete anos. Atuou como desbravador de terras e demarcador de fronteiras desta região. Também fundou o primeiro jornal da região, o Chapecó.

Pertencia ao Partido Republicano. Eleito vice-governador do Paraná, foi governador interino do Paraná, entre 3 de abril de 1899 e 10 de maio de 1899. Em 1901 foi eleito deputado estadual. Foi nomeado ministro da Guerra, no governo de Nilo Peçanha, exercendo o mandato de 16 de outubro de 1909 até 15 de novembro de 1910. Alcançou a patente de marechal. Foi nomeado ministro do Superior Tribunal Militar em 1911.

Foi fundador do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico do Paraná e também um dos fundadores do pioneiro Aeroclube Brasileiro, em 1911, no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro. Agraciado cavaleiro da Imperial Ordem da Rosa, Imperial Ordem de Cristo e da Imperial Ordem de Avis.

Foi escritor, romancista e tradutor de diversas obras. Historiador, escreveu a destacada História da Guerra do Paraguai, 3 vol, 1897; Dias fraticidas, 1901, sobre a Revolução de 1893; Memórias da Revolução Federalista, 1901; A campanha do Uruguai, 1907; Rosas e o exército aliado, 1912; Campanha de 1851-52, 2 vols., 1916.

Era casado com Maria Benedita Bormann (1853-1895), sua sobrinha, também escritora que escreveu sob o pseudônimo Délia em vários jornais do Rio de Janeiro e folhetins, alguns dos quais se tornaram livros.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Bernardino_Bormann

Contribution

Updated at 27/03/2013 by the tutor Projeto Fortalezas Multimidia (Jefté).




Print the contents


Register your email to receive news on this project


Fortalezas.org > Character > José Bernardino Bormann